Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



25 de novembro de 2021
Consultar edições passadas



Moro em terceiro, Pacheco candidato, a eleição engrena


Em apenas uma semana, as peças da eleição se mexeram rapidamente. Recém-lançado ao Planalto, o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro apareceu forte na primeira pesquisa conhecida, do PoderData, e é o candidato com menor diferença de votos para o ex-presidente Lula no segundo turno. A União Brasil, que nasce do encontro entre DEM e PSL e tem direito à maior cota do Fundo Eleitoral, já acena querendo a vice de Moro. Tendo percebido o movimento, o PSD se apressou ontem ao lançar seu candidato, o presidente do Senado Rodrigo Pacheco, que tenta emplacar a ideia de que é um novo JK. Nem todos, porém, têm habilidade de se mover. Os tucanos já estão partindo para o terceiro app e ainda não conseguiram realizar suas prévias.

Se o segundo turno das eleições de 2022 fosse hoje, Lula (PT) venceria em todos os cenários, mas teria mais trabalho contra Moro (Podemos), segundo levantamento do PoderData. Contra o ex-juiz da Lava-Jato, Lula teria 48% e, Moro, 31%. Já no confronto com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o petista venceria por 54% a 31%. Nas simulações de primeiro turno, Lula lidera com 34%, seguido de Bolsonaro, com 29%. Moro, o ex-ministro Ciro Gomes e o eventual candidato do PSDB vêm em empate técnico dentro da margem de três pontos. O cenário com o governador paulista João Doria, Moro aparece com 8%, Ciro com 7% e Doria com 5%. Com o gaúcho Eduardo Leite, que também tem 5%, Ciro vai a 9% e Moro fica em quarto com 8%. (Poder360)

O União Brasil, resultado de fusão do DEM com o PSL, sepultou a ideia de ter candidato próprio ao Planalto no ano que vem. Durante encontro ontem, os principais caciques do novo partido avaliaram que Moro é a “única terceira via possível” para fazer frente a Jair Bolsonaro (sem partido) e Lula (PT). O sonho do União Brasil é que seu quase presidenciável, o também ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, seja vice na chapa de Moro. (Poder360)

Bela Megale: “Duas semanas depois da filiação de Moro, outro ex-ministro de Bolsonaro formalizará sua entrada no Podemos. O general Santos Cruz vai se filiar hoje à legenda em um evento em Brasília. Ele vai disputar um cargo no Congresso Nacional — no Senado ou na Câmara dos Deputados.” (Globo)

Num discurso em Brasília cheio de referências a Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), foi aclamado por correligionários como pré-candidato da legenda ao Planalto em 2022. Pacheco disse que, nas eleições, estará “de corpo, alma, mente e coração a serviço do partido e a serviço do Brasil” e criticou a “política do radicalismo, do ódio e sem inteligência” que tem “arruinado o Brasil”. (Veja)

O PL aceitou as condições do presidente Jair Bolsonaro para se filiar à legenda, o que implica romper acordos já firmados. O principal deles é em São Paulo, onde o partido estava fechado com Rodrigo Garcia (PSDB). Bolsonaro quer o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles concorrendo, respectivamente, ao governo e ao Senado. Falta convencer Tarcísio, que tem domicílio eleitoral em Goiás e pouca visibilidade eleitoral em São Paulo. (Folha)

A Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), responsável pelo aplicativo de votação das prévias do PSDB, afirmou em nota que a ferramenta pode ter sofrido um ataque hacker. No último domingo, uma instabilidade no aplicativo impediu que 92% dos filiados habilitados votassem, levando o partido a suspender a consulta. Em nota a instituição atribuiu o problema a um “congestionamento de acessos incompatível com o número de eleitores cadastrados”, daí a suspeita de uma invasão. E os tucanos estão ficando sem opções. Os testes com a ferramenta de uma segunda empresa fracassaram, deixando o partido sem data para retomar a votação. Paralelamente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cobrou explicações sobre a pane, atendendo a pedido de um filiado da legenda. (Metrópoles)

O senador Tasso Jereissati (CE) juntou ontem ex-presidentes do PSDB, conta Ana Flor. Vai pressionar com eles o atual comando da legenda para que convoque a Polícia Federal para investigar a possibilidade de um ataque externo às prévias do partido. (g1)

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que a sabatina do ex-advogado-geral da União André Mendonça deve acontecer na próxima semana. Ele foi indicado em julho pelo presidente Jair Bolsonaro a uma vaga no Supremo Tribunal Federal, mas Alcolumbre se recusava a dar andamento à nomeação. (g1)

Pelo menos 15 dos 27 integrantes da CCJ devem votar a favor de Mendonça. (Globo)

O ministro do STJ João Otávio de Noronha determinou ontem que o MP do Rio não pode usar, no caso das “rachadinhas” na Alerj, qualquer uma das provas contra o hoje senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) consideradas ilegais pela corte. Assim, o caso só poderá andar se os procuradores apresentarem uma nova denúncia contra o Zero Um. (CNN Brasil)


Dois meses após as eleições que puseram fim à Era Merkel, os Partido Social-Democrata (SPD) chegou a um acordo com o Partido Verde e os liberais para formar uma coalizão no Bundestag (Parlamento). A conclusão das negociações deixa Olaf Scholz, líder do SPD, a um passo do posto de chanceler, equivalente a primeiro-ministro. A eleição no parlamento acontecerá no próximo dia 6. (UOL)

Sérgio Abranches: “Foi uma negociação relativamente rápida e estritamente programática, embora dura em determinados momentos, que definiu com clareza a prioridade do novo governo: combater a pandemia, consenso geral; aumentar o salário mínimo, dogma social-democrático; acelerar a trajetória de abandono do carvão, simultaneamente expandindo a energia renovável para 80% da matriz até 2030, e legalizar a maconha, princípios essenciais do programa Verde; sem aumentar impostos, o dogma dos liberal-democratas.”

Pelo menos 31 imigrantes morreram ontem quando o barco que os levava para o Reino Unido naufragou no Canal da Mancha. Outros 26 foram salvos por barcos franceses. (g1)

Não há democracia, dizia Thomas Jefferson, sem eleitores informados. Mas, no século 21, os veículos tradicionais perderam o encaixe na vida. Mas o Meio encaixa. A gente já resolve para você, de segunda a sexta, o problema das notícias. Podemos resolver também o do contexto, da profundidade, com a edição de sábado. Assine. Não vai se arrepender. É tão barato…

Embratel

Tech no próximo nível


Com a pandemia, os processos automatizados se tornaram recorrentes nas empresas. Porém, os esforços de modernização com RPA (sigla em inglês para Automação Robótica de Processos) ainda apresentam um desafio: são robôs configurados por regras e que, geralmente, atuam em tarefas individuais, mas não em toda a cadeia de processos de uma empresa. Por conta disso, a visão computacional e scripts gerados por Inteligência Artificial são alguns fatores que podem aprimorar uma automação inteligente dentro da organização. Entenda.

O Google usará robôs desenvolvidos pela X, divisão de inovação de sua controladora Alphabet, para fazer múltiplas tarefas em seus escritórios nos Estados Unidos. A divisão já opera mais de 100 protótipos de máquinas nos ambientes de trabalho da companhia. Os dispositivos podem fazer várias funções, como organizar o lixo, limpar mesas, organizar cadeiras e abrir portas. (g1)

Meio em vídeo. Imagine poder ter uma nuvem, onde você armazena todos os dados da sua empresa, de forma econômica e sustentável. Agora pense: e se ela estiver no fundo do mar? Será que é possível? Confira no Meio Digital. (YouTube)

Viver


O governo de São Paulo anunciou ontem que vai suspender no dia 11 de dezembro a obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços abertos. “O uso de máscaras continuará sendo obrigatório no uso de áreas internas e para estações e centrais de transporte público do estado de São Paulo, mesmo que a céu aberto”, disse o governador João Doria. A capital deve seguir o mesmo cronograma. Ao mesmo tempo, o estado pretende fazer uma série de mutirões até dezembro para aplicar a vacinação completa em 90% da população. Hoje esse total número está em 74,4%. (UOL)

Enquanto isso... Contrariando o Ministério da Saúde, a Anvisa recomendou ontem que a doses de reforço sejam da mesma vacina usada nas duas imunizações. O ministério havia determinado que o reforço fosse feito somente com vacinas da Pfizer. (Metrópoles)

Veja os números dos casos e óbitos e da vacinação contra a covid-19 no Brasil. (g1)

Pelo menos 300 balsas e dragas de garimpo estão atracadas no Rio Madeira, na altura da comunidade de Rosário, município de Autazes (AM). Elas chegaram há cerca de 15 dias, após circular a informação de que há ouro na região. O Ministério Público Federal pediu a retirada imediata dos garimpeiros, já que á prática, altamente predatória, é proibida no local. (g1)

Para ler com calma. A energia eólica, considerada paradigma da geração limpa de eletricidade, está provocando avanço do desmatamento na Amazônia equatoriana. É de lá que vem a balsa, uma madeira muito leve e resistente usada na estrutura das hélices. Como as empresas que fazem a extração legal não dão conta da demanda crescente, cresce o número de balseros clandestinos, que derrubam árvores sem controle. (El País Brasil)

Panelinha no Meio. A vida não está fácil para ninguém, e as festas de fim de ano vão ter um orçamento mais apertado. Então, em vez do peru, vamos com um frango assado com laranja e alecrim, que pesa menos no bolso e não fica atrás quanto ao sabor.

Cultura


Finalmente vamos ter a chance de conhecer o representante brasileiro na corrida pelo Oscar. Deserto Particular (trailer), de Ary Muritiba, é o principal destaque nas estreias de hoje nos cinemas. Escolhido Melhor Filme pelo público no Festival de Veneza e pelo júri no Mix Brasil, o longa conta a história de Daniel (Antonio Saboia), um policial de Curitiba que, afastado das funções, cruza o país atrás de uma paixão virtual. Outro lançamento aguardado é Casa Gucci (trailer), de Riddley Scott, estrelado por Lady Gaga, Adam Driver, Al Pacino e outros do mesmo calibre. Entre muito luxo e sotaques caricatos, conhecemos a história de cobiça e morte por traz de um império da moda. E, para as crianças, há Encanto (trailer), animação da Disney passada na Colômbia.

Confira a programação completa em sua cidade. (Adoro Cinema)

As novidades na telona são importantes, mas há uma imperdível na telinha. Estreia hoje, no Disney+, Get Back (trailer), série em três episódios na qual Peter ‘Senhor dos Anéis’ Jackson revisita os ensaios e gravações de Let It Be (Spotify) e os preparativos para a lendário apresentação dos Beatles no terraço da (gravadora) Apple, em Londres, em 1969. Assista. Jackson mergulhou nas 57 horas de filmagens para o documentário Let It Be, de 1970, dirigido por Michael Lindsay-Hogg, mas saiu com um resultado diametralmente oposto. O filme original é depressivo, o retrato de uma banda se despedaçando, com a presença opressiva de Yoko Ono. Jackson mostra os Beatles alegres no estúdio, brincando entre si e com parceiros, e ressalta que a namorada de Lennon se dava bem com a banda e não era a única digníssima no estúdio. Os Fab Four, aliás, ainda gravariam outro disco, Abbey Road (Spotify), antes de se separarem, mas Let It Be acabou lançado depois, como trilha-sonora do filme de Lindsay-Hogg. (CNN Brasil)

Cotidiano Digital


A Apple abriu um processo contra a empresa israelense NSO Group, criadora do programa de espionagem Pegasus. O software pode invadir iPhones e celulares Android para acessar dados, ativar câmera e microfone. A ferramenta teria sido usada para espionar jornalistas, grupos de ativistas e políticos de oposição em 50 países. Na ação, a Apple quer responsabilizar a NSO Group e impedir o uso do software. (g1)

Depois de a China banir criptomoedas no país, o governo indiano anunciou que também pretende proibir transações privadas de criptoativos e lançar sua própria moeda oficial. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, disse na semana passada que as criptomoedas podem “estragar nossa juventude” e o que o banco central do país tem alertado, em linha com outros bancos centrais, que elas podem representar “sérias preocupações sobre a estabilidade macroeconômica e financeira”. (The Guardian)

Enquanto isso, o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, disse que o país vai construir a Bitcoin City, a primeira metrópole da espécie no mundo. Desde o dia 7 de setembro, o Bitcoin é moeda oficial no país caribenho. (TecMundo)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



25 de novembro de 2021
Consultar edições passadas