Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



18 de novembro de 2020
Consultar edições passadas

meio_greenweek_1408x608_cabecalho

Aliados querem distância de Bolsonaro no 2º turno


A família do presidente Jair Bolsonaro e seus principais aliados ainda estão fazendo as contas e tentando compreender o resultado das eleições municipais. Mas, ao menos no segundo turno, o presidente virou anticabo eleitoral. Candidatos que vão enfrentar a esquerda no dia 29 evitam seu apoio público. Em Fortaleza, o Capitão Wagner (PROS), que Bolsonaro citou numa live, afirma que não deseja ‘nacionalizar’ a campanha. Ele disputa com um aliado do pedetista Ciro Gomes. O mesmo se dá em Porto Alegre, onde Sebastião Melo (MDB) terá uma disputa dura com Manuela D’Ávila. A avaliação é de que Bolsonaro atrapalha mais que ajuda. O padrão se repete por todo o país com raras exceções. É o caso de Marcello Crivella (Republicanos), que coincidentemente não tem um adversário de esquerda e sim Eduardo Paes, do DEM. Isolado e com alta rejeição, Crivella quer um engajamento maior do presidente. O PT já acenou com apoio a Paes, o deputado federal Marcelo Freixo, do PSOL, idem. (Globo)

Então... O resultado ruim pegou de surpresa mesmo a família Bolsonaro. Esperavam que Carlos, o Zero Dois, tivesse entre 150 e 200 mil votos, conta Bela Megale. Teve 71 mil. E a mãe dos três mais velhos, Rogéria, terminou como a 229a vereadora em número de votos no Rio. (Globo)

Isso mesmo: Não foram só Carlos e Rogéria. Além deles, no Brasil todo, 76 candidatos se lançaram com o sobrenome Bolsonaro. Zero Dois foi o único eleito. (BBC)

Meio em Vídeo: Experiente observador de eleições, o cientista político Bruno Reis analisa, na edição desta semana do Conversas com o Meio, o pleito de domingo. Para ele, que é diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, a derrota do presidente foi feia. Durante a entrevista, Bruno comparou o movimento atual dos partidos com outros momentos da história para indicar como pode se desenhar a corrida presidencial. Há pistas sobre 2022? Assista.

Bernardo Mello Franco: “É possível perder uma eleição sem disputá-la? No domingo, Jair Bolsonaro não foi o único a mostrar que sim. No Rio e em São Paulo, dois líderes do campo progressista abriram mão de se candidatar a prefeito. Ao fugir da raia, eles frustraram aliados e levaram seus partidos a encolher nas urnas. Marcelo Freixo, do PSOL, tinha boas chances de se eleger no Rio. Em maio, surpreendeu ao desistir da candidatura. De olho na próxima corrida presidencial, o ex-prefeito (de São Paulo Fernando Haddad) recusou os apelos para entrar na disputa. A decisão levou o PT a um fiasco histórico. O candidato Jilmar Tatto ficou em sexto lugar, atrás de um youtuber de direita que atende pelo apelido de ‘Mamãe Falei’. Freixo e Haddad estão entre os políticos mais preparados de sua geração. Os dois têm razões para reclamar da burocracia partidária, mas precisam refletir sobre os erros de 2020.” (Globo)

Era para ser o primeiro debate para o segundo turno do Rio, mas Eduardo Paes (DEM) faltou ao encontro promovido pelo UOL e pela CNN Brasil. Com isso, o programa virou uma entrevista com o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) (veja a íntegra no Youtube). O candidato passou boa parte do tempo criticando as pesquisas que indicam sua impopularidade e atacando a Rede Globo, a ponto de ser repreendido pela mediadora Monalisa Perrone. (UOL)

O número de eleitores que preferiram não participar da eleição para prefeito no domingo – seja anulando, votando em branco ou não comparecendo — superou os candidatos mais votados em 483 cidades do Brasil, incluindo a maior delas, São Paulo. Na capital paulistana, 3,6 milhões de eleitores não votaram. Isso é mais do que os 2,8 milhões de votos que Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL), que foram para o segundo turno, receberam somados. No domingo, o país registrou a maior abstenção em 20 anos. (Folha)

No domingo, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso falava em problemas num dos “núcleos de processadores” do “supercomputador” que somava os votos para explicar o atraso. A equipe do Poder 360 apurou o que houve: a corte contratou a entrega de duas máquinas de grande porte da Oracle que custaram, ao total, R$ 26,2 milhões. Foram entregues com atraso, submetidas a dois dos cinco testes de stress recomendados. Conforme os votos iam sendo computados, a máquina sentou — se tornou mais e mais lenta. A companhia americana não tinha suporte técnico à disposição da Corte no dia da eleição. E a Oracle foi contratada com dispensa de licitação por ser a única a oferecer produtos Oracle — embora Amazon, Google e Microsoft tenham serviços equivalentes. (Poder 360)

A 5ª turma do Superior Tribunal de Justiça rejeitou novo recurso do ex-presidente Lula e manteve sua condenação a oito anos e dez meses de prisão no caso do tríplex do Guarujá, no qual ele é acusado de receber propina de empreiteiras.


Donald Trump demitiu ontem Chris Krebs, o funcionário do Departamento de Segurança Doméstica que rechaçou as teorias de fraude eleitoral alimentadas pelo presidente. Mas Trump sofreu um revés em Michigan, onde republicanos e democratas chegaram a um acordo que permitirá concluir oficialmente a apuração. Joe Biden lidera ali com quase 150 mil votos.

Para Onde Vamos

Para Onde Vamos


Barcelona criou um plano pra priorizar pedestres e bicicletas em vez de carros. No centro da cidade, 21 ruas vão ser redesenhadas pra terem menos vagas de estacionamento e mais ciclovias, espaços pra crianças e áreas verdes. A ideia é que ninguém fique distante de mais de cerca de 200 metros de um pequeno parque. O novo projeto será implementado nos próximos 10 anos.

A DiDi, dona da 99 no Brasil, criou o primeiro carro elétrico feito exclusivamente pra serviço de carona. O veículo chamado de D1, foi feito em parceria com a montadora também chinesa BYD e conta com portas de correr elétricas, sistema de assistência ao motorista e telas para os usuários acompanharem o trajeto. A DiDi já tem cerca de um milhão de carros elétricos registrados em sua plataforma, mas esse só será vendido para os seus motoristas e já estará em operação na China nos próximos meses.

Por falar em veículos elétricos… A Apple fez uma parceria com a ChargePoint pra os usuários terem informações, como localização, status das estações de carregamento e custo, pelo CarPlay.

Serviços de compartilhamento de bicicletas, carros e patinetes não significam apenas mais agilidade na mobilidade urbana, mas também abrem oportunidades pra conhecer melhor o perfil de cada trajeto por meio do compartilhamento de dados entre as empresas e os gestores públicos. As vantagens são muitas: de um lado, pode ajudar as cidades a gerenciarem a demanda por cada modal. Do outro, incentiva a inovação e criação de novos serviços, como apps.

Viver


A CoronaVac, vacina chinesa que no Brasil é feita em parceria com o Instituto Butantan, é segura e produziu anticorpos em 97% dos voluntários que a tomaram. Os dados, confirmados por analistas independentes, foram publicados ontem na revista científica Lancet Infectious Diseases. As informações se referem aos testes das fases 1 e 2 - faltam ainda resultados da fase 3, que está em andamento.

O Butantan vai receber já nesta semana doses prontas da vacina e, até o fim do mês, insumos para produzir o imunizante aqui no Brasil. A informação é de Dimas Covas, diretor da instituição paulista. Na estimativa dele, será possível disponibilizar já em janeiro 46 milhões de doses da vacina, que ainda precisa de aprovação da Anvisa.

Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro disse em conferência online com chefes de Estado dos Brics que o Brasil “busca e trabalha por uma vacina própria”. O problema é que as três pesquisas de vacinas 100% nacionais ainda estão fase pré-clínica, testes em laboratório e com animais. Somente os quatro imunizantes desenvolvidos em parceria com instituições estrangeiras estão em fase adiantada dos testes em humanos.

E a média móvel de mortes no Brasil na última semana ultrapassou 550, indicando a maior tendência de alta desde maio. Ontem foram contabilizados 676 óbitos, elevando o total para 166.743 desde que a Covid-19 chegou ao país. A taxa de transmissão também subiu, chegando a 1,1, de acordo com o Imperial College, da Inglaterra. Isso significa que cada grupo de 100 pessoas infectadas passa o vírus para outras 110.

Em número absoluto de mortos, o Brasil continua em segundo, atrás apenas dos EUA. Mas a Argentina nos passou no triste ranking de óbitos por milhão de habitantes, 796, e ocupa a quarta posição mundial. Aqui são 787. Confira a lista.

 

Pelo menos 13 dos 16 municípios do Amapá, incluindo a capital Macapá, voltaram a ficar sem luz na noite de ontem. Foram as mesmas cidades atingidas no dia 3 por um primeiro blecaute e que estavam com o fornecimento de energia em sistema de rodízio. O ONS confirmou que o apagão ocorreu às 20h31 e disse que estava trabalhando para restabelecer a totalidade das cargas no estado o mais breve possível. Ainda não sabe o que causou a nova interrupção nem quando a situação será normalizada, parte da energia começou a voltar durante a madrugada. O apagão do dia 3 levou ao adiamento das eleições municipais em Macapá.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, apresentou na terça-feira ao Congresso um projeto legalizando o aborto no país. Segundo ele, a criminalização do procedimento só aumenta o número de abortos ilegais e provoca a morte de milhares de mulheres.

O Meio errou. Ao contrário do publicado na edição de ontem, a receita de risoto de espinafre com uvas-passas tem proteínas animais (manteiga e queijo parmesão) e não se adequa à dieta vegana. O erro foi na redação da nota, sem qualquer responsabilidade do Panelinha.

Cotidiano Digital


Os CEOs do Facebook e Twitter voltaram ontem ao Congresso americano. Dessa vez pra falar sobre sua moderação de conteúdo por decidirem bloquear reportagem do New York Post que fazia alegações sobre o filho de Joe Biden. A pressão veio dos dois lados: os republicanos alegaram censura ao presidente Trump e seus aliados durante a eleição, enquanto os democratas criticaram a disseminação de desinformação sobre a votação. Jack Dorsey e Mark Zuckerberg defenderam suas políticas, mas algumas brechas ficaram aparentes. Zuckerberg, por exemplo, disse que não excluiu conta do ex-conselheiro de Trump, Steve Bannon, após ele sugerir a decapitação de dois altos funcionários dos EUA, por não ter quebrado as regras da plataforma. Também voltou à discussão a Seção 230, da Lei de Decência nas Comunicações. Os republicanos defenderam acabar com o texto que protege as empresas de serem processadas por conteúdos que os usuários postam, enquanto os democratas querem uma reforma.

A Microsoft avisou que pelo menos até o final de abril de 2021 vai ter falta de Xbox Series X e o Series S. Sem revelar números, a empresa disse que a procura está grande: a venda no lançamento dos novos consoles foi a melhor da sua história.

Cultura


Não existe lado bom de uma pandemia, mas pode haver boas notícias. Diante do isolamento social, os brasileiros compraram 25% mais livros no varejo no terceiro trimestre, em comparação o mesmo período de 2019. Os dados são do 11.º Painel do Varejo de Livros no Brasil de 2020, divulgado ontem. Contando o ano até agora, o número ainda está abaixo do período anterior, mas os varejistas apostam na Black Friday e no Natal para melhorar ainda mais a vendas. (Estadão)

As filmagens do longa de ação e comédia Red Notice foram interrompidas por um motivo inusitado. Com 1,96m e 120kg, o astro Dwayne “The Rock” Johnson não coube no Porshe Tycan que seu personagem dirigiria.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



18 de novembro de 2020
Consultar edições passadas