Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



27 de maio de 2021
Consultar edições passadas



Punição de Pazuello gera impasse entre Exército e Bolsonaro


Fracassaram as pressões para que o general Eduardo Pazuello passe imediatamente para a reserva. Segundo militares envolvidos na tentativa de persuasão, o ex-ministro da Saúde avisou que só deixa o Exército depois de concluída a CPI da Pandemia, da qual é um dos principais alvos, revela a repórter Carla Araújo. Pazuello teme que, sem a proteção da farda, os senadores se sintam tentados a prendê-lo em função das sucessivas mentiras em seu primeiro depoimento. O problema é que ele responde a um processo interno por ter participado de um ato político com o presidente Jair Bolsonaro, o que viola as regras das Forças Armadas. O Comando do Exército esperava que a ida para a reserva atenuasse uma eventual punição. (UOL)

O ministro da Defesa, Braga Netto, e o comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, se encontram hoje com Bolsonaro no Amazonas. Vão tentar convencê-lo a aceitar que Pazuello seja punido. Tanto a impunidade do general indisciplinado quanto um eventual veto do presidente a uma punição seriam mortíferos para a hierarquia no Exército. (Globo)

Sem depoimentos ontem, a CPI da Pandemia aprovou a reconvocação do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do atual, Marcelo Queiroga, e a convocação de nove governadores. Não foi uma decisão pacífica. Mesmo com uma reunião secreta para chegar a um acordo, a convocação provocou divisão dentro da comissão. Segundo Gerson Camarotti, a maioria independente e oposicionista aprovou as convocações para se livrar da acusação de parcialidade, mas espera que o STF anule a decisão, já que investigar governadores é atribuição das Assembleias Legislativas.  (G1)

E a CPI ouve hoje o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. Ele vai falar sobre as negociações com o governo federal para a venda da CoronaVac. (UOL)

Enquanto isso... Queiroga descobriu um novo “culpado” pela crise da Covid-19 no Brasil: o SUS. Falando à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, contou de UTIs lotadas e unidades sucateadas para afirmar que parte dos resultados negativos “decorre das carências do nosso sistema de saúde”. Queiroga não mencionou o fato de o governo ter cortado em março deste ano 72% da verba destinada à manutenção de UTIs. Especialistas classificaram a opinião do ministro como “absurda” e “inconcebível” e afirmaram que, sem o SUS, a Covid-19 já teria matado um milhão de pessoas no país. (UOL)

Então...Queiroga Queiroga admitiu que a infectologista Luana Araújo ficou apenas dez dias na chefia da recém-criada Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 por ter sido vetada pelo Planalto. (CNN Brasil)

A reprovação do governo Bolsonaro subiu 5 pontos em duas semanas e voltou ao recorde de 59%, registrado pela primeira vez em junho do ano passado, segundo pesquisa do PoderData. A aprovação, porém, se manteve estável, recuando de 36% para 35%, dentro da margem de erro. A variação se deu entre os “indiferentes”, que recuaram de 10% para 6%. (Poder360)

Oficialmente indefinido quanto à sucessão presidencial, o PSB deve receber uma enxurrada de aliados do ex-presidente Lula (PT). Três nomes de peso vêm do PCdoB: o governador maranhense Flávio Dino, o deputado Orlando Silva (SP) e a ex-deputada Manuela D’Ávila (RS). Outro é a estrela do PSOL carioca Marcelo Freixo. (Globo)

E o senador Flávio Bolsonaro (RJ) anunciou ontem sua desfiliação do Republicanos, partido para o qual havia migrado após se eleger pelo PSL em 2018. O destino do Zero Um vai depender dos movimentos do pai presidente, que ainda não escolheu uma legenda para concorrer à reeleição no ano que vem. Flávio vai acompanhá-lo. (CNN Brasil)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, recorreu ao presidente do STF, Luiz Fux, para afastar o ministro Alexandre Moraes da relatoria do inquérito que investiga o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Aras, ignorado na operação da PF contra Salles autorizada por Moraes, argumenta que o caso deveria estar com Cármen Lúcia, que julga outra ação semelhante. Já Moraes, que recusou o primeiro pedido do PGR, diz que sua ação é mais antiga e foi reaberta por fatos novos. (Veja)

Então... Não se pode afirmar que foi represália, mas ontem Moraes retirou o sigilo da investigação sobre Salles. (Poder360)

Aliás... Salles faltou à reunião ontem do Conselho da Amazônia Legal, presidido pelo vice-presidente Hamilton Mourão. “Lamento profundamente a ausência do ministério mais importante, que não compareceu nem mandou representante. Considero isso falta de educação”, reclamou Mourão. (Folha)

A edição de sábado do Meio, exclusiva para assinantes premium, vai além de um tema principal e mergulha em outros assuntos como tecnologia, música e literatura. Quer um exemplo? Já falamos do impacto do ano 1959 na história do jazz, dos rituais diários de artistas, do fotógrafo que popularizou o slogan Black is Beautiful, e até mesmo sobre Computação Quântica. É uma edição feita para ser curtida com calma, no fim de semana. Assine você também.

Embratel

Tech no próximo nível


A combinação entre tecnologia e saúde tem cada vez se tornado mais comum, inclusive para diagnósticos. E o Brasil não está de fora. A startup catarinense CogniSigns, por exemplo, criou uma assistente virtual que por meio de um questionário e visão computacional, auxilia no diagnóstico e tratamento de Transtorno de Espectro do Autismo (TEA). Outras pesquisas pelo país ainda ajudam a identificar, por meio de algoritmos e apps, transtornos mentais e até mesmo apneia do sono em pacientes. Conheça.

Outras startups que com ajuda de tecnologia querem melhorar a saúde mental dos brasileiros. Confira.

Por falar em saúde… Os brasileiros estão mais abertos à telemedicina. Pesquisa do DataFolha, apontou que 73% devem adotar a telemedicina como um hábito em suas vidas.

Grandes empresas de tecnologia estão se juntando para diminuir as emissões de carbono do setor. A Microsoft, junto com outras como Github e Accenture, criou uma fundação para desenvolver padrões e melhores práticas para fazer seu software consumir menos energia. A ideia é que outras companhias se juntem a iniciativa e se crie oportunidades de colaboração entre as empresas. Segundo a Microsoft, nos próximos anos, projeta-se que os data centers em todo o mundo respondam por 3% a 8% da demanda global de eletricidade.

Meio em vídeo. Contar com um serviço de nuvem não é mais uma opção, é uma necessidade para muitos negócios. Documentos, planilhas, dados. Tudo isso precisa estar fácil na palma da mão. E com tantos arquivos sendo produzidos e armazenados, o Centro de Excelência de Cloud (CCoE) se tornou um caminho para gerenciar de forma eficiente essas informações, garantir que estejam 100% seguras e, bem importante, não ter que pagar uma 'fortuna' por isso. Esse é o tema do #MeioDigital desta semana. Assista.

Viver


A confirmação de que um brasileiro que chegou da Índia em Guarulhos (SP) e foi liberado para seguir viagem até o Rio tem a variante indiana da Covid-19 provocou um conflito entre o governo paulista e a Anvisa, responsável pela testagem no aeroporto. O estado diz que o homem não poderia ter circulado livremente pelo terminal nem seguido viagem antes do resultado do teste, enquanto a agência afirma que ele não tinha sintomas e apresentou um exame recente negativo. O caso aumentou a pressão para medidas de controle mais rígidas em portos, aeroportos, estradas e rodoviárias. (G1)

E o Ministério da Saúde reduziu a previsão de vacinas disponíveis em junho em 8,4 milhões de doses. O motivo seria o atraso na produção de vacinas AstraZeneca pela Fiocruz. Já a fundação diz que tem previsões de entregas semanais até o início de julho. (Globo)

Em mais um sinal de recrudescimento da Covid-19 no país, nove capitais e o Distrito Federal já estão com taxa de ocupação acima de 90% nas UTIs. Rio de Janeiro, Curitiba, Recife, São Luís, Natal, Maceió, Aracaju, Campo Grande e Palmas têm as situações mais graves. (Folha)

Nesta quarta-feira foram registradas 2.399 mortes pela doença no Brasil, elevando o total a 454.623 desde o início da pandemia. A média móvel em sete dias de 1.823 óbitos recuou 5% em relação ao período anterior, o que indica estabilidade. (UOL)

Em represália a uma operação da PF contra mineração ilegal, um grupo de garimpeiros incendiou ontem a aldeia da líder munduruku Maria Leusa no Pará. O mesmo grupo teria tentado invadir a base da PF na região. (Folha)

“Vocês não têm salvação. É muita cachaça e pouca oração.” A frase sobre os brasileiros foi dita ontem em tom de piada pelo Papa Francisco. Ao final de uma audiência geral, o Pontífice foi abordado por um padre paraibano que pediu “orações pelos brasileiros” e ouviu o gracejo, registrado em vídeo. (G1)

Panelinha no Meio. Como diz Rita Lobo, se o que não falta no Brasil é motivo para chorar, vamos fazer algo com cebola para não desperdiçar lágrimas. E já que o inverno vem aí, a pedida é uma sopa de cebola gratinada, com direito a um caldo de carne caseiro.

Cultura


A HBO anunciou ontem a data oficial de lançamento na América Latina e Caribe de seu serviço de streaming HBO Max: 29 de junho. Os assinantes do HBO Go vão migrar automaticamente para a nova plataforma. Uma das novidades para o mercado latino-americano é um pacote Mobilie, voltado exclusivamente para celulares e tablets, mais barato que o plano Multitela. (UOL)

E a Amazon confirmou a compra, por US$ 8,45 bilhões (R$ 44,9 bilhões), da Metro-Goldwyn Meyer, um dos mais tradicionais estúdios de Hollywood, cujo acervo passa a ser um trunfo do império de Jeff Bezos na guerra do streaming. (G1)

“As gerações mais jovens glamourizam a vida na estrada. Acham que é ser livre, viver numa van e ganhar dinheiro como influenciador.” A crítica vem de alguém que entende do assunto, a jornalista e escritora Jessica Brunder, autora de Nomadland – Sobrevivendo na América do Século XXI, no qual foi baseado o filme vencedor do Oscar e que está sendo lançado no Brasil. (Globo)

Um dos resultados da desestabilização de regimes e de guerras civis no Norte da África e no Oriente Médio foi o aumento da pilhagem de antiguidades em museus e sítios arqueológicos. Apreendidas em aeroportos franceses, algumas dessas peças estão em exposição no Louvre, enquanto as autoridades buscam os saqueadores e seus possíveis compradores. Um dos objetivos da mostra é tornar esses itens conhecidos, o que dificulta sua venda no mercado ilegal. (Estadão)

Cotidiano Digital


Pela primeira vez, o Uber vai permitir os motoristas se sindicalizarem. O acordo foi feito no Reino Unido entre a empresa e o sindicato GMB, um dos maiores do país. No entanto, o Uber disse que não se envolverá em negociações coletivas sobre ganhos, incluindo a implementação do salário mínimo. Este ano, o Supremo Tribunal inglês decidiu que os motoristas do aplicativo são trabalhadores, com direito ao salário mínimo, férias e pensões. Essa pressão não é exclusiva do país e tem se espalhado pela Europa: o Uber já fechou acordos coletivos para seus entregadores na Itália, enquanto na Alemanha seus motoristas são empregados por meio de empresas de gestão de frotas.

A visualização das curtidas do Instagram está de volta. Agora, o usuário poderá escolher se quer ocultar ou não o número de likes de suas postagens. A funcionalidade também deve chegar ao Facebook em breve.

Mais um viral da internet foi vendido como token não fungível (NFT). O vídeo “Charlie bit my finger” (Charlie mordeu meu dedo) faturou em leilão US$ 760 mil, 14 anos após seu sucesso na web. No entanto, a interação entre os dois irmãos vai sair do YouTube. Segundo a família, a ideia é que o comprador se torne o único dono do vídeo, embora, seja difícil já que foi copiado e compartilhado várias vezes durante o período. Assista.

Pois é… Leilão de memes têm se popularizado. O mais recente foi o Disaster Girl, vendido por mais de US$ 480 mil.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



27 de maio de 2021
Consultar edições passadas