Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


2 de julho de 2019
Consultar edições passadas

Câmara faz últimos ajustes na Previdência


O deputado tucano Samuel Moreira, que é o relator da reforma da Previdência, deve ler hoje à tarde seu voto na comissão especial. Até lá, a negociação será intensa. Já estão certos itens como a idade mínima de aposentadoria, que será de 65 anos para homens e 62, para mulheres. Ou que não será permitido acúmulo de pensão e aposentadoria integrais. Mas há muito ainda por ser debatido nesta manhã. A bancada do partido do presidente, o PSL, está na batalha para conseguir tirar do texto a idade mínima fixa de 55 anos para aposentadoria de policiais federais e rodoviários. Professores, por sua conta, lutam para garantir que se aposentem a partir dos 57, com o último salário da carreira integral e garantia de reajuste junto a quem está na ativa. No texto como está, as regras são estas, mas a idade mínima, 60. E tem político querendo reduzir de 65 para 60 sua própria idade mínima. Nenhuma negociação está tão difícil, porém, quanto a da decisão sobre incluir estados e municípios na reforma. Ler o relatório hoje é fundamental para que a Câmara possa votar a reforma antes do dia 18, quando começa o recesso parlamentar. (Globo)

Pois é... A bancada do PSL ameaça retirar 22 votos a favor da reforma da Previdência se as regras para policiais não forem amenizadas, informa Mônica Bergamo. (Folha)

Ontem à noite, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, recebeu em sua casa cinco governadores nordestinos para tentar trazer os entes federativos de volta ao texto que será votado. Rodrigo Maia, presidente da Câmara, também estava lá. (G1)

O petista Wellington Dias, do Piauí, está correndo atrás para garantir a inclusão. Mas, como porta-voz dos governadores nordestinos, tem uma lista de pedidos — todos são relacionados à garantia de que novas receitas para União, estados e municípios sejam destinadas a cobrir o déficit previdenciário que já existe. (UOL)

O juiz Renan Chaves Machado, da 26ª Zona Eleitoral de Minas, ordenou a soltura do assessor e dois ex-auxiliares do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, acusados de organizarem um esquema para desvio de dinheiro envolvendo candidaturas de mulheres laranjas durante o pleito. (Folha)

Havia expectativa de que o presidente Jair Bolsonaro demitisse Antônio ainda ontem. Não aconteceu. “Ele demonstrou o reconhecimento ao trabalho que vem sendo desenvolvido pelo ministro”, explicou o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. “Ele aguarda as investigações para, após analisá-las, tomar as decisões que sejam necessárias, de manutenção ou não manutenção. Mas esse não é 1 tema que esteja perpassando pelo presidente neste momento.” Bolsonaro, afirma o porta-voz, não cogita a demissão. Por enquanto. (Poder 360)

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, participará hoje de uma audiência na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Tentará explicar, aos deputados, as trocas de mensagens atribuídas a ele e aos procuradores da Lava Jato, vazadas pelo Intercept Brasil. (G1)

O vereador carioca Carlos Bolsonaro, que já conseguiu a demissão de dois ministros do Palácio, voltou ontem suas miras para um terceiro: o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional. “Por que acha que não ando com seguranças”, disse a um usuário das redes. “Principalmente aqueles oferecidos pelo GSI? Estão subordinados a algo que não acredito. Tenho gritado em vão há meses e infelizmente sou ignorado. Estou sozinho nessa.” O vereador se referia a uma teoria que circula na rede a respeito de um complô do gabinete contra o presidente. (Estadão)

Dasa

HealthTech


Diego Figueiredo, CEO da Nexo AI: “Apesar do avanço, o erro hospitalar é uma das principais causas de morte dos pacientes. Aproximadamente 440 mil americanos morrem por ano como consequência de equívocos e quase 86% das mortes são evitáveis. A redução desses números passa obrigatoriamente pela implementação das inovações tecnológicas que estão sendo desenvolvidas para o setor. A inteligência artificial, por exemplo, caminha para ocupar todos os lugares. A IA ajuda os médicos humanos a tomarem melhores decisões e com isso o tempo será direcionado para o que é mais importante. O setor da saúde é complexo e altamente regulado, por isso tem resistido tanto à reinvenção tecnológica em comparação com outros setores. Mas é inevitável que a transformação aconteça. O movimento que potencializa a conexão entre máquinas e hospitais já começou. Em breve, a inteligência artificial será tão fundamental para os médicos quanto a internet ou energia elétrica.” (Estadão)

Com menos de dois anos, a Nexo AI é uma das principais startups brasileiras voltadas para Inteligência Artificial. E, na conta da Market Global Insights, uma consultoria, IA em medicina deve movimentar US$ 13 bilhões no mundo ao longo dos próximos seis anos. (Gazeta do Povo)

Pois é... Em 2012, a Deloitte australiana publicou um estudo a respeito de disrupção digital. Analisou inúmeras indústrias e avaliou dois aspectos. Por um lado, o tamanho do pavio para chegar à transformação digital. Em alguns setores, de pavio curto, a transformação virá rápido. Por outro, avaliou o tamanho da explosão. Ou seja — qual o impacto da transformação. Saúde tem pavio longo e explosão grande. A migração para o digital demorará. Mas, quando vier, será de grande impacto.

Mas a questão da regulamentação é mesmo complexa. A Universidade de Chicago e o Google serão processados por violar inadvertidamente a privacidade de inúmeros pacientes. O processo, que se iniciou na semana passada, se refere a uma aliança de 2017 firmada entre a companhia e o Centro Médico da universidade. O hospital entregaria à gigante do Vale dados anonimizados de centenas de milhares de pacientes. Ou seja: todos os dados clínicos, mas não as identidades. Sem dados assim, não é possível alimentar os mecanismos que levam ao aprendizado das inteligências artificiais. O Google, como outras empresas do Vale, está fazendo tantas parcerias deste tipo quanto possível. Quem tiver mais dados que relacionem exames e observações médicas, com evolução clínica, diagnósticos, e características de doenças será capaz de produzir os melhores sistemas voltados para saúde. Mas cada hospital armazena os dados de uma forma e um erro — como o que aconteceu — pode fazer com que os bancos transferidos sejam acompanhados de informações que podem identificar os pacientes. E, assim, o flanco é aberto para um processo caro que, em geral, só as gigantes conseguem encarar. (New York Times)

Cultura


Rever um clássico é sempre inaugural porque é sempre possível descobrir novas coisas. Um dos clássicos de Glauber Rocha, Deus e o Diabo na Terra do Sol será projetado na quinta-feira durante a 17.ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). A cópia não é nova, mas está totalmente restaurada. “Não é um restauro que vamos celebrar, mas os 80 anos de nascimento do meu pai”, disse a artista Ava Rocha, filha de Glauber, ao Estado. Faz sentido. Em 2019, a Flip homenageia Euclides da Cunha, e Os Sertões, que foram referências para o cineasta. Ava fará uma performance de apresentação do filme e promete uma viagem pelas sonoridades – música + ruídos – que há 55 anos não param de fascinar.

Conheça Rosalía, a mais nova estrela do flamenco. Ela sempre soube que seria famosa."Tive uma visão deste momento da minha vida", disse no dia anterior ao seu ensaio para a Vogue espanhola, e uma semana após ser citada por Madonna em uma entrevista. A artista de 25 anos anos foi aclamada pelo New York Times como "a Rihanna do flamenco".

A Netflix divulgou ontem as primeiras fotos oficiais da série The Witcher, adaptação da saga literária de mesmo nome do polonês Andrzej Sapkowski. Henry Cavill, que interpretou o Superman na última franquia do herói no cinema, será Geralt de Rivia. A produção será gravada no Leste Europeu, principalmente na Polônia, e tem previsão de estreia para 2020.

Viver


Chile e Argentina terão a oportunidade de assistir hoje a um eclipse solar total. No Brasil, a visualização parcial, quando apenas parte do Sol é "escondida" pela Lua, começará sobre o oceano às 13h55 e às 18h50 o último ponto na superfície terrestre verá o fim do eclipse. O G1 explica o que você precisa saber e aponta as cidades que verão o fenômeno.

A presença de negros no ensino superior tem tido alguns avanços recentes, mas nos melhores cursos do país o retrato racial é de uma desigualdade mais acentuada. Dados do Censo da Educação Superior, do Ministério da Educação, tabulados pela Folha, mostram que o movimento de inclusão de alunos negros nos últimos anos não alcançou a parcela de cursos mais bem avaliada e de melhor reputação. O cenário inclui instituições públicas e particulares  — ou seja: instituições com e sem cotas. No Top 10 dos melhores cursos de cada carreira, apenas 27% dos alunos em 2016 eram negros. Em 2011, eram 26%. (Folha)

E o IBGE cortou do Censo Demográfico 2020 questões sobre renda e posse de bens, entre outras. As alterações são polêmicas.

Ocorrências policiais aumentaram 250% em apps de encontro somente no estado de São Paulo. A maioria dos crimes está ligada à violência psicológica -- como difamação e ameaças -- mas há casos como estupro, furto e lesão corporal. Os números foram divulgados pela agência Gênero e Número e foram compilados pela Fiquem Sabendo, a partir de boletins de ocorrência registrados de 2014 a 2018.

O ex-presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), general Fraklimberg de Freitas, disse que a mobilização da bancada ruralista para cuidar da demarcação de terras indígenas no país “é preocupante” e que a política indigenista tem sido feita apenas dentro do Palácio do Planalto. Em entrevista ao Estado, Fraklimberg também fez críticas ao secretário especial de Assuntos Fundiários do governo, Luiz Antônio Nabhan Garcia, e defendeu que tinha a competência para estar no cargo do qual foi demitido. (Estadão)

No Japão, a caça comercial de baleias foi retomada após 30 anos de proibição conforme mostram as imagens da AFP. Até o fim do ano, 227 baleias serão capturadas, informou a Agência Pesqueira do Japão. Entenda por que o Japão decidiu voltar a caçar baleias apesar de proibição internacional.

Para quem ama cachorros e gatos: as Top 5 casas, segundo a Dwell. Destaque para a arquitetura, no estilo fazenda, da casa de North Boulder, que deu uma reforçada na luz do dia.


Wimbledon 2019 em imagens. E o primeiro dia começou já com uma zebra. A americana Venus Williams, de 39 anos, foi eliminada na estreia por sua compatriota Cori Gauff, de 15 anos. Quando Gauff nasceu, Venus já tinha quatro títulos de simples de Grand Slam (dois deles em Wimbledon).





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




2 de julho de 2019
Consultar edições passadas