Como hospitais brasileiros usam IA para melhorar atendimento

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

A Inteligência Artificial está revolucionando a gestão hospitalar, a eficiência operacional e a assistência à saúde. Um levantamento da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) e da Associação Brasileira de Startups de Saúde mostrou que, dos 122 hospitais associados, 62,5% usam ou usaram IA, com metade relatando resultados práticos. Apenas 45 deles responderam à pesquisa. O Estadão falou com nove hospitais para entender como a IA é usada além dos tradicionais chatbots.

PUBLICIDADE

A IA é empregada em diversas áreas para gestão de leitos e análise de exames. Hospitais como o Sírio-Libanês usam a “Agenda Inteligente” para reduzir faltas em exames, resultando em 20% menos no-shows. O mesmo hospital usa algoritmos que aceleram exames de imagem, reduzindo tempo de exposição à radiação e que avaliam riscos de hemorragia cerebral. Já o Hospital Alemão Oswaldo Cruz desenvolveu um sistema de score de saúde para check-ups, identificando pacientes com maior criticidade e permitindo intervenções mais rápidas. Um dos pioneiros é o Hospital Israelita Albert Einstein. Com uma área específica para Dados e Analytics e mais de 92 soluções de IA desenvolvidas, ele conseguiu aumentar as cirurgias diárias em quatro com otimizações do algoritmo, sem expansões no centro cirúrgico. O hospital também usa uma ferramenta (LUNIT), adotada também em outros hospitais, para agilizar o diagnóstico em radiografias. (Estadão)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.