Conversas com o Meio

Entrevistas fundamentais com personalidades de destaque, políticos, jornalistas, cientistas, ativistas e gente boa de papo.

Toda quarta às 11:15.

Eduardo Bueno, o historiador Peninha, explica a causa das enchentes no Rio Grande do Sul

Neste Conversas com o Meio de 22 de maio de 2024, o historiador e jornalista Eduardo Bueno, o Peninha, do canal Buenas Ideias aqui do Youtube, conversa com o jornalista Pedro Doria sobre as origens das enchentes que inundaram o Rio Grande do Sul. Segundo Bueno, foram 500 anos de ocupação errada, e as responsabilidades pela tragédia se espalham por todos os governos. Veja nesse vídeo uma análise histórica do problema e de que maneira os políticos e governantes deveriam lidar com a questão.

“Alertas climáticos ignorados por todos os partidos”, diz Marcio Astrini

No Conversas com o Meio deste 15 de maio de 2024, Marcio Astrini, secretário executivo do Observatório do Clima, conversa com a jornalista Flávia Tavares sobre a tragédia no Rio Grande do Sul. Para Astrini, o governo Dilma foi ruim para o meio ambiente, e o governo Bolsonaro foi ainda pior. Veja neste episódio como o Congresso Nacional prega atitudes no discurso e age na direção contrária. E ainda, a situação de mais de mil municípios do Brasil sob risco de desastres climáticos.

Marina Silva sobre RS: “é preciso criar uma UTI climática”

Neste Conversas do Meio especial, no ar excepcionalmente nesta terça-feira (14), Marina Silva conversa com os jornalistas Flávia Tavares e Pedro Doria sobre a tragédia sem precedentes ocorrida no Rio Grande do Sul. A ministra do Meio Ambiente fala das fake news ligadas à catástrofe das enchentes no Estado, do plano de prevenção que ela está conduzindo e dos diálogos urgentes com o congresso. Para Marina, "é preciso criar uma UTI climática". Os 80 milhões de brasileiros, que vivem nos 1.942 municípios em situação de risco, tiram o sono da ministra. Veja também a avaliação dela sobre as ações do Planalto em relação ao desmatamento e as atitudes de Lula nessa crise.

“Desfecho do caso Marielle não me surpreendeu”, diz Chico Otávio

Sabe aquele jornalista que, por sua experiência e excelência, se torna uma autoridade nos assuntos que cobre? É o caso do convidado do Conversas com o Meio desta semana. Chico Otávio tem perto de quatro décadas de reportagens sobre segurança pública no Rio. Entre as muitas coberturas relevantes que fez estão o caso do assassinato da vereadora Marielle Franco e Anderson Gomes e do Faraó dos Bitcoins. Ambos viraram livros. No recém-lançado Queda Livre, Chico e Isabela Palmeira contam a história de Gladson e Mirelis, um casal que montou um esquema de pirâmide disfarçado de investimento em bitcoins que movimentou cerca de 40 bilhões de reais. A editora-chefe do Meio, Flávia Tavares, e o diretor de jornalismo, Pedro Doria, entrevistam Chico sobre justiça, política, segurança, Rio. Confira!

Orlando Silva: “PL das Fake News amplia a liberdade de expressão”

A discussão sobre regulamentação das redes sociais ganhou força novamente após os ataques do proprietário do X, Elon Musk, às instituições brasileiras. Relator do PL das Fake News na Câmara, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) é o convidado da editora Flávia Tavares no Conversas com o Meio desta semana. Ele explica as movimentações por trás da “morte” do projeto, decretada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL) e comenta as melhorias que uma eventual aprovação do projeto traria para a experiência da sociedade brasileira nas redes sociais, bem como as proteções que o projeto de lei traria à liberdade de expressão, na visão do parlamentar.

Como o X de Musk segue relevante e organiza discursos, por Sérgio Spagnuolo

A briga travada por Elon Musk contra o ministro Alexandre de Moraes, do STF, é o tema do Conversas com o Meio desta semana. A editora-executiva Flávia Tavares recebe Sérgio Spagnuolo, fundador do Núcleo Jornalismo e especialista em ambientes digitais. No papo, um passeio pelas revelações do "Twitter Files", que mostraram como a rede lidava com decisões judiciais e moderação de conteúdo, passando pelas duras palavras do sul-africano contra um ministro da Suprema Corte e as possíveis consequências do episódio.

‘Só evitaremos novos golpes se alterarmos o artigo 142’, diz Carlos Fico

Historiador e professor da UFRJ explica como os militares exercem o intervencionismo e enxergam sua função no Brasil desde a Proclamação da República e defende que equação para encerrar esse ciclo depende do Congresso e da sociedade civil.

“Nunca para de doer”, diz Miriam Leitão sobre prisão na Ditadura

Na semana dos 60 anos do golpe militar de 1964, Pedro Doria recebe Miriam Leitão, presa e torturada grávida durante o regime militar. A jornalista, que relança o livro "Tempos Extremos" (Intrínseca) 10 anos depois, detalha o contexto do Brasil no início da década de 1970 e o período em que esteve sob custódia dos militares. Ela ainda comenta os atos golpistas de 8 de janeiro de 2023 sob a perspectiva de quem foi vítima do último regime de exceção brasileiro.

“Carta de 1824 era moderna num país atrasado”, diz Christian Lynch

Nos 200 anos da Constituição de 1824, a primeira - e mais longeva - Carta Magna do Brasil, o editor-chefe do Meio, Pedro Doria, recebe o cientista político e colunista Christian Lynch, que explica o contexto do país naquele quadra histórica de revoluções e independências no Novo Mundo. Os dois passam também pelo processo de revoltas pós-napoleônicas na península ibérica e como as concepções ideológicas do período influenciaram nos textos normativos brasileiros.

“Bolsonaro queria vencer a eleição independente do resultado”, diz Rodrigo Maia

No Conversas com o Meio desta semana, Pedro Doria recebe o ex-deputado e ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para uma análise do passado, do presente e do futuro político brasileiro. Hoje na iniciativa privada, Maia diz que teve certeza que aconteceria um golpe em 2022, além de tecer críticas ao comportamento do presidente Lula (PT), que, em sua visão, alimenta a polarização, e prevê que a dualidade entre lulismo e bolsonarismo ainda será a fiel da balança para as eleições de 2026.