PF avalia que eventual anulação da delação de Cid não afeta investigações

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Caso o Supremo Tribunal Federal (STF) anule o acordo de delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid, as investigações dos crimes a ele associados não será prejudicada, avalia a Polícia Federal. Como conta Aguirre Talento, os agentes afirmam que as informações passadas pelo antigo ajudante de ordens de Jair Bolsonaro já foram corroboradas por diálogos encontrados em telefones celulares apreendidos e por depoimentos de outras testemunhas, como os ex-comandantes do Exército e da Aeronáutica. Os policiais dizem ainda que mesmo os depoimentos de Cid seguem válidos, já que ele teria provocado a eventual anulação do acordo. Na sexta-feira, o tenente-coronel foi preso por obstrução de Justiça por ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes após prestar depoimento. Em gravações obtidas pela Veja, Cid disse ter sido coagido pela PF e fez críticas a Moraes. Já no depoimento, ele negou a coação de disse não se lembrar da pessoa para quem encaminhou o áudio vazado. (UOL)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.