Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



18 de junho de 2021
Consultar edições passadas



Prezadas leitoras, caros leitores —

Em julho, dois dos três bilionários que fundaram empresas aeroespaciais vão deixar a Terra e flutuar para além da atmosfera num passeio turístico. São Richard Branson e Jeff Bezos. Ainda não será a vez do terceiro, Elon Musk. Mas a era do turismo espacial acaba de começar.

As companhias são três. A SpaceX, de Musk, que já é contratada da NASA para levar tripulantes até a Estação Espacial Internacional. A Blue Origin, de Bezos, que briga com Musk por este mercado governamental. E, correndo por fora, a Virgin Galactic de Branson.

Os três têm visões muito diferentes de negócios — principalmente a longo prazo. Musk tem por meta chegar a Marte, e quando possível colonizar o planeta. Ele não vê muitas esperanças para o futuro da Terra. Bezos é o oposto. Acredita que as indústrias mais pesadas podem no futuro ir para a Lua de forma que a Terra seja um ambiente cada vez mais agradável aos humanos. Já Branson planeja uma empresa de turismo pura e simples.

Mas como são os detalhes dessas três visões? Qual o futuro do negócio espacial? E, mesmo — será possível, ainda em nossas vidas, pagar uma passagem que permita a pessoas comuns flutuar por uns minutos em gravidade zero, observar o espaço sem o filtro da atmosfera e quem sabe meditar ali sobre a existência?

Este é o tema da edição de Sábado deste Meio. Aquela mesma edição que todos os assinantes premium recebem. O futuro é logo ali.

Assine.

Custa tão pouco que não cobre o segundo chope.

— Os editores.


MP da Eletrobrás passa no Senado com mais jabutis


O texto-base da MP de privatização da Eletrobrás foi aprovado ontem pelo Senado. No entanto, foram feitas uma série de alterações, o que levará o texto novamente à votação da Câmara, marcada para dia 21, último dia antes da medida perder validade. O relator Marcos Rogério (DEM-RO) recuou a pedido do governo na exigência de contratação de termelétricas movidas a gás natural antes da desestatização. Mas incluiu um dispositivo que tira poderes do Ibama e da Funai no licenciamento da linha de transmissão de energia Manaus-Boa Vista. Outro “jabuti” foi o aumento da contratação de térmicas a gás mesmo onde não há reservas nem infraestrutura. Associações do setor calculam que o texto do Senado adicionou um custo de R$ 15 bilhões, elevando a despesa que será paga pelos brasileiros para R$ 84 bilhões. (Folha)

A aprovação da MP representa uma intervenção no setor elétrico no mesmo nível da feita pela ex-presidente Dilma Rousseff. Essa é a avaliação da economista Elena Landau, que comandou o programa de privatizações durante o governo FHC. “Isso é natural num governo petista, mas num governo que se diz liberal, é espantoso”, diz. Segundo ela, o ideal seria deixar o texto caducar e fazer uma privatização com seriedade. Da maneira como está, afirma, o governo joga para a sociedade o prejuízo da venda da estatal. (Estadão)

Confira como votaram os partidos e os senadores. (Poder360)

O empresário bolsonarista Carlos Wizard, suspeito de financiar e integrar o “gabinete paralelo” que aconselhava Bolsonaro à revelia do Ministério da Saúde, faltou ao depoimento na CPI da Pandemia marcado para ontem. Ele tinha um habeas corpus que lhe permitia ficar em silêncio, mas era obrigado a comparecer. O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que vai pedir à Justiça a condução coercitiva de Wizard e a apreensão de seu passaporte. E a CPI adiou o depoimento do auditor afastado do TCU Alexandre Figueiredo Marques, suspeito de produzir um relatório “extraoficial” sobre supernotificação de mortes na pandemia. (G1)

Falando em habeas corpus, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitaram a proposta do presidente da Corte, Luiz Fux, de concentrar em um único relator os pedidos de habeas corpus envolvendo a CPI. Ministros diferentes têm tomado decisões conflitantes sobre o assunto. (CNN Brasil)

E foi anunciada ontem a nova Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19. Rosana Leite de Melo é médica, se declara “defensora da ciência” e apoiou publicamente os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Sérgio Moro quando entraram em choque com o presidente Jair Bolsonaro. Ou seja, ninguém tem ideia de quanto tempo ela dura no cargo. (Globo)

O governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou ontem sua desfiliação do PCdoB, fazendo o partido perder seu único chefe de um Executivo estatual. A expectativa é que Dino se filie ao PSB e saia candidato ao Senado no ano que vem. A legenda também deve receber outro político de forte expressão, o deputado Marcelo Freixo, que acaba de deixar o PSOL e é potencial candidato ao governo do Estado do Rio. (Poder360)

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente Lula (PT) defendeu ontem que cada partido apresente um candidato, em vez de buscar um terceira via para enfrentá-lo e ao presidente Jair Bolsonaro. “Não tem que procurar um só, tem que procurar dez. Cada partido deveria lançar um candidato, e o povo vai votar e escolher quem pode ser eleito”, disse. A declaração veio um dia depois de presidentes de cinco partidos se reunirem para discutir uma candidatura comum. (UOL)

Falando a apoiadores, Bolsonaro classificou como “quase certa” sua filiação ao Patriota. “Mas é igual um casamento, a gente tem que planejar bem para depois não dar problema”. (Poder360)

A “motociata” promovida por Jair Bolsonaro no último sábado em São Paulo serviu para que empresários ligados ao ato montassem uma rede de contatos com informações pessoais de milhares de cidadãos. Interessados em participar da manifestação eram induzidos a preencher uma ficha online com seus dados, supostamente por exigência do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência. A despeito de o pedágio da Rodovia dos Bandeirantes ter registrado a passagem de menos de 7 mil motos, os organizadores afirmam terem coletado dados de 500 mil pessoas. (Estadão)

Meio em vídeo. Milhares de contas, possivelmente para lá das dezenas de milhares de contas, desapareceram do Twitter esta semana. A extrema-direita grita censura. Por trás deste fazer-se de vítima existem alguns truques. Primeiro, esconde que essa guerra a direita está ganhando, e de lavada. E, depois, distrai para uma tática importante que é a base do bolsonarismo. A da radicalização via redes. Confira o Ponto de Partida no YouTube.


Guinness Book of Lies

Tony de Marco

Motociata

As animações do Meio estão disponíveis em NFT. Colecione. Não é fake news.

Está difícil acompanhar as notícias, não é? Anda tudo muito rápido, muito dinâmico e barulhento. O Meio te ajuda a separar o que é importante. Aos sábados, uma edição especial em que te oferecemos um contexto sobre grandes temas do momento. Assine o Premium e não perca tempo no seu dia.

Destrave sua gestão

Destrave sua gestão


Manter um ritmo constante de crescimento e inovação é um desafio para qualquer negócio. Um adicional para as franquias é ainda manter uma única cultura mesmo sob comando de diferentes gestores. Segundo a Endeavor, muitas franquias brasileiras ainda falham em transmitir a cultura da empresa para os franqueados porque não aplicam um modelo de gestão mais participativo. Esse sistema implica uma série de fatores: desde um conselho de franqueados formalizado e atuante e capacitação de funcionários, até padronização de sistemas de gestão com métricas mais específicas para toda a rede.

Hoje uma empresa de mais de US$ 200 bilhões, a Netflix chegou a liderança do streaming com um modelo de gestão pouco convencional. Adotou uma cultura que coloca as pessoas acima dos processos, enfatizando mais a inovação, transparência e compartilhamento de informações do que eficiência e controles. Mesmo assim, há nitidez de quando o foco deve ser nas pessoas e quando deve, sim, ser na especificação dos processos. Na questão de segurança, por exemplo, seja de dados ou dos funcionários, a empresa mostra que não deve deixar de lado protocolos e procedimentos. (Estadão)

A pandemia afetou diretamente o faturamento das empresas. Segundo o Sebrae, para a maioria das MPEs, significou uma perda média de 40% da receita. Mapeamento de todas as despesas, classificação dos tipos de gastos e adoção de softwares de gestão financeira, são algumas das soluções para melhorar as finanças, não só para este tempo de crise, mas para dar saúde financeira ao negócio. Confira mais dicas. (Pequenas Empresas & Grandes Negócios)

Cultura


A TV Globo decidiu antecipar o afastamento de Fausto Silva, que vai trocar a emissora pela Band na virada do ano. Ele será substituído por Tiago Leifert, que apresentou o Domingão na semana passada, devido a um problema de saúde de Faustão. Em 2022, a atração será substituída por um novo programa comandado por Luciano Huck. (Globo)

Um câncer de pulmão matou nesta quinta-feira, aos 86 anos, a jornalista e escritora Janet Malcolm, uma das mais respeitadas ensaístas e articulistas dos Estados Unidos. Nascida na então Tchecoslováquia, imigrou criança para os EUA e trabalhava desde 1963 na célebre revista The New Yorker. Seu livro mais famoso, O Jornalista e o Assassino (1990), usa a ficção para discutir a ética profissional. (Folha)

Já está rolando o 13º In-Edit Brasil, principal janela de documentários do país. Secos & Molhados, Moby, Alzira E, Paulo César Pinheiro e Speedfreaks estão entre os artistas retratados.

Direto do Sesc Guarulhos, Tulipa Ruiz se apresenta hoje ao lado do trio Pipoco das Galáxias. Amanhã, é a vez de Mônica Salmaso e Teco Cardoso ocuparem o Palco Virtual do Itaú Cultural.

A Osesp abre hoje o ciclo que lembra os 50 anos da morte de Igor Stravinsky com a versão completa do balé O Pássaro de Fogo, sob a regência de Thierry Fischer. Amanhã, a pianista Juliana Rodrigues promove um intercâmbio cultural em live com a espanhola Maria Fajardo e o paraguaio Seba Ramirez.

Para ver a agenda completa, clique aqui.

Viver


Após mais de dois meses, a média móvel de mortes por Covid 19 no Brasil voltou a indicar tendência de alta. Com os 2.335 óbitos registrados na quinta-feira, a média chegou a 2.005 em sete dias. Além de ultrapassar 2 mil pelo segundo dia consecutivo, ela representa uma alta de 19% em relação aos 14 dias anteriores, bem acima do limite de 15% que marca estabilidade. No total, 496.172 pessoas perderam a vida para a pandemia no país. (G1)

Por outro lado, ontem foi o dia em que o Brasil aplicou a maior quantidade de vacinas desde o início do programa de imunização. Foram 2,2 milhões de doses administradas, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde. (Folha)

E mudou mesmo o perfil dos casos graves de Covid-19. Segundo o boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz, as maiores concentrações de casos, mortes e internações em UTIs são de pessoas abaixo de 60 anos. O boletim aponta ainda o recrudescimento da pandemia no inverno. (Globo)

E a Justiça proibiu a prefeitura de Betim, na grande Belo Horizonte, de vacinar adolescentes entre 12 e 14 anos. Pela decisão, tomada a pedido do Ministério Público, a vacinação de menores só poderá ser retomada após a comprovação de que toda a população acima de 18 anos foi imunizada. (Estadão)

A seca que coloca o Brasil na iminência de uma crise energética e já afeta negativamente o agronegócio não é exclusividade nossa. Segundo a ONU, a escassez de água pode causar estragos em escala mundial muito parecidos com os da pandemia de Covid-19. A organização prevê estiagens cada vez mais intensas na África, nas Américas Central e do Sul, no centro da Ásia, no sul da Austrália, no sul da Europa, no México e nos Estados Unidos. (Veja)

Policiais do Distrito Federal e de Goiás acreditam ter fechado o cerco a Lázaro Barbosa de Souza, suspeito de uma série de homicídios e estupros na região. Ele foi visto perto da casa do pai, na cidade goiana de Girassol. Segundo testemunhas, houve uma intensa troca de tiros, mas Lázaro ainda não foi capturado. (Metrópoles)

Esta semana viralizou nas redes o vídeo de um casal branco acusando um homem negro de ter furtado sua bicicleta elétrica. A acusação injusta custou aos dois seus empregos e uma investigação por racismo. Ontem a polícia do Rio identificou por câmeras de segurança o verdadeiro ladrão, Igor Martins Pinheiro, de 22 anos, branco, louro, morador da Zona Sul e dono de 28 anotações policiais. (Globo)

Cotidiano Digital


Motorola, Samsung e Apple foram notificadas pelo Procon de São Paulo por segurança nos dados em smartphones. O motivo é que a entidade descobriu quadrilhas que conseguem acessar dados bancários dos aparelhos furtados mesmo que o dono do smartphone tenha colocado senhas e outras barreiras de segurança.

Aliás… Uma pesquisa descobriu que mesmo com mais regras, de 2020 para 2021 as empresas aumentaram a coleta de dados dos usuários. O Facebook lidera, com coleta de 79,49% de todos os dados que uma empresa poderia pegar legalmente. É seguido por Instagram, Tinder, Grindr, Uber e TikTok.

Novidades. O Spotify lançou o seu rival do Clubhouse, app de salas de áudio. Diferente do concorrente, o Greenroom não exige convites para se cadastrar. Já está disponível no Brasil tanto para Android quanto iOS e funciona de forma separada do app de música, mas é possível usar o mesmo login.

E o Google lançou a sua primeiro loja física e o local escolhido foi Nova York. Confira fotos.

O CEO da Microsoft Satya Nadella vai acumular funções e foi nomeado à presidência do conselho da big tech. Essa é a primeira vez que um único executivo ocupa os dois cargos desde Bill Gates.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



18 de junho de 2021
Consultar edições passadas