Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



5 de janeiro de 2021
Consultar edições passadas



Índia veta exportação de vacinas para o Brasil


Autorizada pela Anvisa, a iniciativa da Fiocruz de importar dois milhões de doses da vacina de Oxford sofreu um revés. O Instituto Serum, laboratório indiano responsável pela fabricação do imunizante, informou que o governo da Índia vetou a exportação do produto até que toda sua população em grupo de risco seja imunizada – o país tem 1,3 bilhão de habitantes. De acordo com Adar Poonawalla, CEO do Serum, a venda para outros países só será possível após o governo indiano receber 100 milhões de doses. (Globo)

Como a vacina de Oxford é a principal aposta do governo brasileiro, o Itamaraty entrou em campo para tentar, por vias diplomáticas, resolver o impasse comercial. A estratégia do Brasil é convencer a Índia que os dois milhões de doses são um volume pequeno perto da capacidade de produção do Serum, o que não afetaria o programa de imunização indiano.

E a Anvisa pediu à Fiocruz mais informações sobre a vacina a ser importada. A agência quer garantias de que o imunizante do Serum é, de fato, o mesmo desenvolvido pela Universidade de Oxford e pelo laboratório americano AstraZeneca, do qual o instituto indiano é parceiro.

Empenhadas em comprar cinco milhões de doses da vacina indiana Covaxin, as clínicas particulares brasileiras não poderão administrá-las à vontade. Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que mesmo as clínicas privadas precisarão seguir a ordem de prioridades do Plano Nacional de Imunização. A vacina indiana, cuja eficácia não foi divulgada, ainda precisa de aval da Anvisa.

Correndo por fora, os estados estão negociando diretamente com a Pfizer a compra de vacinas. Segundo a Coluna do Estadão, a empresa ainda aguarda uma decisão do governo federal.

O Brasil chegou a 196.591 mortos por Covid-19, com os 562 óbitos computados ontem. A média móvel dos últimos sete dias voltou a ficar acima de 700, mas indica estabilidade no número de mortes. Desde o início da pandemia foram confirmados 7.754.560 casos da doença no país.

No Reino Unido, apesar de a vacinação já ter começado, o governo decretou um lockdown mais severo a partir de hoje, incluindo o fechamento de todas as escolas de Ensino Médio e de boa parte das fundamentais por tempo indeterminado. O motivo é a disseminação de uma variante do vírus SARS-COV-2 que se espalha mais rapidamente. O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, disse que o governo também está muito preocupado com uma outra mutação, aparentemente originária da África do Sul, uma vez que não há certeza de que as vacinas em uso são eficientes contra ela.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo confirmou dois casos da mutação britânica do coronavírus. As duas pessoas tiveram contato com viajantes do Reino Unido. Embora essa variante do vírus se espalhe mais rapidamente, não há indícios de que seja mais letal ou resistente. O estado pretende pedir na quinta-feira a autorização para o uso emergencial da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan.

A despeito do número crescente de mortes e infecções e da falta de uma vacina, o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Rossieli Soares, segue em sua cruzada para a reabertura das escolas. Ele quer aulas presenciais obrigatórias já no dia 1º de fevereiro. A decisão, porém, cabe ao Conselho Estadual de Educação.

O fechamento das escolas britânicas reflete uma realidade constatada por toda a Europa durante a segunda onda da Covid-19: o número infecções de jovens e crianças em idade escolar está crescendo num ritmo mais acelerado que na primeira fase da doença. (CNN)

O “Complexo de Israel”, grupo de comunidades do Rio dominado por traficantes ligados a igrejas neopentecostais, ganhou a adesão de milicianos, grupos formados a partir da década de 1970 supostamente para combater o tráfico nas favelas. A informação foi obtida pela polícia carioca durante a investigação de um duplo homicídio da favela do Quitungo, na Zona Norte. Dominada pela milícia, ela agora faz parte da organização criminosa-religiosa. Em seus territórios, diz a reportagem, os traficantes evangélicos perseguem e expulsam praticantes de religiões de matriz africana. (Extra)

As mudanças climáticas continuam nos trazendo surpresas. Cientistas russos encontraram a carcaça de um rinoceronte lanudo que teria vivido há 12 mil anos na Sibéria. Preservados pelo gelo até então permanente, os restos do animal surpreendem pela integridade. Órgãos internos e mesmo partes que normalmente se decompõem rapidamente, como o chifre e a lã, estavam quase perfeitamente conservados. Mas a descoberta é também um sinal de alerta. Não são poucos os cientistas que temem o (res)surgimento de doenças — para as quais o ser humano não tem defesas — que venham de vírus e bactérias em organismos até agora congelados.

Política


Maior bancada na Câmara, com 52 integrantes, o PT formalizou o apoio ao deputado Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Casa. Ligado ao atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Rossi vai enfrentar o líder do Centrão, Arthur Lira (PP-AL), que conta com o apoio explícito do Palácio do Planalto. Alguns petistas pretendiam lançar um candidato próprio e só apoiar Rossi num eventual segundo turno, mas acabou prevalecendo a tese de união contra o bolsonarismo. Dos partidos de oposição, somente o PSOL não declarou apoio ao emedebista. Pelas contas do grupo de Maia, seu bloco tem 280 votos para Rossi, enquanto o grupo de apoio a Lira teria 175. São necessários 256 votos para a conquista da presidência, mas vale lembrar que a votação, marcada para 1º de fevereiro, é secreta, o que abre espaço para traições de lado a lado. No próprio PT, por exemplo, apenas 27 dos 52 deputados votaram a favor do apoio a Rossi.

Painel: “Há significados no placar apertado da votação da bancada do PT em Baleia Rossi (MDB-SP) nesta segunda, mas nenhum deles tem a ver com a preferência pelo rival, Arthur Lira (PP-AL). Petistas que foram contra a adesão dizem que dificilmente haverá votos no governista, mas se queixam que faltou negociação. Afinal, a promessa de espaço na Mesa Diretora seria apenas respeito à proporcionalidade dos partidos e, em troca, a sigla deu chance a Baleia de tentar levar no 1º turno.” (Folha)

Aliás... Embora tenha sido inocentado sumariamente pela Justiça alagoana por um suposto esquema de “rachadinhas” quando era deputado estadual, Arthur Lira está sendo cobrado pela Receita Federal em função de uma multa de R$ 1,9 milhão devido a movimentações suspeitas e não declaradas no mesmo período. (Estadão)


As eleições de segundo turno para o Senado que ocorrem hoje, no estado americano da Geórgia, vão definir os primeiros anos do governo Joe Biden. Em uma das disputas, o reverendo Raphael Warnock, sucessor de Martin Luther King no púlpito da célebre Ebenezer Baptist Church de Atlanta, tenta tirar de sua cadeira a trumpista Kelly Loeffler. Na outra, o jovem documentarista Jon Ossoff, de apenas 33 anos, tenta a vaga de David Perdue, irmão do ministro da Agricultura de Trump. Se os democratas ganharem as duas corridas, terão maioria nas duas casas do Congresso, e Biden governará sem precisar negociar com os adversários. As pesquisas — que, no estado, acertaram o resultado da eleição presidencial — indicam vantagem democrata dentro da margem de erro. A não ser que o resultado seja muito apertado, os vencedores devem estar claros ainda esta noite. Há receio, entre muitos republicanos, de que as acusações feitas pelo presidente de que as eleições na Geórgia foram fraudadas inibam parte dos eleitores do partido de irem às urnas. (New York Times)

Meio em vídeo. Se você é brasileiro, devia se preocupar com o que Donald Trump está fazendo nos Estados Unidos. É uma tentativa de golpe de Estado. De mudar o resultado da eleição à força e contra a lei. O que isso tem a ver com o Brasil? No Ponto de Partida desta semana, o editor Pedro Doria explica. Assista no Youtube.

Aliás... A 15 dias de perder o emprego, o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, usou o Twitter para rasgar elogios ao colega brasileiro Ernesto Araújo, que respondeu ao mimo no mesmo tom. Foi a senha para que pipocassem comentários ferinos na Internet. (Poder 360)

Julian Assange, fundador do Wikileaks não será, pelo menos por enquanto, extraditado para os Estados Unidos, onde responde a acusações de espionagem. A juíza Vanessa Baraitser, da corte penal de Londres, considerou que há grande risco de Assange cometer suicídio caso seja entregue à Justiça americana. Os processos contra ele começaram em 2010, após o Wikileaks publicar centenas de milhares de documentos confidenciais militares e diplomáticos de Washington. Se for julgado e condenado nos EUA, o australiano pode receber uma pena de até 175 anos de prisão. O governo americano já avisou que vai recorrer da decisão.

E por falar... O ano em que o Wikileaks mudou o mundo está no ar. É uma série, assim como na TV. Mas em newsletter. Quem assina, gratuitamente, recebe um episódio por semana. Nela, a codiretora da Agência Pública, Natalia Viana, única jornalista brasileira a trabalhar diretamente com o Wikileaks, conta a história deste vazamento que sacudiu os alicerces do governo americano e da diplomacia mundial, em parceria com o Meio. Todas as segundas. Assine.

Cultura


Mesmo morto em janeiro de 2016, David Bowie não deixa de encantar nem de ter joias reveladas ao público. No próximo dia 15, por exemplo, sairá o terceiro disco de uma série de seis chamada Brilliant Live Adventures, trazendo apresentações ao vivo nas mais diversas épocas e palcos, incluindo show no Rio de Janeiro em 1997. (Folha)

A Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR) ameaça ir à Justiça contra o Mercado livre para coibir a venda de livros piratas. Segundo a entidade, 64% da venda de livros em formato PDF no país é feita por meio da plataforma. Em nota, o Mercado Livre disse que “repudia o uso indevido” de seu sistema. (Estadão)

Com estreia prevista para agosto, o novo longa do Esquadrão Suicida não vai agradar as crianças, já que elas ficarão barradas na porta. O diretor James Gunn confirmou que o filme será proibido para menores de 18 anos. A ideia não é inédita, Deadpool e Logan, ambos da Marvel, já tiveram essa classificação, devido à violência gráfica e a breves cenas de nudez. Gunn tem a difícil de tarefa de dar fôlego à franquia da DC após a crítica massacrar o primeiro filme, de 2016. Do original, Margot Robbie (Arlequina), Joel Kinnaman (Rick Flagg), Viola Davis (Amanda Waller) e Jai Courtney (Capitão Bumerangue) retomam seus papéis. E a multidão de novos anti-heróis ganha o reforço do astro Idris Elba, como Sanguinário.

Cotidiano Digital


Em um movimento inédito no Vale do Silício, os funcionários do Google criaram um sindicato. A indústria tecnológica é conhecida por resistir a organizar sua força de trabalho. Mas com o Alphabet Workers Union, os funcionários querem ir além de contratos de trabalho e focar no ativismo de questões como diversidade, discriminação salarial e assédio sexual. Desde 2018 o Google sofre críticas e greves internas contra suas políticas e recentemente voltou ao centro do debate com a demissão de Timnit Gebru, pesquisadora negra de inteligência artificial. (New York Times)

A manhã de ontem foi complicada para quem trabalha remotamente — inclusive cá no Meio. No primeiro dia de retorno ao trabalho para muitos, a plataforma de mensagens Slack sofreu, mundialmente, problemas de conexão e de carregamento dos canais. A origem dos problemas não foi identificada, mas o acesso retornou aos poucos no início da tarde. Os usuários também relataram dificuldades com os serviços do Google no período da manhã. Tiveram problemas no acesso ao Gmail e instabilidade na busca no Google, no YouTube e no Google Drive.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



5 de janeiro de 2021
Consultar edições passadas