Israel pede renúncia do secretário-geral da ONU após falas sobre Hamas

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Um embate diplomático entre ONU e Israel marcou a sessão do Conselho de Segurança da Organização desta terça-feira. O chanceler israelense, Eli Cohen, cancelou a reunião bilateral que teria com o secretário-geral da ONU, António Guterres, depois de ele dizer que o ataque de Hamas foi por acaso. “É importante reconhecer que os atos do Hamas não aconteceram por acaso. O povo palestino foi submetido a 56 anos de uma ocupação sufocante. Eles viram suas terras serem brutalmente tomadas e varridas pela violência. A economia sofreu, as pessoas ficaram desabrigadas e suas casas foram demolidas”, afirmou Guterres. Em seguida, ele disse que “o sofrimento do povo palestino não pode justificar os ataques do Hamas”. Em resposta à fala do secretário-geral, o embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, pediu a demissão imediata de Guterres. “O discurso chocante do secretário-geral da ONU na reunião do Conselho de Segurança, enquanto foguetes são disparados contra todo Israel, provou, conclusivamente, sem qualquer dúvida, que o secretário-geral está completamente desligado da realidade na nossa região e que ele vê o massacre cometido pelos terroristas nazistas do Hamas de uma forma distorcida e imoral”, escreveu Erdan.“A sua declaração de que ‘os ataques do Hamas não aconteceram no vácuo’ expressou uma compreensão pelo terrorismo e pelo assassinato. É realmente incompreensível. É verdadeiramente triste que o chefe de uma organização que surgiu após o Holocausto tenha opiniões tão horríveis. Uma tragédia!”, completou. (g1 e CNN Brasil)

PUBLICIDADE

 

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.