Exército liberou armas para CACs condenados

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O afã armamentista do governo Bolsonaro acabou beneficiando criminosos condenados, aponta levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU). De acordo com os dados, o Exército emitiu licenças de Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs), autorizados a comprar armas, para 5,2 mil pessoas condenadas por crimes como tráfico de drogas, homicídio e roubo, entre outros crimes. A maioria foi condenada após a concessão do documento, que deveria ter sido cancelado, mas não foi. Além disso, o certificado de CAC foi emitido para 2.690 foragidos da Justiça. Segundo o TCU a irregularidade foi facilitada por um decreto de Jair Bolsonaro restringindo a documentação exigida para a emissão do CAC ao local de residência do requerente, sem verificação nacional dos antecedentes criminais. Em nota, o Exército disse que prestou esclarecimentos diretamente ao TCU e que a investigação em curso é sigilosa. (Estadão)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.