Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



20 de novembro de 2020
Consultar edições passadas

meio_greenweek_1408x608_cabecalho

Candidatos fogem do tema Covid-19


Embora os números de casos e mortes e as internações por Covid-19 sigam em alta no Rio e em São Paulo, os candidatos ao segundo turno nas duas maiores cidades do país parecem minimizar a situação. Buscando a reeleição, Marcelo Crivella (Republicanos) e Bruno Covas (PSDB) negam publicamente a segunda onda e a necessidade de novos lockdowns, mesmo que tomem discretamente medidas. Já seus adversários, Eduardo Paes (DEM) e Guilherme Boulos (PSOL) evitam falar em novos planos de distanciamento social. Todos querem se distanciar da impopularidade desse tipo de iniciativa.

O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde pediu ao ministro Eduardo Pazuello ações concretas contra a segunda onda da Covid-19. Eles desejam R$ 3 bilhões em recursos e vinte milhões de testes rápidos, além de uma estratégia de testagem ampla da população. A preocupação dos secretários não é imotivada. Levantamento mostrou que quatro em cada dez hospitais particulares em São Paulo identificaram altas de internações pela doença. O governo paulista determinou que os leitos para pacientes com Covid-19 não sejam desmobilizados e que cirurgias eletivas não sejam agendadas, para não sobrecarregar hospitais.

O Ministério da Saúde, porém, disse não ter dados que confirmem o crescimento da doença do Brasil. Mas pretende lançar em dezembro uma campanha de conscientização sobre a vacina contra a Covid-19. Não se sabe qual o teor ou o tom da campanha, uma vez que o presidente Jair Bolsonaro já levantou dúvidas sobre a eficácia das vacinas e criticou sua obrigatoriedade.

E o número de mortos no país ultrapassou 168 mil. Foram 644 óbitos ontem, segundo o consórcio de veículos de comunicação. A média móvel de 544 mortes nos últimos sete dias confirma a tendência de alta, verificada em 13 estados: PR, RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, AP, RO, RR, TO e RN.

Ana Lúcia Azevedo: “Há quem considere novembro o novo março, mês em que começava o crescimento da pandemia de Covid-19 no Brasil. Não há certeza se os casos voltarão a ter aumento explosivo. Mas a situação é pior agora, quando ainda não há vacina. Se aprendeu muito sobre o coronavírus. A ciência fez sua parte, mas governos e parte da sociedade, não. Os profissionais de saúde estão exaustos. A economia piorou. Não haverá tantas doações e lockdowns serão ainda mais danosos. Houve brutal perda de confiança nas autoridades com escândalos de corrupção.” (Globo)

Atrás nas pesquisas, o prefeito do Rio e candidato à reeleição Marcelo Crivella (Republicanos) tirou o dia para ataques violentos e falsos a adversários seus e do presidente Jair Bolsonaro. Em reunião com correligionários, ele chamou o governador paulista João Dória (PSDB) de “vagabundo” e se referiu a ele com termos homofóbicos. Depois que um vídeo com as ofensas foi parar nas redes sociais, o prefeito do Rio se desculpou. Pela manhã, numa live, Crivella apelou para as fake news e acusou o PSOL de querer implantar a “pedofilia nas escolas”. Ele disse ainda que o partido apoia seu rival, Eduardo Paes (DEM), o que não é verdade. Paes e o PSOL disseram que vão processar o prefeito. (Globo)

O tom agressivo foi levado para os debates na noite de ontem em  São Paulo e no Rio, feitos pela TV Bandeirantes. Na capital paulista, Guilherme Boulos (PSOL) acusou Bruno Covas (PSDB) de fazer “obras eleitoreiras”, enquanto o atual prefeito focou na defesa de sua atuação contra a Covid-19 e usou gestões do PT, aliado de Boulos, para atacar o adversário. Já no Rio o clima foi de baixaria, com acusações mútuas de corrupção e xingamentos. Paes chamando Crivella de “pai da mentira”, numa referência bíblica ao diabo“, e o prefeito resvalando de novo para a homofobia ao chamar o adversário de ”madrinha da mentira".

Mas Crivella conseguiu uma vitória na Justiça. O TSE formou maioria para derrubar a inelegibilidade dele por abuso de poder político, decretada em setembro pelo TRE do Rio.

E ontem o Datafolha divulgou pesquisas sobre o segundo turno, confirmando as tendências já identificadas por outros institutos. Em São Paulo, Bruno Covas (PSDB) tem 48% das intenções de voto, e Guilherme Boulos (PSOL) 35%. No Rio, Paes tem 54% e Crivella 21%. E no Recife, Marília Arraes (PT) lidera com 41%, contra 34% de seu primo João Campos (PSB). Esses percentuais levam em consideração os votos brancos e nulos e os eleitores que não souberam responder.

Os hackers que atacaram o sistema do Tribunal Superior Eleitoral conseguiram, diferentemente do que foi divulgando, roubar dados relativos a este ano, especialmente informações sobre funcionários e ministros. A conclusão é da Polícia Federal, que antes estimava que somente dados anteriores a 2010 haviam sido acessados. Vindo de Portugal, o araque foi divulgado pelos hackers no último domingo, dia do primeiro turno, ao mesmo tempo em que “milícias virtuais” dispararam postagens colocando em dúvida a segurança das eleições. A ação dos hackers não teve qualquer influência sobre o pleito nem sobre a apuração, assegura o TSE. (Globo)

Uma das linhas de investigação aponta para um hacker português conhecido como Zambrius. Em entrevista por email, ele admitiu a invasão e disse ter agido sozinho, usando apenas um celular. (Estadão)

E o Whatsapp baniu mais de mil contas  por envio de mensagens em massa no primeiro turno da eleições. As contas foram identificadas a partir de um sistema criado pelo TSE em parceria com o Whatsapp para combater a disseminação de notícias falsas no processo eleitoral.

Meio em vídeo. Por falar em segurança eletrônica nas eleições, esse é um dos temas do Pedro+Cora desta semana. Pedro Doria e Cora Rónai discutem a tumultuada totalização de votos do primeiro turno e as explicações que o TSE deu para o incidente. E a estreia do Disney+ também está na pauta. Entra no ar às 10h de hoje. Assista no Youtube ou ouça no Spotify.

Na edição deste Sábado, o Meio contará a história de pactos políticos entre grupos até então antagônicos que levaram a vitórias e possibilitaram transformações importantes no Reino Unido, em Portugal e nos EUA. São exemplos importantes em tempos de intensa polarização e, como mostram as eleições no Brasil, da busca pelo cidadão de uma “volta à normalidade”. Reinventar é possível, basta perceber a urgência de ser necessário.

A Edição de Sábado é quando o Meio vai fundo num tema do momento e os assinantes premium a recebem.

Assine o Meio. É uma aposta no jornalismo em tempos de desinformação. Além do quê, sai por um chope.


O secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, responsável pelo processo eleitoral local, disse na quinta-feira que a recontagem manual dos votos confirmou a vitória do democrata Joe Biden no estado. Raffensperger é republicano e disse ter sofrido pressão de políticos do partido para beneficiar Donald Trump. Ontem, o presidente sugeriu abertamente que o Legislativo da Pensilvânia, dominado pelos republicanos, ignorasse os votos populares e escolhesse por conta própria os delegados ao Colégio Eleitoral. E convidou deputados estaduais de Michigan, onde Biden também venceu, para uma reunião na Casa Branca.

Mas, no campo legal, Trump sofreu derrotas sérias. Juízes da Geórgia, da Pensilvânia e do Arizona rejeitaram ações impetradas por ele e por outros republicanos para tentar reverter a vitória de Biden nesses estados. Rudolf Giuliani, ex-prefeito de Nova York e um dos principais advogados de Trump, deu uma entrevista coletiva para reiterar as acusações de fraude nas eleições. Além da falta de provas, o que mais chamou atenção foi o suor de Giuliani, que carregou a tintura de seu cabelo e deixou uma trilha marrom em seu rosto.

Surtando a segunda onda

Tony de Marco

 
Segunda-onda


Cultura


Hoje é o Dia Nacional da Consciência Negra. Confira na agenda cultural eventos on line para celebrar a data e outras sugestões que valem a atenção.

Um acervo com mais de 2 mil itens relativos à obra e às memórias do cantor e compositor Itamar Assumpção será disponibilizado a partir de hoje através do MU.ITA – Museu Virtual Itamar Assumpção. Para marcar o lançamento, que coincide com o Dia da Consciência Negra, haverá uma live com show de Anelis Assumpção, diretora do museu e filha do artista, com direção de Ava Rocha.

Agora no formato de um festival online, a Feira Preta começa hoje e traz uma série de atividades culturais, como shows e performances, além de ações de formação e um espaço de venda para lojas administradas por empreendedores negros. Por ocasião da abertura, haverá um show do pianista Amaro Freitas com o trompetista Sidmar Vieira.

A cantora e grande dama das lives Teresa Cristina ocupa hoje o Instagram do Canal Futura, que também transmite na televisão uma programação dedicada ao Dia da Consciência Negra.

Uma conferência de Tom Farias, biógrafo de Carolina Maria de Jesus, e estreia de espetáculo com texto de Conceição Evaristo estão entre os destaques do Àwa, festival de cultura realizado pelo Sesc Paraty.

Até 28 de novembro acontece o Cabíria Festival, mostra de filmes dirigidos por mulheres que neste ano homenageia a cineasta Patrícia Ferreira Pará Yxapy, indígena do povo Mbyá-Guarani

Leonardo Padura, Jorge Carrion e Itamar Vieira Júnior são alguns dos convidados da Tarrafa Literária, evento santista cuja 12ª edição homenageia Maria Valéria Rezende, autora do romance Quarenta Dias.

No domingo, a soprano Eliane Coelho e o pianista Gustavo Carvalho realizam o recital de encerramento da Temporada de Ópera Online da Fundação Clóvis Salgado. No repertório, obras de Richard Strauss Hugo Wolff.

Começa na segunda o Encontros de Interrogação, evento literário do Itaú Cultural que neste ano reúne autores como Conceição Evaristo, Jarid Arraes e Cidinha da Silva. Veja a programação.

No mesmo dia, a SP-Foto realiza uma edição virtual da principal feira de fotografia do país. Diferentes galerias celebram o trabalho do Foto Cine Clube Bandeirante, enquanto a nova-iorquina MFON apresenta cliques de fotógrafas da diáspora africana.

Na próxima edição do Terças Crespas, transmitido pelo Instagram da Cia. Os Crespos, os convidados são Dani Nega, Coletivo Negras Autoras e Muato, que irão discutir a produção de música de cena para o teatro negro.

Na esteira do lançamento do single Ansiedade, a banda de pós-punk In Venus realiza na quarta uma roda de conversa gratuita com psicanalistas e pesquisadores do tema.

Para mais dicas de cultura, assine a newsletter da Bravo.

Viver


Tradição há 16 anos, a missa afro na igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Glória, Centro do Rio, em homenagem ao Dia da Consciência Negra foi cancelada. Fiéis atribuem o cancelamento a uma ordem da Arquidiocese, atendendo a pressão de grupos ultraconservadores. No ano passado, um desses grupos fundamentalistas invadiu a cerimônia cantando hinos em latim. A Arquidiocese do Rio não se manifestou sobre o cancelamento. (Globo)

Cotidiano Digital


O Google Messages vai ficar mais parecido com apps de mensagens. Após anos em desenvolvimento, agora, o RCS (Rich Communications Messaging) está disponível globalmente no aplicativo de mensagens do Android. Tido como uma evolução do SMS, a atualização inclui recursos semelhantes aos WhatsApp ou Facebook Messenger, como melhor qualidade de vídeo e foto, confirmação de quando as mensagens são lidas, envio e recebimento de mensagens por Wi-Fi e envio de reações. A ideia ainda é incluir criptografia de ponta a ponta, que protege as informações trocadas. Esse recurso, no entanto, só está disponível, por enquanto, pra testes com apenas alguns usuários.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



20 de novembro de 2020
Consultar edições passadas