Redação

Meta adiciona chatbot de IA em barra de pesquisa de seus aplicativos

Em um dia de grandes anúncios sobre inteligência artificial, a Meta revelou que seu chatbot de IA, o Meta AI, está na barra de pesquisa de Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger em vários países, enquanto lança outras novidades, como geração mais rápida de imagens e acesso a resultados de pesquisas na web fornecidos por Google e Bing. Com o recurso, os usuários podem pedir para animar uma imagem ou transformá-la em GIF, enquanto a ferramenta faz as modificações em tempo real. A companhia também trabalhou para melhorar a qualidade das imagens geradas por IA. Lançada nos Estados Unidos no ano passado, a tecnologia agora chega a mais países, incluindo Austrália, Canadá e Nova Zelândia. (TechCrunch)

Há nova incerteza externa e não temos visibilidade à frente, afirma Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira que há nova incerteza no cenário externo e que a autoridade monetária ainda não tem clareza do que vai acontecer. No fechamento do encontro do G20 em Washington e ao lado do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ele disse que vê três caminhos possíveis: uma volta à normalidade, um prolongamento da incerteza e a continuidade desse cenário que acabe gerando uma reprecificação mais forte. “Vimos que o processo de desinflação (global) foi reprecificado, e agora passamos a uma fase que vemos uma probabilidade maior de ter taxas de juros mais altas (no mundo) por mais tempo. Também vínhamos alertando que dívida do mundo desenvolvido vinha subindo muito”, destacou. Questionado sobre o impacto desse cenário nos juros no Brasil, Campos Neto disse que é preciso esperar para ver. E ressaltou que ainda há pouca visibilidade e que o foco do BC vem sendo “dar a maior transparência possível”. Já Haddad disse que a mudança na rota do Fed pegou o mundo de surpresa, uma vez que o BC americano vinha sinalizando desde o ano passado um corte mais cedo dos juros do que o esperado agora. (Folha)

Meta diz que Llama 3 supera maioria das IAs atuais, incluindo o Gemini do Google

A Meta anunciou hoje o lançamento do Llama 3, nova geração de seu grande modelo de linguagem (LLM), que segundo a companhia, apresentou desempenho melhor do que a maioria dos modelos de IA atuais, como o Gemini do Google. O Llama 3 teria demonstrado um grande avanço nas respostas, se recusando menos a responder perguntas, em relação a seus antecessores. Os dois modelos disponibilizados são o Llama 3 8B, que contém 8 bilhões de parâmetros, e o Llama 3 70B, com 70 bilhões de parâmetros, considerados pela empresa “um grande salto” ante às versões anteriores. Em seu blog, a empresa afirma que a IA superou muitos de seus concorrentes nos testes de benchmark, sem mencionar o GPT-4, principal modelo da OpenAI. (The Verge)

Governo vai decidir destinação dos dividendos extraordinários da Petrobras, diz Prates

A decisão sobre os R$ 43,9 bilhões em dividendos extraordinários da Petrobras será do governo, afirmou nesta quinta-feira o presidente da estatal, Jean Paul Prates. “A diretoria já tomou sua decisão sobre os dividendos e transferiu para o conselho. O governo é quem orienta o conselho”, afirmou, acrescentando que o assunto não está na pauta da próxima reunião. “Provavelmente, durante a assembleia geral (no dia 25) ou depois da assembleia, isso será deliberado.” (Valor)

Para negociar propostas com o Congresso, Haddad antecipa volta dos EUA

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, antecipou seu retorno ao Brasil em um dia, voltando nesta quinta-feira. O motivo é o avanço das negociações de projetos de interesse do governo e a possibilidade de encontro com o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A aprovação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado da PEC do Quinquênio, que eleva os ganhos dos membros do Judiciário e do Ministério Público a cada cinco anos, acendeu o alerta vermelho no governo, que convocou o ministro para arbitrar. A proposta segue agora para o plenário da Casa e, depois de cinco sessões, pode ser votada. O líder do governo no Senado, Jacques Wagner (PT-BA), chegou a falar em um impacto de R$ 42 bilhões ao ano nos cofres públicos. (CNN Brasil)

Quentin Tarantino desiste de filmar ‘The Movie Critic’ como seu último filme

Previsto para ser o décimo e último filme de Quentin Tarantino, The Movie Critic não deve mais sair do papel, segundo informa o Deadline. Apesar de o roteiro já estar pronto e as filmagens programadas ainda para este ano, o cineasta teria desistido do projeto e deve retornar à estaca zero. O longa teria Brad Pitt no elenco, que já trabalhou com o diretor em Bastardos Inglórios, de 2009 e Era Uma Vez em... Hollywood (2019). Segundo Tarantino, The Movie Critic era “baseado em um cara que realmente viveu, mas nunca foi realmente famoso, e costumava escrever resenhas de filmes para uma revista pornô”. (Rolling Stone)

Lula cometerá grande erro se decidir se encontrar com Putin, afirma Zelensky

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou em entrevista à Folha que estava pronto para visitar o Brasil após a posse de Javier Milei, em dezembro, mas não foi convidado. “Talvez Lula tenha outras prioridades, não sei”, disse o ucraniano. “O Brasil terá um grande impacto se a política de Lula com a Ucrânia mudar, se ele realmente quiser resolver a guerra e reconhecer a Rússia como agressora”, acrescentou. Sobre a viagem do assessor especial Celso Amorim à Rússia prevista para a semana que vem, disse que não pode “impedir ninguém de ir aonde quiser”. Mas, em relação a uma participação de Lula no encontro do Brics em outubro no território russo, a resposta foi outra: “Seria um grande erro. Temos que isolar politicamente Vladimir Putin. Ele precisa sentir que cometeu um erro histórico ao invadir a Ucrânia. Quando você vai até ele, você o reconhece”. (Folha)

STF reage a relatório americano e diz que suas decisões são fundamentadas

O Supremo Tribunal Federal (STF) reagiu ao relatório O Ataque Contra Liberdade de Expressão no Exterior e o Silêncio da Administração Biden: o Caso do Brasil, divulgado por uma comissão do Congresso dos Estados Unidos, com várias decisões sigilosas do ministro Alexandre de Moraes. O documento contém ordens judicias enviadas ao X para derrubada de perfis e conteúdos, mas sem fundamentação da decisão. Em nota, a assessoria da Corte esclareceu que “não se tratam das decisões fundamentadas que determinaram a retirada de conteúdos ou perfis, mas sim dos ofícios enviados às plataformas para cumprimento da decisão”. “Fazendo uma comparação, para compreensão de todos, é como se tivessem divulgado o mandado de prisão (e não a decisão que fundamentou a prisão) ou o ofício para cumprimento do bloqueio de uma conta (e não a decisão que fundamentou o bloqueio)”, diz a nota, acrescentando que “todas as decisões tomadas pelo STF são fundamentadas, como prevê a Constituição, e as partes, as pessoas afetadas, têm acesso à fundamentação”. O presidente do Supremo, Luís Roberto Barroso, afirmou que, por enquanto, não comentaria o assunto, mas que “é um problema de política interna dos Estados Unidos”. O colegiado americano é presidido pelo deputado republicano Jim Jordan, ligado ao ex-presidente Donald Trump, e o relatório não menciona as críticas à liberdade de expressão no Brasil, os ataques antidemocráticos ou as investigações sobre a trama golpista. (Folha)

Parlamento da Suécia aprova lei que facilita cirurgia de redesignação sexual

O Parlamento da Suécia aprovou, por 234 votos a 94, uma lei que reduz de 18 para 16 anos a idade mínima para solicitar a mudança de gênero no registro civil e facilita a cirurgia de redesignação sexual. A partir de 1º de julho de 2025, maiores de 16 anos e menores de 18 poderão solicitar o procedimento, desde que sejam autorizados pelos pais, de um médico e da Direção Nacional de Saúde e Assuntos Sociais. Com a nova regra, não será mais necessário o diagnóstico de disforia de gênero, que aponta quando uma pessoa sofre devido à divergência entre o gênero com que ela se identifica e o que lhe foi atribuído ao nascer. Já as cirurgias continuam sendo autorizadas apenas após os 18 anos. (Folha)

Presidente da Petrobras descarta aumento de preços dos combustíveis

Embora o preço da gasolina esteja defasado em relação ao mercado internacional, a Petrobras não pretende mexer no preço do combustível neste momento, segundo o presidente da companhia, Jean Paul Prates. Segundo ele, a estatal segue acompanhando o mercado, que vem apresentando grande volatividade em meio aos conflitos no Oriente Médio que pressionam o preço do Petróleo. “Estamos avaliando as condições todas de mercado. Não há razão nenhuma para aumento agora. Não está sendo avaliado (aumento para as próximas semanas). Estamos monitorando o cenário internacional”, disse o executivo durante um evento no Rio de Janeiro. O último movimento de preços feito pela Petrobras ocorreu em outubro do ano passado, quando a estatal reduziu o valor da gasolina nas refinarias. (O Globo)