Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



28 de julho de 2022
Consultar edições passadas..



Hackers e Bolsonaro atacam Manifesto pela Democracia


O site que abriga o manifesto pela democracia organizado pela Faculdade de Direito da USP sofreu mais de 1.500 ataques hackers nos últimos dias, revela Mônica Bergamo. Os criminosos tentam derrubar a página ou usam nomes falsos e xingamentos para tentar tumultuar a listagem. O documento já conta com mais de 100 mil assinaturas, incluindo os banqueiros Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, 11 ex-ministros do STF, economistas, juristas e personalidades da sociedade civil. Entidades empresariais, como a Fiesp e a Febraban manifestaram interesse em aderir. É possível assinar o manifesto aqui. (Folha)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou seu discurso na convenção do aliado PP para desdenhar do manifesto, dizendo não precisar de “nenhuma cartinha” para mostrar que defende a democracia. Nos bastidores, porém, o documento é visto no Planalto como um sinal de que o governo está perdendo apoio rapidamente, o que motivou o presidente a enviar emissários ao STF na tentativa de melhorar a relação com a Corte. (CNN Brasil e Poder360)

Após nove dias de silêncio ensurdecedor, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), usou a convenção de seu partido para rebater as críticas por ser a única autoridade em seu patamar a não reagir ao ataque ao sistema eleitoral feito por Bolsonaro diante de embaixadores estrangeiros. Segundo ele, “a Câmara fala quando é necessário, não quando querem obrigá-la”. Ele afirmou sua confiança na lisura das eleições e disse que as instituições no Brasil são fortes. (Metrópoles)

O governo da Hungria, cujo premiê de extrema-direita Viktor Orbán define como “democracia iliberal”, ofereceu ajuda para a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). A tentativa de interferência no processo eleitoral brasileiro está registrada no relatório que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Cristiane Britto, fez de sua viagem a Londres no início deste mês para participar da Conferência Ministerial Internacional sobre Liberdade de Religião ou Crença. Durante o evento, ela teve uma reunião com o chanceler húngaro, Péter Szijjártó, de quem partiu a oferta. Dias depois, a presidente da Hungria, Katalin Novák, que só exerce funções cerimoniais, esteve no Brasil e se reuniu com Bolsonaro. O Ministério da Mulher, o Itamaraty e a Embaixada da Hungria não comentaram o relatório. (Folha)

Enquanto isso... Num compromisso fora da agenda, Bolsonaro discursou ontem para médicos na sede do Conselho Nacional de Medicina (CNM), em Brasília. Ele voltou a defender a cloroquina e outros tratamento ineficazes contra a covid-19 e defendeu a atuação do governo na pandemia, a despeito dos 667,5 mil mortos registrados até ontem. Ele aproveitou, mais uma vez, para atacar as urnas eletrônicas. (g1)

Caso seja eleito em outubro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pretende intervir na Petrobras e desatrelar do dólar a política de preços da estatal. Falando ao programa UOL Entrevista, ele acusou Jair Bolsonaro de “não ter coragem” de agir na empresa. Ele prometeu ainda um novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a recriação de ministérios e a retomada do Bolsa Família com valor em R$ 600, igual ao previsto este ano para o Auxílio Brasil. Lula afagou as Forças Armadas, dizendo que elas “não apoiariam um rompimento da democracia”. (UOL)

E o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) disse ontem, em sabatina no programa Central das Eleições, da GloboNews, que não faria campanha para Lula num eventual segundo turno. Ele defendeu um novo código trabalhista e a taxação de grandes fortunas para financiar programas sociais. Veja os principais trechos da sabatina. (g1)

A rivalidade entre Lula e Ciro ganhou um novo elemento ontem. O PSB, coligado com o PT em nível nacional, decidiu em convenção estadual pelo apoio ao candidato do PDT ao governo do Ceará, o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio, e não ao petista Elmano Freitas. (CNN Brasil)

As manobras da ala lulista do MDB não tiveram qualquer impacto — ontem, a convenção nacional do partido oficializou a candidatura da senadora Simone Tebet (MS) à presidência. Segundo o presidente do partido, Baleia Rossi, foram 262 votos sim e somente 9 contra. Ele não informou quantos filiados deixaram de votar. Mais cedo, a federação formada por PSDB e Cidadania sacramentou a coligação com o MDB, mas adiou a escolha da pessoa que comporá a chapa com Tebet. Os senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Eliziane Gama (Cidadania-MA) são os nomes mais cotados. Após a convenção, a candidata fez um discurso em que defendeu a democracia e prometeu “trocar o improviso pela experiência; o ódio, pela união”. (CNN Brasil)

Igor Gadelha: “A cúpula do MDB aposta que Simone Tebet terminará a eleição na frente de Ciro Gomes (PDT), que vem aparecendo em terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Lula e Jair Bolsonaro. A avaliação de dirigentes emedebistas é que Tebet, atualmente em quarto lugar, vai crescer durante a campanha eleitoral, quando sua exposição pública aumentará.” (Metrópoles)

Meio em vídeo. Esta semana o Conversas com o Meio recebe o professor Oscar Vilhena, da Fundação Getúlio Vargas. O assunto são as instituições brasileiras. O professor aponta que elas estão funcionando, mas estão em degradação e isso precisa ser interrompido. Confira. (YouTube)

Com o Meio Político, você não fica sem argumento. Com a nossa assinatura premium você recebe todas as quartas-feiras a nossa edição exclusiva sobre o cenário político, em profundidade. Conheça os benefícios e assine agora.

Embratel

Tech no próximo nível


A Ásia possui características que tornam o continente o centro da inovação tecnológica no século 21. Por exemplo, um estudo da consultoria Deloitte estima que até 2025 haverá, em toda a região abrangida pela pesquisa, mais de 900 milhões de usuários de internet. Além disso, 46% dos cidadãos entrevistados esperam acessar digitalmente mais serviços públicos e 73% afirmam que desde a pandemia os serviços governamentais deveriam ter se tornado mais digitais. As lições apontadas pelo documento são válidas para todos os países, que precisam impulsionar a inclusão digital e melhorar a qualidade dos serviços digitais oferecidos aos cidadãos. Confira algumas destas lições.

Por falar em digitalização de serviços públicos, oito em cada 10 órgãos federais no Brasil ofereceram pela internet os serviços mais procurados pelos cidadãos em 2021. O levantamento feito pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) apontou que as tecnologias da informação e comunicação (TIC) têm sido usadas por órgãos públicos das esferas federal, estadual e municipal. Isso porque a pandemia catalisou um aumento significativo da disponibilização e do uso de serviços online. (Época Negócios)

À medida que mais empresas investem em transformação digital, as equipes também precisam se adaptar a novas ferramentas. Embora as lideranças sejam entusiastas nesse sentido, principalmente por conta da redução de custos e produtividade, existem alguns desafios. Como convencer os membros da equipe a embarcarem nessa transformação digital? Aqui estão 16 soluções inteligentes que os gestores podem adotar para acelerar a adoção de ferramentas no ambiente de trabalho. (Forbes)

Viver


Um homem diagnosticado com HIV em 1988 está curado, de acordo com seus médicos. O paciente de 66 anos recebeu um transplante de medula óssea para tratar uma leucemia em um hospital na Califórnia. Por coincidência, o doador da medula é resistente ao vírus da imunodeficiência humana, o que impede sua entrada no sistema imunológico. Após o transplante, os níveis de HIV no corpo do homem estão indetectáveis há 17 meses, dispensando a terapia antirretroviral que ele fazia por mais de 30 anos. Esse é o quarto caso de cura na história. Em 2021, cinco pessoas foram contaminadas a cada hora por HIV no Brasil, alcançando a marca de 960 mil infectados convivendo com o vírus, sendo 38 milhões em todo o mundo, segundo estimativa da ONU. (Folha)

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira a saída de Danilo Dupas da presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Segundo o ministro Victor Godoy, o presidente da autarquia teria pedido demissão por motivos pessoais. Carlos Moreno foi anunciado como substituto no comando do Inpe a partir de 1º de agosto, o sexto a assumir a cadeira durante o governo Bolsonaro. Ele é servidor de carreira desde 1985 e diretor de Estatísticas Educacionais no órgão desde 2010. A troca de comando ocorre faltando menos de quatro meses para as provas do Enem, exame cuja nota é utilizada por estudantes para entrar em universidades públicas e privadas de todo o país. Segundo Moreno, a aplicação dos testes não sofrerá alterações e “questões ideológicas não vão fazer parte da minha gestão”, em referência às acusações de perseguição feitas por servidores no comando de Dupas. No ano passado, mais de 30 funcionários saíram do Inpe semanas antes da aplicação da prova do Enem, alegando "fragilidade técnica e administrativa” de sua gestão. (g1)

Panelinha no Meio. Existem saladas que valem por uma refeição, especialmente quando o ingrediente principal – nesse caso, o grão-de-bico – é rico em proteínas. Usando os grãos enlatados e reaproveitando vagem de outros preparos, a salada fica pronta em instantes. O segredo? A avalanche de sabores do molho.

Cultura


Celebrando os 40 anos de seu lançamento original, volta aos cinemas Eu, Christiane F. - 13 Anos, Drogada E Prostituída (trailer), pesado longa de estreia de Ulrich Edel sobre uma menina alemã mergulhada num turbilhão de drogas e niilismo ao som de David Bowie. É brilhante, mas exige estômago. Do Brasil vem o drama Aos Nossos Filhos (trailer), da atriz e diretora portuguesa Maria de Medeiros. Marieta Severo vive uma ex-guerrilheira às voltas com as pequenas revoluções da vida familiar. E a diva Emma Thompson desafia estereótipos com uma cena de nudez total aos 63 anos em Boa Sorte, Leo Grande (trailer), de Sophie Hyde, como uma professora em busca de prazer com um garoto de programa.

Confira a programação dos cinemas na sua cidade. (Adoro Cinema)

O cantor, compositor e soldado dos Lannister Ed Sheeran se tornou o primeiro artista a atingir a marca de cem milhões de seguidores no Spotify. Para comemorar a marca, o astro britânico publicou um hilariante vídeo no Twitter no qual aborda os integrantes de sua equipe de palco usando uma camisa onde se lê “Pergunte-me sobre meus cem milhões de seguidores no Spotify” e é solenemente ignorado pela maioria. Os fãs, claro, não o ignoram. (Billboard)

Começa hoje e vai até domingo no Parque de Madureira, no Rio, o 4º Encontro de Poetas Populares, um evento gratuito com shows oficinas e debates sobre a literatura de cordel, tombada como patrimônio imaterial pelo Iphan. Misturando cordelistas veteranos e jovens talentos do gênero, os bate-papos serão mediados pelo cantor, compositor e poeta Sergival, de Aracaju e transmitidos nos canais da Associação Amo Cordel no YouTube e no Instagram. No domingo, Geraldo Azevedo será a atração do show de encerramento.

Cotidiano Digital


Com tanto investimento em metaverso, óculos de realidade virtual e novos produtos, era de se esperar que a Meta, controladora do Facebook, mostrasse resultados positivos nos negócios da companhia. Mas não foi exatamente isso o que aconteceu, de acordo com o balanço financeiro da empresa para o segundo trimestre de 2022. A divisão Reality Labs, responsável pelos projetos de metaverso da Meta, teve um prejuízo de US$ 2,8 bilhões no trimestre. A companhia de Mark Zuckerberg também registrou a primeira queda de receita na história da empresa (na comparação trimestral ano a ano) desde que abriu o capital. O lucro líquido da companhia fechou em US$ 6,7 bilhões, uma queda de 36%. A receita total, de US$ 28,8 bilhões, representa uma queda de 1% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado. (CNN)

Meio em vídeo. O drama do Instagram, que desde 2017 se apoia em outras redes sociais para se atualizar, causando um furdúncio com os principais criadores da rede. A campanha “Make Instagram Instagram Again” já tem apoiadores de peso. A Curadoria Meio Maravilhosa dá uma volta ao mundo pelos assuntos da semana. (YouTube)

E o Google adiou para 2024 o fim dos cookies de internet no Chrome. O motivo é estender os testes das ferramentas e mecanismos da Privacy Sandbox antes de apresentá-la ao mercado. A iniciativa visa substituir os cookies usados atualmente, com recursos para incrementar a privacidade dos usuários, enquanto preserva o alcance da publicidade necessária para a monetização de conteúdos digitais. (Canaltech)

Um novo jeito de ficar por dentro dos principais assuntos da semana é acompanhando as análises e comentários críticos, mas com leveza, de Mariliz Pereira Jorge no programa De Tédio a Gente Não Morre. Toda sexta às 11h da manhã no nosso canal do Youtube. Veja.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



28 de julho de 2022
Consultar edições passadas