Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



20 de maio de 2021
Consultar edições passadas



Salles investigado por ajudar madeireiras ilegais


A Polícia Federal amanheceu, ontem, à porta da casa do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em São Paulo, assim como em seus escritórios em Brasília e no Pará. Revirou tudo. A Operação Akuanduba investiga a eliminação da necessidade de documentos que comprovem a origem legal de madeira exportada a partir da Amazônia. Foram, ao todo, 35 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo ministro do STF Alexandre de Moraes. Ele também determinou o afastamento imediato do presidente do Ibama, Eduardo Bim, e de outros nove servidores. Segundo a PF, funcionários do ministério e do Ibama operavam um “grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais”. O Coaf ainda identificou movimentações suspeitas de dinheiro com trilha que chega ao escritório de advocacia de Salles, que teve os sigilos quebrados. (Globo)

Ao saber da operação, conta o Painel, Salles foi de presto — e acompanhado de um assessor armado — à superintendência da PF em Brasília cobrar explicações sobre a ação. Ouviu que o caso estava sob a responsabilidade do ministro Moraes e corria em segredo de Justiça. (Folha)

Em seguida, o ministro foi ao Palácio do Planalto, onde se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro. Segundo Bela Megale, o ministro da Justiça, Anderson Torres, a quem a PF é subordinada, participou do encontro. (Globo)

Então... A investigação sequer é brasileira. Começou nos EUA, quando o FBI estranhou a chegada de um carregamento de toras. Através do serviço diplomático, questionou o Brasil por que a madeira não estava mais sendo documentada. (Veja)

Entenda como funciona o esquema do qual Salles é acusado. (Estadão)

Pois é... Toda a operação passou ao largo do procurador-geral da República, Augusto Aras. Por ordem do Supremo. Havia medo de que Aras passasse ao Planalto a informação — ele, porém, não gostou nem um pouco. Em nota, a PGR disse que a ação, “em princípio, pode violar o sistema constitucional acusatório.” (UOL)

Para integrantes do próprio governo, conta Gerson Camarotti, a situação de Salles ficou insustentável, inclusive por afetar o discurso anticorrupção que Bolsonaro vende a seus apoiadores. Outro grupo, porém, defende a permanência dele, alegando que a ação é uma retaliação do STF. (G1)

Salles, por sua vez, classificou a operação como “exagerada e desnecessária”. Mas houve quem tenha ficado feliz. O delegado da PF Alexandre Saraiva, afastado da superintendência do Amazonas após acusar o ministro de interferir para beneficiar madeireiros ilegais. No Twitter, Saraiva citou até a Bíblia: “Salmo 96:12: ‘Regozijem-se os campos e tudo o que neles há! Cantem de alegria todas as árvores da floresta’”. (Poder360)

Desde o início do governo o ministro acumula uma coleção de polêmicas. Confira. (CNN Brasil)

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello tinha um habeas corpus do STF para ficar calado em seu depoimento ontem na CPI da Pandemia, mas não o usou. Em vez disso, mentiu. Muito e sempre para blindar Jair Bolsonaro. Disse que o presidente jamais interferiu nos assuntos do ministério, apesar de sido publicamente desautorizado por ele na tentativa de comprar a CoronaVac em 2020. Para Pazuello, as manifestações públicas de Bolsonaro eram “coisa de internet”. Alegou que a compra de vacinas da Pfizer demorou por pareceres contrários de órgãos como o TCU, apenas para ser desmentido em tempo real pelo tribunal, que enviou mensagem ao relator Renan Calheiros (MDB-AL) negando a informação. “O senhor já mentiu demais. Eu não tenho nem tempo para elencar todas elas”, reclamou a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). (El País)

Diante da rotina de mentiras dos últimos depoimentos, Renan anunciou que pretende contratar uma agência de checagem para conferir em tempo real o que é dito à CPI. (Globo)

Checagem, tem. A Aos Fatos encontrou pelo menos nove mentiras ditas pelo ex-ministro. Além de outras imprecisões. (Aos Fatos)

O interrogatório de Pazuello foi interrompido no fim da tarde e será retomado hoje, com 23 senadores inscritos para fazer perguntas. Segundo o senador e médico Otto Alencar (PSD-BA) o ex-ministro teve uma síndrome vasovagal e precisou ser atendido, mas se recuperou. (UOL)

Pazuello depois negou ter passado mal, o que levou Alencar a ironizar: “Até em problema de doença ele nega. Ele negou tanto na CPI que agora decidiu mentir até sobre o seu estado de saúde”. (G1)

Mas no Planalto o depoimento de Pazuello foi comemorado, especialmente por contradizer as alegações de seus antecessores sobre a interferência de Bolsonaro na gestão da Saúde. (Folha)

A campanha eleitoral aproxima ex-adversários e afasta ex-aliados. Lula elogiou ontem a entrevista na qual Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse que, num segundo turno entre o petista e Bolsonaro, votaria no primeiro. “Eu faria o mesmo se fosse contrário”, tuitou. Ele também respondeu a seu ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que o chamara de “o maior corruptor da história brasileira”. “Eu adoraria dizer que o Ciro é um amigo. Mas infelizmente ele não quer. Não farei jogo rasteiro”, rebateu Lula. O pedetista reagiu dizendo que o ex-presidente “não quer debater o país” e “reduz a política a uma briga de amigos”. (UOL)

Meio em vídeo. Você assistiu, comentou, compartilhou. Concordou, discordou, quem sabe até mudou o seu ponto de vista sobre determinado aspecto da política brasileira. O que importa é que nós só chegamos até a edição de número 100 do Ponto de Partida porque você acreditou no nosso trabalho. Para celebrar esta marca e o seu apoio, o editor Pedro Doria preparou um vídeo especial, respondendo e reagindo aos comentários que nós recebemos por aqui e através das nossas redes sociais. Confira no YouTube.

A edição de sábado do Meio, exclusiva para assinantes premium, vai além de um tema principal e mergulha em outros assuntos como tecnologia, música e literatura. Quer um exemplo? Já falamos do impacto do ano 1959 na história do jazz, dos rituais diários de artistas, do fotógrafo que popularizou o slogan Black is Beautiful, e até mesmo sobre Computação Quântica. É uma edição feita para ser curtida com calma, no fim de semana. Assine você também.

Embratel

Tech no próximo nível


As consultas virtuais, também chamada de telemedicina, tornaram-se mais frequentes com a pandemia. Elas permitem consultas remotas de quem não consegue ou não pode sair de casa, e facilitam o acesso à especialistas por pessoas que moram em locais distantes dos grandes centros. Um relatório da Deloitte sobre as perspectivas do setor de saúde em 2021 mostra que, em abril de 2020, 28% dos pacientes foram atendidos por meio dessa modalidade. No começo de 2019, o número era de 15%.

Já a FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), com dados de 8 das 15 maiores empresas de assistência médica e odontológica do país, fala que a telemedicina atingiu 2,6 milhões dos atendimentos a beneficiários de planos de saúde entre fevereiro de 2020 e janeiro deste ano.

Vale lembrar que, até abril do ano passado, a teleconsulta não era regulamentada. A primeira versão do texto autorizava a consulta virtual somente no contexto da pandemia. Recentemente, a lei ganhou uma complementação que prevê a regulamentação pelo Conselho Federal de Medicina.

Viver


Três cidades do interior de São Paulo voltaram a decretar lockdowns diante do aumento no número de casos e internações por Covid-19, e outros municípios estudam a mesma medida. Franca, Bebedouro e Batatais já registram filas de espera para leitos de UTI. Mesmo assim, o governador João Doria (PSDB) anunciou para o mês que vem uma flexibilização nas regras de isolamento. (UOL)

A Fiocruz interrompeu ontem a produção da vacina de Oxford/AstraZeneca por falta do insumo farmacêutico ativo (IFA). Há previsão de chegada de dois lotes no sábado, o que permitirá a retomada da fabricação na terça-feira. Por outro lado, um lote de 629.460 doses da vacina da Pfizer chegou ontem ao país. (CNN Brasil)

Enquanto isso... O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se reuniu nesta quarta-feira com representantes do laboratório americano Moderna. Em março havia a expectativa do fechamento de um contrato para a compra de 13 milhões de doses da vacina da Moderna, usada nos EUA, mas o negócio não chegou a ser concluído. (Poder360)

Após oito dias de queda a curva de mortes no país voltou a se estabilizar. Ontem foram registrados 2.485 óbitos, totalizando 441.864. A média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.944. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -14%, o que indica estabilidade. (G1)

Mas há uma notícia fofa no meio da pandemia. O catarinense Enrico Izidoro está imunizado contra a Covid-19 sem ter tomado vacina. Ele nasceu há 40 dias, e sua mãe, a médica Talita Mengali Izidoro, havia tomado duas doses da CoronaVac. Um exame mostrou que o menino herdou os anticorpos da mãe, o que está sendo reforçado pelo aleitamento. (Globo)

Um dos mais famosos marcos das Ilhas Galápagos, o Arco de Darwin, uma formação rochosa, desabou na segunda-feira. Segundo o Ministério do Meio Ambiente do Equador, país ao qual pertence o arquipélago, o processo de desgaste foi natural. (G1)

A China divulgou ontem as primeiras fotos de Marte enviadas pelo veículo-robô Zhurong. Chamado com o nome do deus do fogo, o rover pousou com sucesso no Planeta Vermelho no último sábado. (Globo)

Panelinha no Meio. Vamos passar a palavra, via Twitter, para nossa mestra Rita Lobo: “Parece que hoje tem PF bombando! No @Panelinha, todo dia é dia de pê-efe: arroz, feijão, duas hortaliças e, pra quem come, um pedaço de carne. Comida boa tem que fazer bem pro corpo e pro meio ambiente. Vem conhecer a fórmula da PF, digo, do pê-efe.”

Cultura


Com estreia marcada para o dia 27 na HBO Max, o especial com a reunião do elenco de Friends ganhou seu primeiro trailer. A série, que foi ao ar de 1994 a 2004, foi um dos maiores sucessos da TV em todo o mundo. O trailer mostra a emoção no reencontro de Jennifer Aniston, Lisa Kudrow, Courteney Cox, David Schwimmer, Matthew Perry e um irreconhecível Matt LeBlanc. (Estadão)

Depois da violência, a arte. Ajudados por crianças da favela do Jacarezinho, cerca de 30 grafiteiros transformaram em painéis coloridos as paredes marcadas por tiros disparados na operação  que deixou 27 moradores e um policial mortos. “A gente presenciou tudo aquilo. Foi desesperador. O projeto veio para amenizar esse sentimento”, diz Thiago Nascimento, um dos idealizadores do projeto. (Folha)

Demi Lovato anunciou nesta quarta-feira, por meio das redes sociais, que se considera uma pessoa não-binária, que não se define como homem ou mulher. “Isso aconteceu depois de muito trabalho de cura e autorreflexão. Ainda estou aprendendo e mergulhando dentro de mim, e não pretendo ser especialista ou porta-voz. Compartilhar isso com vocês agora abre um outro nível de vulnerabilidade para mim”, escreveu Lovato. (G1)

E o escritor Fabrício Carpinejar participa hoje, às 19h, do Sempre Um Papo Em Casa, falando sobre o livro Coragem de Viver, que escreveu em homenagem à mãe, a poeta Maria Carpi. O acesso é gratuito através dos canais do Sempre Um Papo no Instagram, no YouTube e no Facebook.

Cotidiano Digital


O WhatsApp atendeu ao pedido de órgãos públicos na semana passada e adiou o prazo para o usuário aceitar ou não a nova política de privacidade do aplicativo. Um dos pontos em debate é exigir que o usuário aceite o compartilhamento de dados do WhatsApp Business com o Facebook. Quem se aproveita desse momento de confusão são os rivais Telegram e Signal, cujos downloads cresceram 98% e 1.192%, respectivamente, no primeiro trimestre do ano em relação ao mesmo período no ano anterior. (UOL)

A Amazon prorrogou por tempo indeterminado a proibição do uso de sua tecnologia de reconhecimento facial, a Rekognition, pela polícia. A decisão inicial foi tomada no ano passado, quando ocorriam os protestos contra a violência policial nos Estados Unidos. À época, a justificativa foi de dar mais tempo para o Congresso dos EUA criar garantias para o uso da tecnologia. (G1)

“Estamos menos vivos quando nos concentramos nas telas”, diz Richard Louv, autor do livro A Última Criança da Natureza. Em entrevista, ele fala que o uso excessivo de tecnologia, agravado pela pandemia, causa “déficit de natureza”, e o antídoto seria estar ao ar livre. (BBC Brasil)

O Twitter afirmou que a tecnologia de inteligência artificial da empresa tende a cortar pessoas negras e homens das fotos. Três funcionários da empresa fizeram um estudo após os usuários descobrirem que a rede social fazia cortes automáticos em fotos com pessoas negras. Seus rostos eram cortados nas imagens prévias, aquela que aparece antes da publicação expandir ao ser clicada. (UOL)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



20 de maio de 2021
Consultar edições passadas