PF: para minar confiança nas urnas, Abin paralela produziu relatório sobre fake news

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Mensagens entre oficiais da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) revelam a produção de um relatório informal, enviado por WhatsApp, sobre fake news contra as urnas eletrônicas. Segundo os diálogos, o documento teria sido solicitado pelo então chefe do órgão Alexandre Ramagem, hoje deputado federal pelo PL e homem de confiança da família Bolsonaro. As postagens relacionavam a Positivo, fabricante do hardware e do software das urnas, e seu fundador, senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), que deixou a empresa, o então ex-ministro da Justiça e atual senador Sergio Moro e uma empresa chinesa. Os agentes foram acionados para produzir um relatório sobre a Positivo e Oriovisto. Para a Polícia Federal, “o evento relacionado aos ataques às urnas, portanto, reforça a realização de ações de inteligência sem os artefatos motivadores, bem como acentuado viés político em desatenção aos fins institucionais da Abin”. (Globo)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.