Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



21 de janeiro de 2020
Consultar edições passadas

Regina Duarte aceita secretaria de Cultura, mas tem oposição de olavistas


Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro, a atriz Regina Duarte aceitou, ontem, ocupar o cargo de secretária de Cultura do governo a partir de hoje. “Nós vamos noivar”, ela disse, “vou lá conhecer onde vou habitar, com quem que vou conviver, quais são os guarda-chuvas que abrigam a pasta, enfim, a família. Noivo, noivinho”, seguiu. Seu objetivo é pacificar a relação do governo com a classe artística mas, ela diz, este é um período de testes para ver se consegue se adaptar. “Sou apoiadora deste governo desde sempre e defendo a classe artística desde os 14 anos”, falou a Mônica Bergamo. A atriz foi convidada por Jair Bolsonaro para comandar a pasta após a demissão de Roberto Alvim, que divulgou um vídeo citando o ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels. A atriz não deixou claro se haverá nomeação oficial durante esse período de testes e não quis confirmar se colocou condições para aceitar o cargo. Bolsonaro decidiu, por enquanto, não recriar o ministério da Cultura. (Folha)

Se Regina ficar, terá trabalho. A ala olavista do governo não a quer. De acordo com Guilherme Amado, desconfiam de que ela não vai implementar a revolução cultural à extrema-direita que consideram necessária. (Época)

Enquanto isso… Ainda em busca de explicação para a inserção das frases de Goebbels, Roberto Alvim tem nova teoria. Diz desconfiar de ação satânica. (Globo)

Cliente da empresa de Fabio Wajngarten foi o que mais recebeu verbas da Secom. A agência de publicidade Artplan recebeu R$ 70 milhões entre abril e dezembro de 2019 — 36% mais do que o pago no mesmo período do ano anterior. Antes de Fabio comandar a Secom, a agência Calia Y2 era a número um com receita de R$ 92,6 milhões em 2018. Em 2019 ela obteve R$ 57,1 milhões, quase 40% menos. O chefe da Secom é sócio de empresa que tem contratos com emissoras de televisão e agências de publicidade que atendem o governo. (Folha)

Aliás, a Justiça do DF deu um prazo de cinco dias para Wajngarten explicar a relação da sua empresa com os contratos da Secom. O PSOL entrou com uma ação que pede o afastamento do secretário. (Congresso em Foco)

No centro do Roda Viva de ontem, o ministro Sérgio Moro rechaçou a acusação de ter atuado de forma parcial como juiz. “Ali houve um monte de bobajerada”, afirmou sobre suas trocas de diálogo publicadas pelo Intercept Brasil. “Foi usado para tentar soltar criminosos presos, enfraquecer politicamente o Ministério da Justiça.” Mantido sob pressão pelos entrevistadores no programa que marcou a estreia no comando da jornalista Vera Magalhães, Moro também disse não ter manipulado a política ao vazar um áudio de conversa entre a então presidente Dilma e o ex-presidente Lula. “O que me foi informado à época é que existia uma suposta tentativa de obstrução de Justiça”, ele afirmou. “Se ia ter reflexo ou não depois não é decisão do juiz.” Dentre os críticos da decisão está o ministro Gilmar Mendes que, por conta do áudio, naquele dia suspendeu por liminar a nomeação de Lula para a Casa Civil. “Não houve manipulação”, rebateu Moro. “Ele tomou a decisão dele à época, ele que assuma a responsabilidade.” Demonstrando mais segurança do que em entrevistas passadas, o ministro se desviou de criticar o presidente Bolsonaro. “Existe um chefe do Executivo e uma cadeia de comando. Algumas decisões são do presidente e cabe aos ministros implementar”, disse, sobre os casos em que foi contrariado. Perguntado sobre sua expectativa de ocupar uma vaga no Supremo, também desconversou. “Acho inapropriado discutir isso sem que haja vaga no STF”, disse. (Poder 360)

Assista: O episódio do Roda Viva está no YouTube.

Aliás... Em nova reportagem da Vaza Jato, o Intercept Brasil afirma que o procurador Deltan Dallagnol teria tentado influenciar a escolha do presidente do Banco do Brasil. Ele teria dado ordens para levantar documentos contra Ivan Monteiro para repassar ao site O Antagonista. Antes da publicação, o ministro Paulo Guedes anunciou Rubem Novaes como líder do banco. (The Intercept Brasil)

A PGR rejeitou a abertura de investigação criminal contra o presidente Jair Bolsonaro. O PSOL havia feito a solicitação contra Bolsonaro por suspeitas de compra de votos para a Reforma da Previdência com emendas parlamentares. O MP, segundo Bela Megale, chegou a solicitar à Casa Civil e ao Ministério da Saúde informações sobre a liberação de emendas, mas o caso não foi para a frente. (Globo)

O FMI aumentou a projeção para 2020 do PIB brasileiro de 2% para 2,2%. O Brasil foi um dos poucos países a registrar um crescimento. A previsão mundial para este ano passou de 3,4% para 3,3% e, para 2021, de 3,6% para 3,4%. Para o FMI, a melhora brasileira é devido a taxa de juros em 4,5%, a aprovação da reforma da Previdência e a melhora da oferta de minério depois do desastre da Vale em Brumadinho. (Folha)

Pois é… os brasileiros estão mais otimistas com a economia: 70% espera melhorar sua condição econômica e a de sua família nos próximos cinco anos, segundo pesquisa da agência Edelman. Os otimistas só predominaram em economias emergentes. Em 15 dos 28 países analisados houve maioria de pessimistas. (Estadão)


Os senadores americanos se reúnem, hoje, para iniciar o julgamento do impeachment do presidente Donald Trump. O principal debate é sobre se novas testemunhas não ouvidas pela Câmara serão permitidas, ou não. O Partido Republicano, que tem maioria estreita na Casa, quer evitar que o ex-assessor de Segurança Nacional John Bolton fale, pois temem que seu testemunho seja prejudicial a Trump. Para conseguir ouvi-lo, os democratas precisam convencer quatro senadores adversários a votar contra a orientação de seu partido. (Washington Post)

Aliás... O New York Times anunciou os candidatos que apoia nas primárias do Partido Democrata. As candidatas, aliás. Na disputa que se dá entre esquerda e centro, na legenda, o Times optou por sugerir o voto em uma de cada corrente. À esquerda, a senadora Elizabeth Warren e, ao centro, a também senadora Amy Klobuchar. (New York Times)

Cultura


A bilheteria de Bad Boys para Sempre, da Sony, o terceiro episódio da série liderada por Will Smith e Martin Lawrence, superou as expectativas nos cinemas norte-americanos. O filme faturou US$ 59 milhões no final de semana tradicional e é, agora, a segunda maior estreia de todos os tempos para um lançamento em janeiro (atrás de Sniper Americano, com US$ 107 milhões), bem como o melhor começo da Sony para um filme classificado como R (restrito).

Já a Netflix anunciou que vai incluir no seu catálogo as animações japonesas do Studio Ghibli, de Hayao Miyazaki. De acordo com a divulgação do serviço de streaming, no dia 1º de fevereiro devem constar na plataforma os títulos O Castelo no Céu (1986), Meu Amigo Totoro (1988), O Serviço de Entregas da Kiki (1989), Only Yesterday (1991), Porco Rosso: O Último Herói Romântico (1994), Ocean Waves (1993) e Contos de Terramar (2006).

Começou em Paris a temporada de desfiles da alta-costura. Marcada por um discurso feminista, a maison Dior abriu a semana com uma coleção inspirada no trabalho da artista americana Judy Chicago. O estilo romântico e a feminilidade frágil da grife vem mudando, como atestou a camiseta com os dizeres “We should all be feminists” (Todos nós devemos ser feministas).

Desde que assumiu a Dior, em 2016, Maria Grazia Chiuri deixou claro que a mulher estaria sempre no centro da sua temática na grife. Confira os destaques.

Viver


Em março de 2019, o Festival Brasileiro de Cerveja em Blumenau, que abriga o mais prestigiado concurso do gênero do país, coroou a Backer como a melhor cervejaria de grande porte do país. Menos de um ano depois, a Backer vive seu pior momento com o caso da contaminação por dietilenoglicol, que levou a 18 casos confirmados de intoxicação, incluindo quatro mortes. Em seu site, uma declaração se limita a informar que o foco “está nos pacientes e seus familiares” e que “prestará o suporte necessário, mesmo antes de qualquer conclusão”. Também avisa que continua colaborando com as investigações ao mesmo tempo em que solicitou uma perícia independente.

A Polícia Civil está investigando como o dietilenoglicol foi parar em 32 lotes de 10 cervejas produzidas pela Backer, que apresentou um vídeo com suposto indício de sabotagem. O governo de MG criou um portal para informar sobre intoxicação. Entenda o caso.

A China apresentou um grande plano para reduzir o uso de plásticos em todo o país. As sacolas não degradáveis serão proibidas nas principais cidades até o final de 2020 e em todas as cidades até 2022. A indústria de restaurantes também será proibida de usar canudos descartáveis até o final deste ano. Lidar com o lixo gerado por 1,4 bilhão de cidadãos é um dos maiores desafios da China. O maior depósito de lixo do país - do tamanho de cerca de 100 campos de futebol - já está cheio 25 anos antes do previsto.

O médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, de 78 anos, foi condenado a mais 40 anos de prisão em regime fechado por estupro de vulnerável contra cinco mulheres. Foi a segunda sentença contra ele por crimes sexuais. A condenação foi publicada ontem.

Cotidiano Digital


O CEO do Google e da Alphabet defendeu a regulamentação da inteligência artificial. Em artigo no Financial Times, Sundar Pichai disse que a tecnologia está avançando rápido, o que demanda por mudanças em leis e parceria entre países para a criação de uma regulamentação comum. Para ele, as ferramentas de IA, no entanto, não podem ser regulamentadas da mesma forma. Pichai defende regras mais duras para a tecnologia de carros autônomos, por exemplo, o que considera mais perigoso. Mas em outras áreas como saúde, acredita que normas já existentes podem ser estendidas para cobrir a IA. Ele ainda disse que o Google não vai trabalhar com IA que apoie vigilância em massa ou viole direitos humanos. Em 2018, a empresa abandonou contrato com o Pentágono sobre um projeto de vigilância depois de críticas internas dos seus funcionários.

Enquanto isso… o governo americano começou a usar um novo sistema de reconhecimento facial da Clearview AI. A investigação do New York Times apontou que o banco de dados é formado por três bilhões de imagens captadas de sites, como Facebook e YouTube. As agências policiais podem enviar fotos de qualquer pessoa e o sistema retorna fotos correspondentes da Internet, junto com links para onde essas imagens estão hospedadas, como perfis de mídia social.

O mundo dos games promete ganhar um concorrente forte. A ByteDance, dona do TikTok já teria comprado estúdios para a criação dos jogos, além da exclusividade de direitos dos títulos. A expectativa é que os primeiros games sejam lançados ainda no primeiro semestre de 2020. A empresa já criou alguns jogos pelo TikTok, mas a ideia agora é que a nova área receba mais investimentos para concorrer com a Tencent, a líder chinesa dona de jogos para celular como Call of Duty.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



21 de janeiro de 2020
Consultar edições passadas