Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





1 de março de 2019
Consultar edições passadas

Prezadas leitoras, caros leitores —

O primeiro desfile de carros alegóricos ocorreu no Rio de Janeiro em 1640, celebrava o fim da União Ibérica e ascensão do Duque de Bragança ao trono português. Dizem as más línguas, carnaval por aqui é bem mais antigo — já tinha gente com pouca roupa e muitas plumas bem antes de Cabral e parece que ao menos um caeté circulou fantasiado de bispo, nas Alagoas de 1556, quando Pero Fernandes Sardinha por ali naufragou. E já que foi em Diamantina que nasceu JK, também lá terra de Xica da Silva, cá este Meio pede licença para juntar-se à folia momesca, tirando sua tradicional folga de Carnaval. Tristeza há de ter fim — depois das festas retornamos.

— Os editores.


Em um só dia, Bolsonaro desautoriza Moro e Guedes


Pressionado pelo flanco conservador mais estridente das redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro sacou o telefone e pediu ao ministro Sergio Moro que desconvidasse de um conselho consultivo Ilona Szabó. Pressionado, também, por parlamentares de seu lado, antes mesmo de iniciar as conversas formais com o Congresso, o presidente já abriu o flanco admitindo mudanças na reforma da Previdência, enfraquecendo sua posição inicial para negociar. De uma tacada, minou o poder de seus dois super-ministros.

Cientista política, Ilona ocuparia uma suplência, não cargo titular, no Conselho de Políticas Criminais e Penitenciárias. Considerada uma das maiores especialistas em segurança pública e política contra drogas no país, Ilona foi uma das coordenadoras da campanha nacional de entrega de armas, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. A postura contrária à liberação das armas e a defesa da descriminalização das drogas provocaram as pressões contra a nomeação. Em nota, o Ministério da Justiça admitiu que recuou devido à “repercussão negativa em alguns segmentos”. (Folha)

Ilona Szabó: “Senti uma certa decepção ao ver que a opinião de grupos extremos tem um impacto tão grande na opinião do presidente da República, que é o presidente de toda a população. O presidente não deveria ver pessoas que pensam diferente como inimigas. Acho que a tolerância precisa ser mote de um governo que tem tantos desafios pela frente.” (Globo)

A ‘desnomeação’ provocou outra baixa. Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e membro do Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, pediu exoneração em solidariedade a Ilona. (Estadão)

Quem também saiu foi a promotora Monica Barroso, do Conselho Nacional de Política Penitenciária. Atacada ao lado de Ilona nas redes, ela pediu exoneração. Seu mandato iria até 2020. (Folha)

Já o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) comemorou nas redes. “Grande dia”, escreveu. (Globo)

Já na previdência… Paulo Guedes queria aposentadoria aos 65 anos para homens e mulheres. Bolsonaro baixou a idade mínima feminina para 62, na proposta enviada ao Congresso. Ontem, num café da manhã com jornalistas, o presidente admitiu a possibilidade de recuos tanto na aposentadoria das mulheres, cuja idade cairia para 60 anos, quanto no benefício pago a idosos de baixa renda. Vale lembrar que, no começo do ano, Bolsonaro defendia idades mínimas de 62 anos para homens e 57 para mulheres.

A declaração de Bolsonaro repercutiu mal no mercado, com a Bolsa de São Paulo fechando em queda de 1,77%.

Por essas e outras, o mercado já prevê a aprovação de uma versão mais magra da reforma. De acordo com o Painel, a economia seria de R$ 700 bilhões em dez anos, abaixo do R$ 1 trilhão projetado por Guedes. (Folha)

As mudanças no BPC enfrentam grande resistência no Congresso, mas um estudo feito pela Instituição Fiscal de Independente (IFI), ligada ao Senado, indica que, com as novas regras, seria possível fazer uma economia de R$ 28,7 bilhões em 10 anos.

O ex-assessor Fabrício Queiroz negou, em defesa por escrito, que ficasse com parte dos salários dos colegas de gabinete do então deputado estadual e hoje senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Ele alega que os depósitos em sua conta eram usados para “ampliar a rede de colaboradores” do político, a quem nunca se sentiu na obrigação de explicar a “arquitetura interna do mecanismo”. (Estadão)

Uma delação premiada envolveu a Arquidiocese do Rio, por meio da organização social Pró-Saúde, no desvio de R$ 52 milhões dos cofres do estado. A informação, revelada por Chico Otávio e Vera Araújo na revista Época, partiu do ex-padre Wagner Portugal, diretor de Relações Institucionais e de Filantropia da Pró-Saúde e amigo íntimo do cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, com quem trabalhava diretamente desde 1997. Portugal foi preso na Operação S.O.S, braço da Lava-Jato no Rio. Sediada em São Paulo e com atuação em todo o país, a organização chegou a administrar alguns dos maiores hospitais do estado a partir de 2013. Segundo as investigações, o esquema envolvia ainda o então secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita, também presos, que fraudavam contratos e cobravam pedágio de fornecedores. A força-tarefa da Lava-Jato suspeita que despesas pessoais do cardeal, como frete de aviões e até compra de roupas, foram pagas com dinheiro desviado, mas não há, até o momento, indícios de que Dom Orani participasse ou mesmo tivesse conhecimento do esquema. (Época)

As suspeitas contra a Arquidiocese vieram há público esta semana, na confissão do ex-governador Sérgio Cabral.

Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa e apontado como operador do PSDB, foi condenado a 27 anos de prisão, sendo sete em regime fechado, pela Justiça Federal de São Paulo. Conhecido como Paulo Preto, ele foi considerado culpado de formação de cartel e fraude em licitação. Vieira, que está preso em Curitiba pela Operação Lava-Jato, é suspeito também de lavagem de dinheiro e operar propina para líderes tucanos. (Estadão)

Cartas da filha de Paulo Vieira, apreendidas pela PF, dão a entender que o ex-chanceler Aloysio Nunes Ferreira, do PSDB, conseguiu um advogado que tirou o diretor da Dersa da prisão em 2018 e o fez desistir de uma delação premiada. Aloysio tinha um cartão de crédito ligado a uma das contas operadas por Vieira na Suíça. (Folha)

O PIB do Brasil cresceu 1,1% em 2018, repetindo a performance do ano anterior, anunciou o IBGE.


Reconhecido pelo Brasil como presidente interino da Venezuela, o líder oposicionista Juan Guaidó foi recebido por Jair Bolsonaro com aparato de chefe de Estado. Em pronunciamento conjunto diante das bandeiras dos dois países, o brasileiro disse que “não poupará esforços para restabelecer a democracia na Venezuela”. Em entrevista após o encontro, Guaidó defendeu “resistência pacífica” contra o regime de Nicolas Maduro e afirmou que voltará para seu país, a despeito do risco de ser preso.

A pompa do encontro desagradou militares brasileiros. (Folha)

Guga Chacra: “O ditador Nicolás Maduro ganhou este round na disputa contra a oposição liderada por Juan Guaidó. Se levarmos em conta a posição de Guaidó há uma semana e agora, houve um enfraquecimento. O momento crucial dele era no fim de semana passado. Passados alguns dias, os holofotes da mídia e mesmo do governo dos EUA deixaram de mirar em Caracas. Maduro, por sua vez, não deveria se entusiasmar, apesar de claramente ter resistido ao desafio da oposição. O mundo viu nos últimos dias a dimensão da sua repressão. Seu regime corrupto e incompetente segue extremamente impopular. Maduro conseguiu sobreviver mais um pouco, mas terá de recorrer a cada vez mais repressão. Neste sentido, aumentaria o risco de guerra civil, especialmente se parte da oposição se radicalizar e desistir da via pacífica para derrubar o ditador.” (Globo)


Trump não consegue capturar o novo Po-KIM-om

Tony de Marco

 
Trump-Pokimon

Cultura


Vai começar a folia. Em São Paulo, desfilam hoje no sambódromo do Anhembi as primeiras escolas de samba do grupo especial. No Rio, a festa na Sapucaí começa no domingo. Confira a ordem dos desfiles. (SP e RJ).

Para já entrar no clima: Um quiz do Nexo testa o quanto você sabe sobre icônicos sambas-enredo.

Para quem prefere o carnaval de rua — ou para quem quer fugir dele —, o G1 preparou uma ferramenta interativa com a lista dos blocos e a programação completa de São Paulo e Rio de Janeiro. Também dá para ver as opções pelo celular. O aplicativo Bloco de Rua (Android e iOS) tem a programação e agenda dos blocos de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Florianópolis, Salvador, Recife e Olinda. Uma parceria com o app da 99 vai fornecer aos usuários um mapa que dá em tempo real a melhor rota e o ponto de encontro ideal com o motorista em cada bloquinho. Veja outras dicas de aplicativos.

Pois é. São dias de festejar, mas vale também ficar atento. Veja dicas para evitar roubo de celular, furtos e golpe da troca de cartão.

E é sempre bom lembrar: Assim como em qualquer outro dia, no Carnaval “não” é “não”. Em Recife, a prefeitura de Pernambuco lançou um manual didático de “como não ser babaca no carnaval”. O vídeo divertido viralizou nas redes sociais.

 

Nos cinemas, o fim de semana é de terror. Em A Maldição da Freira (trailer), na década de 1960, dois padres são enviados pelo Vaticano para investigar um evento milagroso em um lar irlandês e encontram uma adolescente grávida com sinais de possessão demoníaca. Já em Não Olhe (trailer), uma adolescente solitária começa a conversar com o próprio reflexo no espelho e descobre que está trocando de lugar com uma espécie de clone que tenta convencê-la a tomar atitudes vingativas. E tem também a estreia de Calmaria (trailer), com Matthew McConaughey e Anne Hathaway: com o passado prestes a vir à tona, o capitão de um barco de pesca desconfia das circunstâncias da pequena ilha onde vive. Veja todas as estreias da semana.

Cotidiano Digital


Com o encerramento da MWC já é possível ter um panorama mais claro do estado da indústria. Os dois principais temas das conversas foram o 5G, que ainda está na promessa, mas que parece que esse ano finalmente começa a virar realidade, e os telefones dobráveis. Enquanto a Samsung anunciou semana passada, antes da feira, o seu Galaxy Fold, quem roubou as atenções na feira foi a Huawei, que não só apresentou seu dobrável Mate X no palco, como disponibilizou unidades para serem testadas na feira. Não à toa apareceu em todas as listas de destaques. Até mesmo Steve Wozniak, co-fundador da Apple em entrevista disse que quer ter um e se preocupa de a empresa não estar liderando essa onda.

Lista: Os melhores celulares da MWC.

Galeria: Os aparelhos interessantes anunciados na feira.

Em outubro, Google, Twitter e Facebook assinaram um compromisso com a Comissão Europeia de combater a disseminação de boatos e notícias faltas em suas plataformas. O objetivo era evitar que a Europa baixasse leis restritivas sobre o tema, comprometendo a atuação das empresas. O problema é que, segundo as autoridades do continente, elas não cumpriram o prometido. Há o temor do uso de notícias falsas nas redes para manipular as eleições para o Parlamento Europeu, em maio, e em oito países do bloco até o fim do ano.

Viver


Homens têm mais orgasmos (95% deles chegam ao clímax em todas as relações) que as mulheres (65%). Essa conclusão de um estudo feito com 52 mil pessoas não chegou a causar surpresa. Pesquisadores sempre afirmavam que os genitais masculinos eram mais facilmente estimuláveis. A questão é que essa estatística se refere exclusivamente a relações heterossexuais. Quando o leque de orientações foi expandido, o resultado mudou. Entre as lésbicas, 86% disseram sempre ter orgasmos, um número muito próximo dos homens gays (89%) e bissexuais (88%) e bem acima dos 66% das mulheres bissexuais. Ou seja, a culpa não é da genitália, mas de quem não sabe lidar com ela. Confira aqui a íntegra do estudo.

Um novo edital da Universidade Federal Fluminense incluiu um mecanismo inédito no país para equilibrar a concorrência de homens e mulheres na disputa por bolsas de iniciação científica. As professoras que tiveram filhos nos últimos dois anos terão um acréscimo de cinco pontos caso não atinjam a pontuação máxima para compensar o tempo de licença-maternidade sem produção acadêmica, um dos critérios para a escolha dos bolsistas. Pais que adotam crianças e casais homoafetivos que tirem licença para cuidar dos filhos também terão direito à pontuação extra. (Globo)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




1 de março de 2019
Consultar edições passadas