Caroline de Toni assume CCJ, Nikolas fica com a Comissão de Educação

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

A Comissão de Constituição de Justiça e de Cidadania (CCJ) tem uma nova presidente: a deputada Caroline de Toni (PL-SC). Com a maior bancada, o partido de Jair Bolsonaro teve prioridade para escolher quem ficaria à frente da comissão que é considerada a mais importante da Casa. A eleição da bolsonarista, com 49 votos a favor e nove em branco, representa um revés para o governo Lula, que terá de conviver neste ano com uma oposicionista no comando do principal colegiado da Câmara. O Palácio do Planalto tentou evitar que Caroline assumisse a CCJ e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e outras lideranças do Centrão chegaram a avaliar que ela era polêmica demais, mas o PL manteve a indicação. A escolha, no entanto, contou com aprovação de deputados petistas. “Deputada, a senhora terá todo o nosso respeito”, afirmou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE). Segunda mulher a presidir a CCJ, ela prometeu uma gestão “com equilíbrio” e afirmou que atuará com responsabilidade, transparência e equilíbrio, “ouvindo todas as bancadas, como tem que ser”. (Estadão)

PUBLICIDADE

Em outra derrota para o governo, o deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) foi eleito presidente da Comissão de Educação, por 22 votos favoráveis e 15 em branco. Neste caso, sem apoio dos parlamentares petistas. Ele foi indicado pela bancada do PL após acordo de lideranças que definiu a presidência das comissões com Lira. A indicação foi questionada por membros da base governista, que temem que a pauta seja tomada por temas ideológicos. O PL também estará à frente de outros colegiados importantes, como o de Relações Exteriores e Defesa Nacional. (Metrópoles)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.