Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



30 de junho de 2021
Consultar edições passadas



Nova denúncia de corrupção nas vacinas deixa governo atordoado


Um dólar por dose de vacina. Essa foi a propina que o diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, teria cobrado pela compra de 200 milhões de novas doses da vacina AstraZeneca. A denúncia é um furo jornalístico da repórter Constança Rezende, que ouviu detalhes do empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira, representante no Brasil da indiana Davati Medical Supply. A cobrança teria acontecido durante jantar em um restaurante em Brasília, no dia 25 de fevereiro. “Não estavam só eu, estavam Dias e mais dois, um militar do Exército e um empresário lá de Brasília”, afirmou. Segundo o intermediário, Dias disse que, “para trabalhar dentro do ministério, tem que compor com o grupo”, sem explicar a quem se referia. “Se pegar a telemetria do meu celular, as câmeras do shopping, do restaurante, qualquer coisa, vai ver que eu estava lá com ele.” No dia seguinte, os dois tiveram uma reunião oficial que incluía o coronel Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério levado pelo general Eduardo Pazuello. Segundo Pereira, Dias saiu da sala e de fora lhe telefonou, perguntando se “teria acerto”, o que foi rejeitado. O valor da propina chegaria a cerca de R$ 1 bilhão, o negócio não foi fechado. (Folha)

Ainda na noite de ontem o Planalto decidiu exonerar Roberto Dias, que é tido como indicação do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), embora este negue. O governo sequer tentou negar. Em depoimento à CPI da Pandemia, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) afirmou ter ouvido do próprio presidente Jair Bolsonaro que as irregularidades na compra de outra vacina, a Covaxin, pelo Ministério da Saúde seriam “rolo” de Barros. (CNN Brasil)

E o deputado Luís Miranda apimentou ainda mais o caso da Covaxin. Ele afirma ter recebido sugestão de propina para que seu irmão, o funcionário do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, parasse de criar problemas na compra da vacina. O autor da oferta, segundo ele, foi o lobista Silvio Assis, e uma segunda reunião para tratar da oferta teria contado com a presença de Ricardo Barros. (Crusoé)

A CPI pretende convocar Luiz Paulo Dominguetti Pereira para que confirme pessoalmente sua denúncia. Em rede social, o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que pretende ouvir o empresário ainda nesta sexta-feira. A AstraZeneca informou que não opera com intermediários, mas a Davati, sediada nos EUA, confirmou que um de seus representantes no Brasil pediu ajuda na compra de vacinas, mas que a proposta enviada ao governo não foi respondida. (G1)

Antes que a nova denúncia explodisse, o Ministério da Saúde procurou fazer uma contenção de danos suspendendo o contrato para a compra da Covaxin. Segundo o ministro Marcelo Queiroga, a suspensão aconteceu por orientação da Controladoria-Geral da União (CGU) “para que análises mais aprofundadas sejam feitas”. (UOL)

Os trabalhos da CPI da Pandemia estão previstos para terminar em 7 de agosto, mas o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse já ter 34 assinaturas pedindo sua prorrogação por mais três meses, sete a mais que o mínimo necessário. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), porém, disse que ainda vai esperar o fim do prazo para se pronunciar. (Folha)

Enquanto isso... A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que aguarde a conclusão da CPI para decidir sobre o pedido de investigação contra Bolsonaro por prevaricação. (Globo)

Apoio, sim; participação, bem... Cruciais nos protestos de 2015 e 2016 contra Dilma Rousseff, movimentos conservadores como o MBL e o Vem Pra Rua estão à margem dos atos pelo impeachment de Jair Bolsonaro, embora também desejem vê-lo fora do Planalto. No MBL, um grupo trabalha no “convencimento dos militantes” e tenta conseguir adesão de outros movimentos fora da esquerda, que atualmente monopoliza os protestos. Oficialmente, tanto MBL quanto o Vem Pra Rua dizem que não vão para a rua por conta da pandemia de Covid-19. (Veja)

Ontem, no Twitter, um dos principais líderes do MBL se manifestou. “Tudo se encaminha pra um gigantesco esquema de roubo de vacina. Não da pra não ir pra rua. Repito: é minha posição pessoal. Mas não dá pra fugir dessa discussão mais.” (Twitter)

Partidos políticos, movimentos sociais de diferentes matizes e até ex-aliados protocolam hoje na Câmara um superpedido de impeachment contra Jair Bolsonaro reunindo em um só documento os 120 pedidos de dormem na gaveta do presidente da Casa, Artur Lira (PP-AL). Mas mesmo os organizadores reconhecem que será necessária pressão das ruas para que o pedido prospere, pois o presidente ainda tem no centrão uma base para barrá-lo. (Folha)

Meio em vídeo. Ainda há tempo para o impeachment do presidente Jair Bolsonaro? A articulação com o centrão parecia protegê-lo. Mas, agora, o jogo pode virar e a ameaça é uma das vacinas para a Covid-19: o caso Covaxin. Para entender como o impeachment funciona, os critérios para sua aplicação e o que a história nos diz sobre os presidentes afastados, o Conversas com o Meio recebeu o professor da Faculdade de Direito da USP Rafael Mafei, autor do livro Como Remover um Presidente. Confira no YouTube.

Está difícil acompanhar as notícias, não é? Anda tudo muito rápido, muito dinâmico e barulhento. O Meio te ajuda a separar o que é importante. Aos sábados, uma edição especial em que te oferecemos um contexto sobre grandes temas do momento. Assine o Premium e não perca tempo no seu dia.

Finanças em Dia

Finanças em Dia


As fintechs e contas digitais estão crescendo. Só em 2020 no Brasil, foram abertas cerca de 67 milhões de contas 100% digitais, superando as expectativas. Ao mesmo tempo, uma parcela da população continua resistente aos meios digitais — das pessoas que possuem pleno acesso à internet, 28% delas parecem não ter migrado suas finanças para o digital em 2020. Associar a educação financeira à tecnologia pode ajudar, não só a tornar o processo mais simples, mas principalmente mais efetivo para a realização de suas metas e sonhos. Entenda como a digitalização pode ajudar no controle das suas finanças.

Pois é… Um sistema financeiro aberto permitirá no futuro acessar o seu banco por meio da rede social. A previsão é do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Para ele, a tendência se confirma com a entrada de empresas de mídias sociais e big techs no mercado financeiro, como os pagamentos pelo WhatsApp. Os usuários terão cada vez mais poderes sob os seus dados e mais a longo prazo, isso se refletirá na redução nos juros e tarifas. (Folha)

Quase metade dos brasileiros teve que buscar recursos financeiros extras durante a pandemia. Segundo pesquisa da EY Brasil, destes, 14% buscaram empréstimos, metade delas com familiares e o restante com instituições financeiras. A grande maioria (78%), buscou por bancos tradicionais, mas 15% procuraram fintechs e bancos digitais. (InfoMoney)

Então… Dicas de como criar uma reserva de emergência. (Valor Investe)

Viver


Postos de saúde da capital paulista voltaram a ficar sem CoronaVac para a aplicação da segunda dose. Na semana passada, toda a vacinação em São Paulo foi interrompida por falta de imunizantes, e a prefeitura admitiu ter usado as reservas para a segunda dose. (UOL)

Mas há uma boa notícia em outra área. Segundo o Imperial College de Londres, a taxa de transmissão no Brasil, que há uma semana era de 1,13, recuou para 0,98, a menor em 40 dias. Isso significa que cem pessoas contaminadas passam o Sars-Cov-2 para outras 98, indicando desaceleração da doença. (Globo)

Nesta terça-feira o Brasil registrou 1.917 mortes por Covid-19, elevando o total a 516.119, segundo levantamento de veículos de comunicação junto aos estados. A média móvel de óbitos em sete dias, 1.603, teve a terceira queda consecutiva, mas ainda em um patamar elevado. (G1)

Nos EUA, cientistas da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) desenvolveram uma máscara facial que é capaz de detectar a presença do coronavírus em até 90 minutos após ser usada por meia hora. Segundos os criadores da máscara, ela tem a mesma precisão de um teste PCR e a um custo bem menor, equivalente a R$ 25. (Estadão)

Começam hoje e vão até 14 de julho as inscrições para o Enem 2021, cujas provas estão previstas para 21 e 28 de novembro. A taxa é de R$ 85, e o estudante deve escolher a prova escrita ou a digital ao se inscrever na página do participante, do Inep. (Folha)

Sabem quando alguém de fora chega num grupo e as pessoas mudam a conversa e até o jeito de falar para agregar o forasteiro? É mais ou menos o que acontece quando um bando de sauim-de-mãos-douradas (Saguinus midas) interage com os sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), duas espécies de macacos nativas da Amazônia. Nesses casos, constaram cientistas, os mãos-douradas adotam uma “linguagem” semelhante à da outra espécie e diferente da que usam sozinhos. Já os coleira são monoglotas, “falam” do mesmo jeito em qualquer situação. (Folha)

Cultura


Pelo apertado placar de três votos a dois, a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça decidiu que Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá podem usar o nome Legião Urbana. O uso da marca era questionado por Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, cujos advogados já avisaram que vão recorrer ao STF. (Metrópoles)

Nove anos depois de serem roubadas da Galeria Nacional da Grécia, duas telas de valor inestimável foram recuperadas pela polícia grega. Cabeça de Mulher, do espanhol Pablo Picasso, e Moinho, do holandês Piet Mondrian, estavam escondidas em uma área rural a 45 km de Atenas. O roubo, em 2012, teve lances cinematográficos. Os dois ladrões acionaram diversos alarmes ao longo da madrugada para despistar os seguranças, mas só entraram no museu no início da manhã. Na fuga, uma segunda obra de Mondrian que havia sido retirada da moldura foi deixada para trás.  (Estadão)

Desde a manhã de ontem já está disponível o HBO Max, serviço de streaming que substitui o HBO Go. Para muitos, aliás, esse é um dos maiores atrativos da novidade, deixar o sistema antigo para trás. A tela inicial e o sistema de buscas estão mais eficientes, e foi adicionada a funcionalidade “continuar de onde parou”, que fazia falta no Go. Mas ainda está longe de ser a Netflix, com a qual compartilha algumas falhas, como a dificuldade de achar filmes clássicos. Quem tem a HBO no pacote de TV por assinatura ou já usava o Go pode migrar automaticamente. (Folha)

A Amazon confirmou ontem que a série Good Omens, baseada em livro de Neil Gaiman e Terry Pratchett, terá uma segunda temporada de seis episódios. Michael Sheen e David Tennant retomam os papéis do anjo Aziraphale e do demônio Crowley, agora numa trama inédita. O próprio Gaiman comemorou num tuíte. (Deadline)

Cotidiano Digital


Os tokens não fungíveis (NFTs) cada vez mais entram no mundo da arte. Em Tóquio foi inaugurada a CripTokio, exposição com 150 obras em NFTs que variam entre US$ 40 mil e US$ 50 mil. As artes expostas podem ser compradas no local ou em plataforma de criptomoedas. (Estadão)

Enquanto Nova York vai ganhar o maior museu de NFT do mundo.

A migração de usuários para redes sociais de direita desacelerou nos EUA. Quase todas as grandes plataformas conservadoras viram uma queda expressiva nos downloads desde a invasão ao Capitólio em janeiro — a maior queda foi no Parler, espécie de Twitter da extrema-direita que foi bloqueado pela Amazon, Google e Apple. Apesar de ainda em desaceleração a versão do YouTube da direita, o Rumble, é o que mais ganha seguidores dentre as opções. Um deles é o ex-presidente Donald Trump, que entrou na rede no sábado (26). (Axios)

Meio em vídeo. O Twitter anunciou duas novidades, o “ticketed spaces” e o “super follows”, que vão permitir os influenciadores ganhem dinheiro com a venda ingressos e de conteúdos exclusivos para suas audiências, como numa espécie de 'assinatura premium' de materiais. Confira o Pedro+Cora no YouTube.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



30 de junho de 2021
Consultar edições passadas