Extrema direita deve ser o fiel da balança na formação de um novo governo em Portugal

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O partido de extrema direita Chega deve terminar as eleições portuguesas deste domingo em terceiro lugar e vai ser crucial para a formação de um novo governo. Com 50% das urnas apuradas, a coligação de centro-direita Aliança Democrática tem 34,15% dos votos e não conseguirá maioria sem o apoio dos extremistas, que têm até o momento 19,23%. André Ventura, líder do Chega, afirmou que os portugueses deram um recado claro de que desejam uma coalizão de direita, mas parte da AD resiste à plataforma xenófoba e anti-imigração de seu partido. A eleição foi péssima para a esquerda, com o Partido Socialista, que governa o país, aparecendo em segundo lugar, com 28,7% dos votos, e sem chances de formar uma maioria. João Torres, deputado e diretor da campanha do PS, já admite que o partido deverá comandar a oposição a um governo da AD. (Público)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.