Putin é reeleito para o quinto mandato com 88% dos votos

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Para surpresa de ninguém, Vladimir Putin conquistou mais um mandato de seis anos à frente da presidência da Rússia, segundo números preliminares. Com 50% dos votos apurados, Putin tinha 87,3% em uma eleição em que todos os adversários sérios foram eliminados antes do início da votação. A participação nos três dias de votação foi de 73,33%, de acordo com as autoridades russas. A vitória de Putin nunca esteve em dúvida, mas o percentual de votos é o maior das suas cinco vitórias presidenciais. Uma celebração oficial está marcada para esta segunda-feira. O resultado cumpre o objetivo de uma vitória esmagadora que reforce a afirmação de Putin de que os russos apoiam incondicionalmente seu líder e a invasão da Ucrânia. Para Nikolai Petrov, do think tank londrino Chatham House, o resultado torna a Rússia uma “autocracia totalmente consolidada”. A campanha eleitoral, com três candidatos que não criticaram o presidente, foi ofuscada pela morte na prisão, no mês passado, do principal opositor de Putin, Alexei Navalny. (Politico)

PUBLICIDADE

Em seu discurso de vitória para o comando de campanha e ao responder a jornalistas, Putin afirmou que sua vitória é um sinal “de que somos todos irmãos em armas”. Ele agradeceu aos soldados que lutam na Ucrânia e prometeu “completar os objetivos da operação militar especial, tornando o Exército mais forte”. “O resultado da eleição vai permitir que a consolidação da sociedade”, afirmou o presidente, que concorreu como independente com o apoio do partido Rússia Unida. (Folha)

O último dia de votação foi marcado por protestos contra o domínio autoritário de Putin no poder. Por volta do meio-dia, longas filas foram formadas para votar contra ele, respondendo ao apelo que havia sido feito por Navalny. Os protestos ocorreram apesar dos avisos das autoridades sobre ações “extremistas”. (Washington Post)

Aos 71 anos, Putin iniciará seu quinto mandato como presidente. Ele está no poder desde 2000, há mais tempo do que qualquer outro líder russo desde o ditador soviético Joseph Stalin. E há pouco que o impeça de permanecer no poder, se quiser, até 2036. (BBC Brasil)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.