Braga Netto xingou militares que não apoiaram plano de golpe

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O general Walter Braga Netto, ex-ministro da Defesa e vice na chapa de Jair Bolsonaro à presidência em 2022, xingou e ofendeu integrantes da cúpula das Forças Armadas por não aderirem aos planos de golpe de Estado, mostram mensagens dos celulares apreendidos pela Polícia Federal e que são transcritas na decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, autorizando a operação desta quinta-feira. Em uma delas, Braga Netto se refere ao general Freire Gomes, então comandante do Exército, como “cagão” e pede que a “cabeça’ dele seja oferecida. Nas conversas, Braga Netto também faz comentários depreciativos sobre o tenente-brigadeiro Baptista Júnior, ex-comandante da Força Aérea Brasileira, chamando-o de “traidor de pátria”. Para Moraes, tais conteúdos são “elementos indicativos da real expectativa que permeava o grupo quanto à permanência no poder”. (Globo)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.