SP diminui homicídios, mas tem aumento de roubos e estupros na periferia

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Apesar da queda no número de homicídios no ano passado em relação a 2022 (11,5% a menos), a cidade de São Paulo bateu recorde nos índices de furtos, e as incidências de estupro, com 3.037 casos, representam o maior número do crime para a capital paulista desde 2002. Os números são da Secretaria municipal de Segurança Pública (SSP), que também aponta declínio nos registros de latrocínios – roubo seguido por morte. As se concentram na periferia da maior cidade latino-americana. Na Zona Leste, por exemplo, foram 697 ocorrências de violência sexual em 2023. 

PUBLICIDADE

Somadas, as Zonas Sul e Leste concentram 11.404 dos quase 15 mil roubos de veículo na cidade. De acordo com Guaracy Mingardi, este tipo de crime se destina sobretudo a desmanche para venda ilegal de peças e para fugas de outros delitos, como assaltos e sequestros. Apesar dos índices localizados em áreas distantes das bairros mais nobres, houve queda de 9,1% na incidência de roubos de automóveis na jurisdição paulistana. No centro da capital, local que vive às voltas com o abandono e crimes contra transeuntes, houve queda de 7,9% nos roubos, com aumento de 25,9% em detenções. (Folha)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.