Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



21 de dezembro de 2021
Consultar edições passadas



Governo resiste à vacinação de crianças


A resistência do governo Bolsonaro à vacinação de crianças contra a Covid-19 provocou uma crise na Câmara Técnica Assessora de Imunização (CTAI) Covid-19, como revela Malu Gaspar. Na última sexta-feira, quando o grupo se reuniu para avaliar liberação pela Anvisa da imunização na faixa dos cinco aos 11 anos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pressionou os técnicos a adiarem qualquer decisão até que fosse ouvido um grupo de médicos contrários à vacinação e defensores de tratamentos ineficazes. Os integrantes da CTAI ameaçaram entregar os cargos e aprovaram por unanimidade a recomendação da Anvisa, reforçando a posição com uma nota no dia seguinte. (Globo)

Ontem pela manhã, Queiroga ignorou a posição da CTAI e disse que ainda esperava dados da Anvisa, afirmando que o ministério não agiria a partir de um “comunicado público” e que a pressa era “inimiga da perfeição”. A agência reagiu dizendo não ter recebido do ministério pedido de novos documentos e que o envio de dossiês sobre medicamentos não era exigência legal nem praxe. O governo, porém, ganhou tempo. O ministro do STF Ricardo Lewandowski aceitou o pedido da Advocacia Geral da União e estendeu para o dia 5 de janeiro o prazo para que o governo dê explicações sobre como será a vacinação de crianças. (g1)

Enquanto o governo federal não age, o Fórum de Governadores está tentando comprar diretamente da Pfizer doses de vacinas pediátricas, informou o coordenador do grupo, Wellington Dias, do Piauí. (CBN)

E a Anvisa anunciou que deve avançar nesta semana a análise do pedido de liberação da CoronaVac para crianças de três a 11 anos. O Instituto Butantan, responsável pela vacina, já teve um pedido negado, mas enviou novos documentos à agência. (g1)

Nesta segunda-feira o governo anunciou que será aplicada uma quarta dose de vacina contra Covid-19 em imunossuprimidos devido à “tendência de redução da efetividade” dos imunizantes com o tempo. Também ontem foi publicada a portaria sobre a entrada de viajantes no país com a exigência de comprovante de vacinação, seguindo decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso. Brasileiros e estrangeiros que vivam no país estão dispensados da exigência, precisando cumprir quarentena de cinco dias e apresentar testes negativos. (Metrópoles)

Enquanto isso... A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou ontem que a variante ômicron do sars-cov-2 também contamina pessoas que foram vacinadas ou se curaram da Covid-19. Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS, a nova cepa também vem se espalhando num ritmo maior que a delta, até então a variante dominante no mundo. Ontem o Rio de Janeiro confirmou o primeiro caso da ômicron na cidade. (UOL)

Entre janeiro e novembro deste ano a Amazônia perdeu 10.222 km² de floresta, segundo o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). É 31% a mais que no ano passado e o pior número em dez anos (O Eco)

A despeito dos filmes de ficção científica, o som não se propaga no espaço, mas isso não quer dizer que não tenhamos tecnologia para recriá-lo. A sonda Juno, que orbita Júpiter desde 2016, capturou emissões elétricas e magnéticas de Ganimedes, o maior dos 79 satélites do gigante gasoso, e as converteu num arquivo de áudio. Juno, que no panteão romano é irmã e mulher de Júpiter, também enviou novas e espetaculares imagens do maior planeta do sistema solar. (CNN Brasil)

Panelinha no Meio. As festas de fim de ano estão aí e com elas uma consequência inescapável, as sobras de pernil. Vamos então pegar duas baguetes francesas, preparar um molho de pimenta e goiabada e montar esse fantástico sanduíche de pernil.

Está difícil acompanhar as notícias, não é? Anda tudo muito rápido, muito dinâmico e barulhento. O Meio te ajuda a separar o que é importante. Aos sábados, uma edição especial em que te oferecemos um contexto sobre grandes temas do momento. Assine o Premium e não perca tempo no seu dia.

Política


A Procuradoria-Geral da República disse ao Supremo Tribunal Federal que “é prematuro” encerrar a investigação contra o presidente Jair Bolsonaro por disseminação de informações falsas sobre o sistema eleitoral. O parecer, assinado pela subprocuradora-geral Lindôra Araújo, aponta indícios de que a live realizada por Bolsonaro em julho deste ano contra as urnas eletrônicas pode ter conexão com as milícias digitais investigadas pelo Supremo. Na semana passada a Polícia Federal já havia enviado ao STF relatório afirmando que Bolsonaro teve atuação “direta e relevante” para gerar desinformação sobre o processo eleitoral. (g1)

A nova pesquisa do Ipespe divulgada ontem confirma a liderança do ex-presidente Lula (PT) nas simulações para as eleições de 2022. Nas duas simulações de primeiro turno, Lula tem 20 pontos de vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL), 44% a 24% e 43% a 23%. Eles são seguidos nos dois casos por Sérgio Moro (Podemos) com 9%, Ciro Gomes (PDT) com 7% e João Doria (PSDB) com 3%. Como a margem de erro é de 3,2 pontos, é impossível dizer se o petista supera a soma dos adversários. Nas simulações de segundo turno, Lula vence com distância todos os adversários: 53% a 31% contra Bolsonaro, 52% a 33% contra Moro, 52% a 25% contra Ciro e 54% a 22% contra Doria. (Poder360)

Pré-candidato pelo Podemos ao Planalto, o ex-ministro Sérgio Moro ironizou ontem o encontro entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (sem partido) no domingo. Os dois estariam em adiantada negociação para formar uma chapa nas eleições do ano que vem. “Impressão minha ou ontem assistimos a um jantar comemorativo da impunidade da grande corrupção?”, perguntou Moro no Twitter. Já o presidente Jair Bolsonaro (PL), que está de folga no Guarujá, não se manifestou diretamente, mas o tenente Mosart Aragão, assessor especial da Presidência, publicou no Twitter um vídeo em que Bolsonaro aparece dançando um funk de letra altamente machista com a legenda “Presidente preocupado com o ‘Jantar da Democracia’ de Lula/Alckmin!” (Globo)

O jantar não foi de Lula e Alckmin, claro. Organizado pelo Prerrogativas, grupo de advogados críticos da Lava-Jato, o evento contou com os presidentes do MDB, Baleia Rossi, do PSD, Gilberto Kassab, e do Solidariedade, Paulinho da Força, parlamentares de nove partidos, incluindo Rede, PSB, PT, PSD e PCdoB e até o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (PSDB), aliado de João Doria. Os presentes fizeram questão de dizer que o evento foi apartidário e negaram a negociação de alianças. (Estadão)

Em clima bem menos festivo, Lula se reuniu na segunda-feira com líderes do PSB, incluindo Márcio França, nome do partido para o governo paulista. Os socialistas querem atrair Geraldo Alckmin e usá-lo como moeda de troca para ficar com a cabeça de chapa em estados-chave, como São Paulo e Rio Grande do Sul. (Poder360)

Mais de um dia após a vitória do deputado Gabriel Boric no segundo turno das eleições chilenas, o governo brasileiro foi o único entre os países de peso da América do Sul a não enviar congratulações. Há um mal-estar no Itamaraty com a situação. Manda o protocolo que a iniciativa parta do presidente da República, mas Jair Bolsonaro, de folga no Guarujá, ainda não se manifestou. Nas redes sociais, aliados do presidente brasileiro lamentaram a derrota do ultradireitista José Antonio Kast. (Folha)

Após encontros protocolares - mas importantes para romper a polarização - com Kast e o presidente Sebastián Piñera, Boric começou ontem a complicada tarefa de montar um gabinete que agregue as forças de centro às quais acenou no segundo turno e lhe garanta uma base firme no fragmentado Congresso chileno. (Estadão)

Meio em vídeo. Enquanto Gabriel Boric se preparava para celebrar sua vitória na eleição presidencial do Chile, Lula e Geraldo Alckmin apareciam pela primeira vez num evento público. Será que esses dois acontecimentos têm algo em comum? Confira no Ponto de Partida. (YouTube)

Cultura


A roteirista e diretora carioca Anita Rocha da Silveira saiu consagrada da cerimônia de encerramento do Festival do Rio, na noite de domingo. Seu longa Medusa (trailer) recebeu os prêmios Redentor de Melhor Filme de Ficção, Melhor Direção de Ficção — dividido com Laís Bodanzky, realizadora de A Viagem de Pedro (trailer) — e Melhor Atriz Coadjuvante, para Lara Tremouroux. Com elementos de terror e fantasia, a trama fala de uma gangue de mulheres neopentecostais no subúrbio do Rio. O prêmio especial do júri foi para o aguardado Medida Provisória (trailer), de Lázaro Ramos, que ainda não entrou em cartaz por entraves da Ancine. (g1)

Houve um tempo em que literatura de ficção científica e fantasia era algo feito por e para homens. Felizmente é passado, como comprova o Prêmio Hugo, o mais importante do gênero no mundo. Pelo sexto ano consecutivo a principal premiação foi para uma mulher, a americana Martha Wells, autora de Network Effects, parte da saga Murderbots, que também foi premiada como melhor série. Infelizmente, apenas uma das obras dela, ambientada no universo de Guerra nas Estrelas, já foi lançada no Brasil. (Guardian)

Então é Natal. Mas não, não vamos falar da onipresente versão cantada desde 1995 por Simone (Spotify) para Happy Xmas (War Is Over) (Spotify), de John Lennon. Como mostram pesquisadores, o Brasil tem uma rica tradição de canções envolvendo todo o ciclo natalino, incluindo as folias de reis populares no Nordeste. E várias foram grandes sucessos, a começar pela mais famosa e pungente, a marcha Boas Festas, composta em 1933 por Assis Valente (1911-1958) (Spotify, cantada pelo autor com Carmen Miranda no coro) e desde então regravada por um sem número de artistas. Conta a lenda que o sambista passava um Natal solitário quando a escreveu, daí a tristeza dos versos: “Já faz tempo que eu pedi, mas o meu Papai Noel não vem. Com certeza já morreu ou então felicidade é brinquedo que não tem.” (Folha)

O cineasta e articulista Arnaldo Jabor, de 81 anos, está internado desde quinta-feira no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após sofrer um acidente vascular cerebral. (Poder360)

Cotidiano Digital


Os planos para a chegada da Starlink, operadora de satélites de baixa órbita de Elon Musk, no Brasil não devem sair do papel tão cedo. A (Anatel) decidiu adiar a entrada da operadora para melhor avaliação do projeto. Fábio Faria, Ministro das Comunicações, e Musk se encontraram recentemente para falar sobre a presença da operadora de banda larga na Amazônia. O objetivo é ter os satélites funcionando no país até 2033, mas existe uma série de considerações, como avaliar os impactos à concorrência, à observação espacial e a produção de lixo espacial gerada. (Olhar Digital)

O metaverso tem criado uma série de novas possibilidades para as empresas de tecnologia. Entretanto, a Boeing, fabricante de aeronaves, quer ir além. A companhia tem a estratégia de fazer o seu próximo avião voar pelos céus do Metaverso, unificando suas operações de design, produção e serviços aéreos em um único ecossistema digital. O objetivo é atuar no Metaverso a partir de uma próxima nova aeronave acompanhada de réplicas virtuais tridimensionais em um sistema de produção capaz de executar simulações. Com isso, a Boeing acredita que essas ferramentas serão essenciais para trazer uma nova aeronave, do zero ao mercado, dentro de quatro ou cinco anos. (Folha)

O TikTok pretende lançar um novo serviço para levar aos usuários as receitas mais populares da rede social. O projeto deve contar com a criação inicial de 300 restaurantes nos Estados Unidos, com previsão para até mil estabelecimentos no final de 2022. (Canaltech)

E a Uber começou a disponibilizar ontem o serviço de entregas com motocicletas, o Uber Flash Moto, em 15 cidades brasileiras. (Canaltech)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



21 de dezembro de 2021
Consultar edições passadas