Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



6 de outubro de 2021
Consultar edições passadas



Câmara convoca Guedes para explicar offshore


A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara convocou o ministro da Economia, Paulo Guedes, para explicar a manutenção de uma empresa offshore no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. Os deputados suspeitam de conflito de interesses, uma vez que a política de desvalorização do real elevou o patrimônio da empresa de Guedes. Por ser uma convocação, o ministro é obrigado a comparecer. Já a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado apenas convidou Guedes e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, que também tem offshores. Os senadores pretendem indagar sobre a atuação de Guedes para tirar do projeto de reforma do Imposto de Renda a taxação de ganhos no exterior, o que o beneficiaria diretamente. (Folha)

O Ministério Público pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investigue Guedes e Campos por conflito de interesses. O fato de os dois terem empresas em paraísos fiscais – nos dois casos declaradas à Receita Federal – foi revelado nos Pandora Papers, o maior levantamento já feito sobre bens de autoridades e empresários de todo o mundo, incluindo Brasil, nesse tipo de refúgio financeiro. (Metrópoles)

Thomas Traumann: “O ministro da Economia, Paulo Guedes, não vai sair do governo. Como Jair Bolsonaro disse no dia 27 de setembro, antes da divulgação do caso da offshore, “se for para trocar tem que trocar por alguém com uma política diferente da dele”. Como Bolsonaro não tem essa opção à mão, Guedes vai ficando.” (Veja)

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), confirmou nesta terça-feira que vai propor em seu parecer o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro, além de ministros e integrantes do chamado “gabinete paralelo”, num total estimado de 30 pessoas. “Não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório”, disse. A previsão do presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), é que o relatório de Renan seja lido no dia 19 e votado no dia 20, encerrando os trabalhos da CPI. Após a eventual aprovação, o documento é encaminhado ao Ministério Público, a quem cabe decidir sobre os indiciamentos. (g1)

Aliás... Por conta da quebra de sigilos, CPI descobriu que a Prevent Senior criou um grupo de Whatsapp para abastecer o governo com informações sobre o tratamento com o “kit covid” nos pacientes da operadora de saúde, algumas vezes sem o consentimento destes. Entre os integrantes do grupo estavam blogueiros e empresários bolsonaristas, como Allan do Santos e Patrick Folena. (CNN Brasil)

E já está claro que a Prevent Senior não era a única operadora de saúde parceira do governo na campanha por tratamentos ineficazes. Um vídeo de julho do ano passado mostra a secretária de Gestão e Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”, e o superintendente nacional da Hapvida, Anderson Nascimento, defendendo o “kit covid”. (Globo)

A volta do presidente Jair Bolsonaro ao PP, partido ao qual foi filiado entre 2005 e 2016, está 90% certa, na avaliação do presidente interino do partido, o deputado André Fufuca (MA). Segundo o parlamentar há poucos estados contra, especialmente no Nordeste, “mas nada demais”. Fufuca diz que Bolsonaro não exigiu o controle da legenda, mas quer escolher os candidatos ao Senado em alguns estados. (Metrópoles)

Meio em vídeo: Miguel Lago, diretor-executivo do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde e professor na Sciences Po e de Columbia, é o entrevistado do Conversas com o Meio nesta terça. Pedro Doria debate com Miguel a teoria deste segundo a qual Jair Bolsonaro é um revolucionário, e que um candidato populista é um contraponto para vencê-lo nas eleições. Confira. (YouTube)

Em encontro com o ex-presidente Lula (PT) em Brasília, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, descartou uma aliança já no primeiro turno, dizendo que seu partido pretende lançar candidato próprio. Kassab, que foi ministro nos governos Dilma e Temer, quer trazer para o PSD e lançar candidato ao Planalto o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), hoje filiado ao DEM. (Globo)

O Comitê da ONU dos Direitos da Criança (OHCHR) emitiu uma nota condenando o presidente Jair Bolsonaro por exibir num evento uma criança de seis anos com uma arma de brinquedo “para promover sua agenda política”. A condenação, no caso, não implica qualquer punição, é apenas um constrangimento moral. (UOL)

A Câmara aprovou na noite de ontem a nova versão mais gentil da Lei de Improbidade Administrativa. Entre outras mudanças está a volta da contratação de parentes, que só será punida se for comprovada a intenção de lesar o patrimônio público. O Senado havia mantido a proibição do nepotismo, mas os deputados derrubaram a mudança. Segundo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), a nova versão da lei vai tornar prescritos até 40% dos processos por improbidade e beneficiar diretamente o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). (UOL)

Economia não é só a cotação do dólar. Quem é assinante Premium do Meio lê, todos os dias, uma editoria exclusiva de economia e fica sabendo quais são os temas quentes do momento. Assine o Premium e descubra que economia não é um bicho de sete cabeças.

Cotidiano Digital


Como se não bastasse a pane global que deixou o Facebook, WhatsApp e Instagram fora do ar na tarde de segunda-feira, a gigante de tecnologia comandada por Mark Zuckerberg tem outro problema ainda mais grave pela frente. Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook responsável por uma série de vazamentos bombásticos da empresa e publicados pelo jornal americano The Wall Street Journal, prestou depoimento nesta terça-feira ao Senado americano. A ex-funcionária, de 37 anos, revelou sua identidade no último domingo, quando foi entrevistada pela rede americana CBS. Em depoimento na audiência que ocorreu um dia após o apagão mundial que afetou bilhões de usuários e expôs a dependência mundial dos serviços do Facebook, Haugen alertou para o risco de não criar novas defesas contra uma plataforma que revela pouco sobre seu funcionamento. Além disso, a ex-gerente ressaltou o perigo do poder nas mãos de uma empresa cujos produtos se tornaram tão necessários na vida de tantas pessoas. “Acredito que os produtos do Facebook prejudicam as crianças, intensificam a divisão e enfraquecem a nossa democracia”, disse Haugen. Em seu discurso, Frances acrescentou: “A empresa esconde intencionalmente informações essenciais aos usuários, ao governo dos Estados Unidos e aos governos do mundo todo” (...) “quase ninguém fora do Facebook sabe o que acontece dentro do Facebook. (g1)

Agora, os senadores americanos querem que Mark Zuckerberg responda às perguntas sobre a rede social no Congresso dos EUA. “Mark Zuckerberg deveria estar se olhando no espelho hoje e, no entanto, em vez de assumir a responsabilidade e mostrar liderança, o Sr. Zuckerberg está navegando”, disse o senador Richard Blumenthal. O político se referiu ao vídeo postado pelo CEO do Facebook que o mostrava velejando com sua mulher, Priscilla Chan, durante a transmissão da entrevista de Frances Haugen no domingo. Zuckerberg foi convidado a depor voluntariamente. (CNBC)

Depois da audiência com a ex-gerente de produto, a porta-voz do Facebook, Lena Pietsch, rebateu o discurso de Haugen no Congresso. “Todos os dias nossas equipes precisam equilibrar a proteção da capacidade de bilhões de pessoas de se expressarem abertamente com a necessidade de manter nossa plataforma um lugar seguro e positivo.” (CNN Business)

Natural de Iowa, nos Estados Unidos, Frances Haugen é formada em engenharia elétrica e de computação pelo Olin College em Massachusetts e fez MBA em Harvard. Foi contratada pelo Facebook em 2019 para ser gerente de produto líder da equipe de desinformação cívica. Saiba quem é a delatora. (BBC News Brasil)

Esta é apenas a mais recente de uma série de crises que atingem o gigante do Vale do Silício. Há anos, os congressistas americanos ameaçam regulamentar os negócios do Facebook e de outras plataformas da rede social por conta de seus impactos na privacidade, desinformação e o bem-estar dos jovens. (g1)

Polêmicas do Facebook à parte, a Microsoft lançou a versão oficial do Windows 11 nesta terça. A liberação do novo sistema operacional será realizada gradativamente. (g1)

Viver


O Nobel de Química de 2021, anunciado há pouco, foi para o alemão Benjamin List e o britânico David W.C. MacMillan pelo desenvolvimento de novas ferramentas para a construção de moléculas. Suas pesquisas beneficiam a criação de remédios e processos químicos menos poluentes. (Twitter)

Ao longo de 70 anos, mais de 200 mil crianças e adolescentes foram vítimas de abusos sexuais por parte de clérigos católicos na França, segundo relatório divulgado ontem. E o número não inclui casos de abusos por parte de leigos ligados à Igreja, como diretores de escolas confessionais. (CNN Brasil)

Pelo segundo dia consecutivo a média móvel de mortes em sete dias por covid-19 no Brasil ficou abaixo de 500. Nesta terça-feira foram registrados 686 óbitos, fazendo uma média de 479 e elevando o total de vítimas a 598.871. Embora esteja abaixo dos 500 mortos, a média apresenta tendência de estabilidade em relação ao período anterior. Somente seis estados - CE, SE, AP, PI, RS, MG – e o Distrito Federal tiveram tendência de alta. (g1)

Também ontem o país superou a marca de 95,1 milhões de pessoas completamente imunizadas contra a covid-19, o que equivale a 44,61% da população com duas doses ou dose única. É muita gente, mas ainda está longe dos 70% considerados mínimos para que uma doença esteja sob controle. (UOL)

Três estudos diferentes no Brasil confirmaram que hoje a maioria dos casos graves e mortes por covid-19 no país atinge pessoas que não tomaram a vacinação completa. Em São Paulo, por exemplo, o total de óbitos entre pessoas não vacinadas foi quase 15 vezes maior que entre os imunizados, segundo o Instituto de Infectologia Emílio Ribas. (Jornal Nacional)

A Terra está ficando mais escura, e a culpa é das mudanças climáticas, segundo estudo do Instituto de Tecnologia de Nova Jersey, nos EUA. Ao longo de 20 anos os pesquisadores mediram o brilho do planeta, ou seja, a luz do Sol que ele reflete de volta ao espaço, e constataram uma redução de 0,5%. Um dos motivos é a diminuição da cobertura de nuvens, responsáveis por refletir a luz, decorrente das mudanças no clima do planeta. (g1)

Cultura


Ambientada 200 anos antes dos acontecimentos de Game of Thrones, a série House of the Dragon ganhou ontem seu primeiro teaser. Prevista para estrear em janeiro do ano que vem, a série promete ser fiel ao livro Fogo & Sangue, de George R.R. Martin, até porque ele próprio fez o roteiro, em parceria com Ryan Condal. Aliás, Martin não deveria estar sentado na frente do computador redigindo a conclusão (digna, esperamos) das Crônicas de Gelo e Fogo? (g1)

Morreu ontem no Rio, aos 70 anos, a fotógrafa e cantora Lizzie Bravo, vítima de complicações de uma cirurgia cardíaca. Em janeiro de 1968, curtindo uma viagem a Londres que ganhara dos pais, ela e outras adolescentes estavam aglomeradas na frente do estúdio de Abbey Road na esperança de ver de perto os Beatles, seus ídolos. Eis que surgiu Paul McCartney e perguntou se alguém ali sabia sustentar uma nota aguda. A brasileira de 17 anos levantou a mão e acabou fazendo o coro da versão de Across The Universe lançada em compacto e depois incluída na coletânea Past Masters (YouTube). De volta ao Brasil e nas décadas seguintes, Lizzie gravou com nomes como Joyce, Djavan, Milton Nascimento, Zé Ramalho, Egberto Gismonti e o então marido Zé Rodrix. Mas os Beatles são os Beatles, não é? (UOL)

Cinema-realidade chega a outro nível. A atriz Yulia Peresild, de 36 anos, e o cineasta Klim Shipenko, de 38, ambos russos, decolaram ontem num foguete Soyuz em direção à Estação Espacial Internacional. Ao longo de 12 dias eles vão filmar o longa-metragem O Desafio, sob a supervisão do cosmonauta Anton Shkaplerov. Filmes em que a ação se passa em gravidade zero normalmente usam efeitos especiais ou aviões que sobem a grandes altitudes e mergulham, simulando a falta de peso. Tom Cruise pretende fazer um filme no espaço com a ajuda Space X de Elon Musk. Só que, como em quase tudo na corrida espacial, faltou combinar com os russos. (Estadão)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



6 de outubro de 2021
Consultar edições passadas