Depoimento de ex-comandante da FAB sobre golpe anima a PF

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Jair Bolsonaro e os militares suspeitos de tramar um golpe de Estado ficaram calados em depoimentos à Polícia Federal. Mas, como revela o Radar, o tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Junior, ex-comandante da Aeronáutica, contou tudo, a ponto de um dos agentes dizer que “vem mais operação por aí”. Apontado como um dos militares de alta patente a resistir à trama golpista, o militar foi chamado de “traidor da pátria” pelo general Braga Netto, embora tenha assinado um documento visto como apoio aos acampamentos nas portas dos quartéis. Baptista Júnior depôs discretamente na semana passada e vem usando as redes sociais para mandar indiretas aos antigos colegas hoje investigados. “A ambição derrota o caráter dos fracos. Aliás… revela”, escreveu, no dia seguinte à operação da PF contra Bolsonaro e seus auxiliares diretos. (Veja)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.