Com R$ 20 bilhões em dívidas, Gol entra com pedido de recuperação judicial nos EUA

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Com dívidas que somam R$ 20 bilhões, a Gol Linhas Aéreas recorreu nesta quinta-feira ao Capítulo 11 no Tribunal de Falências dos Estados Unidos, em Nova York, segundo comunicado divulgado pela companhia aérea. Equivalente à recuperação judicial no Brasil, o processo permite que a empresa capte recursos e faça uma reestruturação financeira enquanto preserva sua operação. A aérea inicia o processo com o compromisso de receber US$ 950 milhões, em aporte de acionistas da Abra, a holding controladora da companhia e da colombiana Avianca. Esse investimento, que depende de aprovação judicial, juntamente com o caixa das atividades regulares da Gol, “fornecerá liquidez substancial para apoiar as operações”, que seguirão normalmente. Na quarta-feira, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, disse que o governo prepara medidas para ajudar as companhias aéreas, que amargam prejuízos e acumulam dívidas desde a pandemia de Covid-19, com a criação de um fundo de até R$ 6 bilhões. (Globo)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.

Se você já é assinante faça o login aqui.

Fake news são um problema

O Meio é a solução.

R$15

Mensal

R$150

Anual(economize dois meses)

Mas espere, tem mais!

Edições exclusivas para assinantes

Todo sábado você recebe uma newsletter com artigos apurados cuidadosamente durante a semana. Política, tecnologia, cultura, comportamento, entre outros temas importantes do momento.


R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)
Edição de Sábado: A ideologia de Elon Musk
Edição de Sábado: Eu, tu, eles
Edição de Sábado: Condenados a repetir
Edição de Sábado: Nísia na mira
Edição de Sábado: A mão forte de Lula

Meio Político

Toda quarta, um artigo que tenta explicar o inexplicável: a política brasileira e mundial.


R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)

‘Mapa de apoios está desfavorável ao Irã e sua visão de futuro’, diz Abbas Milani

17/04/24 • 11:00

O professor Abbas Milani nasceu no Irã. Foi preso pelo regime do xá Reza Pahlavi. Depois, perseguido pelo regime islâmico do aiatolá Khomeini. Buscou abrigo nos Estados Unidos na década de 1980, de onde nunca deixou de lutar por uma democracia em seu país de origem. Chegou a prestar consultoria a George W. Bush e Barack Obama, numa louvável disposição de colaboração bipartidária. Seu conselho sempre foi o mesmo: o Irã deve se reencontrar com um regime democrático, secular, por sua própria conta. Sem interferências externas.

Sala secreta do #MesaDoMeio

Participe via chat dos nossos debates ao vivo.


R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)

Outras vantagens!

  • Entrega prioritária – sua newsletter chega nos primeiros minutos da manhã.
  • Descontos nos cursos e na Loja do Meio

R$15

Mensal

R$150

Anual
(economize 2 meses)