Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



6 de outubro de 2020
Consultar edições passadas

Guedes e Maia se unem para defender teto


Foi um ministro do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, quem recebeu num jantar político o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes. Após brigas ríspidas, os dois procuram se reaproximar. “Na minha última eleição”, lembrou Maia sobre quando chegou ao comando da Casa, “a única pessoa do governo que me apoiou foi o ministro Paulo Guedes.” O ministro seguiu o tom. “Caso eu tenha ofendido o presidente Rodrigo Maia ou qualquer político que eu possa ter ofendido inadvertidamente, peço desculpas também.” Os dois defenderam uma ação conjunta com objetivo claro. É a defesa do teto de gastos. “Nós tínhamos que estar unidos dentro do teto de gastos para encontrar as soluções para o programa de transferência de renda, que precisa ser criado, com todas as dificuldades que teremos”, explicou o deputado. (G1)

De acordo com pesquisa do PoderData, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, é avaliado como ótimo ou bom por 21% dos entrevistados. Dentre os que sabem quem é Davi Alcolumbre, presidente do Senado, 14% o consideram ótimo ou bom. E 42% dos brasileiros são contrários a mudar as regras para que ambos possam se reeleger. O ministro da Economia, Paulo Guedes, é mais bem avaliado do que os parlamentares. 32% o consideram ótimo ou bom. (Poder360)

Meio em vídeo: O reacionarismo de Damares, a barbárie de Salles e a incompetência de Guedes se misturam com o Centrão e podem desembocar num Supremo no qual a corrupção de ricos ou poderosos jamais será punida. O Brasil se encontra, enfim, com sua vocação de república das bananas. (Assista)

Uma série de levantamentos do Ibope indicam que PT, por um lado, e políticos que ascenderam com o bolsonarismo, por outro, estão com dificuldades em viabilizar candidaturas no segundo turno das capitais. Candidatos de esquerda não-petistas que conseguiram unir o campo numa aliança têm vantagem na corrida — são os casos de Edmilson Rodrigues (PSOL), com 39% em Belém, e Manuela D’Ávila (PCdoB), com 24% em Porto Alegre. A maioria, porém, não conseguiu criar uma frente. Os bolsonaristas puros têm dificuldade de enfrentar nomes mais tradicionais da direita que buscaram se ligar ao presidente. No Rio, Marcelo Crivella, e em São Paulo, Celso Russomano, são exemplos da cooptação. O DEM é o partido de maior sucesso no campo da direita, demonstrando força em quatro capitais. Os mais fortes na liderança de pesquisas são Gean Loureiro com 44%, em Florianópolis; Bruno Reis, com 42%, em Salvador; e Eduardo Paes, com 27%, no Rio de Janeiro. (Globo)

Veja se o Ibope tem pesquisa em sua cidade.

O TSE proibiu, mas empresas continuam promovendo disparos em massa via WhatsApp neste período eleitoral. Segundo apurou a jornalista Patrícia Campos Mello, o disparo de um zap sai por R$ 0,15 e um banco de dados com 20 mil números de celular para receber as mensagens, quando os candidatos não têm a lista dos destinatários, custa R$ 1800. O próprio WhatsApp acusa a Yacows, agência que já foi investigada pela CPMI das Fake News, de continuar fazendo o serviço para políticos com outro nome — Message Flow. (Folha)


O presidente americano Donald Trump retornou à Casa Branca, ontem, ao que tudo indica forçando a alta médica. Do balcão da residência, tirou a máscara e fez o registro com fotógrafos oficiais bem próximos para demonstrar força. “Não tenham medo da Covid”, disse Trump num tuíte. Em vídeo, depois, seguiu no mesmo tom. “Nós estaremos no fronte, não permitam que a doença domine suas vidas.” Os esteroides que ele vem usando dão uma sensação de força. (CNN)

Dentre os estrategistas de campanha de Trump, a doença foi percebida inicialmente como uma oportunidade para reposicionar Trump, demonstrando mais empatia para com os mortos. Mas com o ímpeto de demonstrar força do presidente e muitos erros de comunicação, não deu. (New York Times)

Na análise do estatístico Nate Silver, aumentaram as chances de vitória de Joe Biden. Ele tinha 77% de chances, chegou agora a 81%. (FiveThirtyEight)

Viver


O Brasil registrou 398 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 146.773 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 659, uma variação de -7% em relação aos dados registrados em 14 dias. É o 13º dia seguido com essa média abaixo da casa dos 700. No total, 4 estados apresentam alta de mortes: Amazonas, Roraima, Ceará e Sergipe.

Seis estados apresentaram queda na média móvel de mortes. Mato Grosso (-16%), Pará (-36%), Paraíba (-29%), Rio de Janeiro (-21%), Rondônia (-19%) e São Paulo (-16%). É o menor número de estados em queda desde julho.

Pois é... O Conselho Nacional de Educação deve aprovar hoje uma resolução que permite o ensino remoto nas escolas públicas e particulares até 31 de dezembro de 2021. Dessa forma, as redes de ensino podem organizar seus calendários, com reposições de aulas perdidas e avaliações, não apenas até o fim deste ano.

E colégios reabrem as portas hoje na capital paulista com atividades extracurriculares, como idiomas, música e esportes. Apenas uma em quatro mil escolas municipais reabre nesta quarta-feira.

Mike Ryan, o principal especialista em emergências da OMS, disse ao Conselho Executivo da agência que os surtos da infecção estão aumentando em partes do sudeste da Ásia, além de os casos e as mortes estarem aumentando em partes da Europa e na região leste do Mediterrâneo.“Estamos entrando em um período difícil. A doença continua a se espalhar.”

O Reino Unido anunciou que quase 16 mil casos de coronavírus não foram relatados nas últimas semana. O motivo: os arquivos contendo resultados excederam o tamanho suportado pelo Excel. Os casos afetam as cidades de Liverpool e Manchester diretamente e a causa do problema ainda está sob investigação.

E Paris volta a fechar bares para tentar conter nova onda da Covid-19. Decisão passa a valer a partir de hoje na capital francesa e em cidades da região metropolitana. Atualmente, 36% dos leitos de UTI da capital francesa estão ocupados por pacientes com Covid-19. O número de infectados acima dos 65 anos também é alto.

Pois é... A Argentina tem a maior taxa de testes positivos de Covid-19 do mundo, com quase 6 em cada 10 testes apresentando resultado positivo, de acordo com o monitor Oxford Our World In Data. O país, que começou combatendo fortemente o vírus, registrou 20 mil mortes na semana passada. A Argentina tem o oitavo maior número de casos no mundo e está atualmente entre os cinco primeiros em média de novos casos e mortes em 7 dias.

E o Nobel de Física 2020 vai para Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez. Penrose levou o prêmio pela descoberta que a formação de buracos negros é uma previsão robusta da teoria geral da relatividade. Genzel e Ghez ficarão com a outra metade do prêmio, pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia.

Hora de Panelinha. Para ajudar na arrumação, está no ar o projeto Vida Real, um especial com orientações muito precisas de organização, cheio de estratégias para você ficar menos tempo na cozinha, sem abrir mão de comida de verdade, saudável e saborosa. E tudo do jeito Panelinha: com aplicação dos conceitos na prática. A partir de oito receitas, o especial apresenta diversas ideias com estratégias que vão economizar seu tempo. Para curtir mais tempo à mesa.

Cultura


A FLIP, terá mesmo uma edição este ano, mas desta vez num formato virtual, sem homenageado e sem curador. O evento acontece a partir do dia 3 de dezembro, com uma palestra de Bernardine Evaristo, e segue até o dia 6 de dezembro.

Por falar em Bernardine Evaristo, a autora britânica lança, ainda neste mês, a edição brasileira de Garota, Mulher, Outras pela Companhia das Letras. Girl, Woman, Other ganhou o prêmio Booker em 2019 e o livro de ficção do ano no British Book Awards em junho. Vale ler sua entrevista ao The Guardian, em julho deste ano. “Foi difícil para uma escritora negra britânica se destacar”.

House of the Dragon, primeira série derivada de Game of Thrones, contratou Paddy Considine para viver o rei Viserys I. O anúncio foi feito pelo Twitter. A trama se passará cerca de 300 anos antes dos eventos da primeira temporada da série original e teve dez episódios encomendados pela HBO.

Os fãs da tradição criada por George R.R. Martin lembrarão que Viserys I governou Westeros cerca de 100 anos após a Conquista de Aegon. Seus filhos, Rhaenyra e Aegon II, acabariam travando uma guerra civil por seu trono, que ficou conhecida como a Dança dos Dragões. O personagem foi o quinto rei Targaryen. O período, assim como toda a história da Casa Targaryen, foi explorado em Fogo e Sangue, livro escrito por GRRM.

Trecho do livro: “Muitos consideraram o reinado do rei Viserys I a representação do auge do poder Targaryen em Westeros. Sem dúvida, houve mais senhores e príncipes reivindicando o sangue do dragão do que em qualquer outro período antes ou depois”. (Amazon)

Cotidiano Digital


Os aplicativos dos bancos ficaram instáveis na manhã e início da tarde de ontem. Houve reclamações de lentidão e dificuldades de acesso nos apps do Itaú, Bradesco, Santander e Nubank. O problema aconteceu no primeiro dia de cadastro do Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos do BC. Segundo a instituição financeira, foi devido a quantidade de acessos simultâneos.

Então… O cadastro para a chave de acesso ao Pix não tem prazo. Pode ser feito com CPF/CNPJ, email, número de telefone celular ou a chave aleatória, que não precisa de dados pessoais.

Não pegou bem o anúncio do Twitter de que iria remover as contas que desejassem piora ou morte a Donald Trump depois de ele ter pego Covid-19. A plataforma disse que tal conteúdo vai contra sua política contra disseminação de discurso de ódio feita em abril. Mas minorias como mulheres e a comunidade LGBTQ+ criticaram que já relataram abusos desse tipo no passado e que raramente a plataforma agiu. Eis a resposta do Twitter. O Facebook também disse que aplicaria uma política semelhante, mas apenas para aqueles que marcarem o presidente em seus comentários ou postarem em sua página.

Mil e uma manhãs


No último dia da nossa editoria comemorativa, duas recomendações de abres que foram esclarecedoras também para nossa equipe. Um deles foi A ideologia assassina dos chans. Outra: O nascimento, e a queda, da Turma do Pudim, sobre o Centrão. Na Coluna do Tony, segundo o próprio, “a que deu mais trabalho pra fazer”, destaque para Nessa corrida vence quem tem maior poder de arranque. Agradecemos pela paciência por reviver conosco alguns momentos dessas nossas mil edições. E se você não é assinante premium, custa menos que um álbum de figurinhas. Chega mais cedo no e-mail, tem o monitor e tem editoria exclusiva de economia.

Na última semana recebemos milhares mensagens de vocês, nossos leitores. Foram sugestões, críticas, mas principalmente elogios de como o Meio ajuda a começar o dia. Por isso, se pudéssemos pedir algo: compartilhem o Meio com amigos, colegas de trabalho e familiares. Divulgar tem suas vantagens. Após indicar para dez novos leitores, você se torna um Pioneiro. Um programa para os nossos leitores mais próximos. Isso significa acesso ao nosso sistema de curadoria, parte do Monitor. A ferramenta que usamos, ao longo do dia, para coletar links que podem ser usados na news. E alguém que já é Pioneiro, se convidar mais 10 pessoas, ganha outro convite de Meio Premium. Não perca a oportunidade. A gente agradece.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



6 de outubro de 2020
Consultar edições passadas