Relator defende cassação do governador do RJ por abuso de poder econômico e político

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O desembargador Peterson Barroso Simão votou, nesta sexta-feira, no Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), a favor da cassação do governador Cláudio Castro (PL) por abuso de poder econômico e político. No centro da acusação, está a “folha de pagamento secreto” com 27 mil cargos no Ceperj e 18 mil na Uerj. Segundo Simão, Castro usou a estrutura do Ceperj e da Uerj com finalidades eleitoreiras, favorecendo sua reeleição e desequilibrando as eleições de 2022. Ele afirmou que houve danos ao erário público pelo uso de mais de R$ 400 milhões e desigualdade em relação aos demais candidatos. “Tudo ocorreu sorrateiramente, sem transparência pública. Quem arquitetou esse plano é um gênio, mas um gênio do mal”, disse o relator. Simão também defendeu as cassações do vice Thiago Pampolha (MDB) e do presidente da Assembleia Legislativa, Rodrigo Bacellar (União). E impôs multa de R$ 106 mil a Castro e Bacellar e de R$ 21.282 a Pampolha. O vice, no entanto, como solicitou o Ministério Público, não ficaria inelegível, ao contrário dos demais. Em seguida, Marcello Granado pediu vista e os demais desembargadores escolheram não antecipar o voto. O julgamento será retomado na próxima quinta-feira. (Globo)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.