Em decisão unânime, Copom encerra ciclo de cortes e mantém Selic em 10,5% ao ano

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Apesar da pressão do presidente Lula e das críticas ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, manter a taxa básica de juros, a Selic, em 10,5% ao ano. Com isso, interrompeu o ciclo de cortes iniciado em agosto passado. O Copom destacou “que o cenário global incerto e o cenário doméstico marcado por resiliência na atividade, elevação das projeções de inflação e expectativas desancoradas demandam maior cautela”. Em seu comunicado (íntegra), o comitê não sinaliza cortes futuros. “A política monetária deve se manter contracionista por tempo suficiente em patamar que consolide não apenas o processo de desinflação como também a ancoragem das expectativas em torno de suas metas. O Comitê se manterá vigilante e relembra, como usual, que eventuais ajustes futuros na taxa de juros serão ditados pelo firme compromisso de convergência da inflação à meta.”

PUBLICIDADE

E como fez em outras reuniões, o Copom deixou claro que acompanha com atenção a questão fiscal e seu impacto sobre a política monetária e os ativos financeiros. “O Comitê reafirma que uma política fiscal crível e comprometida com a sustentabilidade da dívida contribui para a ancoragem das expectativas de inflação e para a redução dos prêmios de risco dos ativos financeiros, consequentemente impactando a política monetária.”

A manutenção da Selic era esperada por grande parte do mercado financeiro. Analistas preveem o que não haverá novos cortes pelo menos até o fim deste ano, devido ao aumento das expectativas de inflação e aos temores sobre a situação das contas públicas. Na reunião anterior, em maio, o Copom já havia reduzido o ritmo de corte para 0,25 ponto percentual, citando um pano de fundo mais adverso, e retirou do comunicado a menção sobre os próximos movimentos em relação aos juros. O mercado financeiro aguarda agora a ata da reunião em busca de pistas sobre os próximos passos do Banco Central. (Bloomberg Línea)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.

Se você já é assinante faça o login aqui.

Fake news são um problema

O Meio é a solução.

Edições exclusivas para assinantes

Todo sábado você recebe uma newsletter com artigos apurados cuidadosamente durante a semana. Política, tecnologia, cultura, comportamento, entre outros temas importantes do momento.


R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)
Edição de Sábado: 'O identitarismo promove uma sociedade conflituosa e hostil'
Edição de Sábado: Biden e a sombra de 1968
Edição de Sábado: Descriminalizou, e agora?
Edição de Sábado: Em nome delas
Edição de Sábado: Nova era dos extremos

Sala secreta do #MesaDoMeio

Participe via chat dos nossos debates ao vivo.


R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)

Outras vantagens!

  • Entrega prioritária – sua newsletter chega nos primeiros minutos da manhã.
  • Descontos nos cursos e na Loja do Meio

R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)