Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





10 de julho de 2019
Consultar edições passadas

Câmara encerra discussões e tenta votar hoje Previdência


Foi encerrada ontem quando faltavam quinze minutos para 1h, já de madrugada, a sessão na Câmara. Os deputados não votaram o texto da reforma da Previdência, mas há um indício concreto de que ela deve ser aprovada. Um requerimento da oposição para retirar o tema da pauta foi rejeitado por 331 votos contra 117. Como são necessários 308 para a aprovação, o indício é de que o texto passa. Hoje pela manhã, às 8h30, o presidente Jair Bolsonaro deve passar pela Casa para participar de uma sessão solene pelo aniversário da Igreja Universal do Reino de Deus. Assim que ele deixar o Congresso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, deve abrir os trabalhos. Após autorizar os discursos de três deputados de um lado e três do outro, Maia deve dar início à ordem do dia. A previsão é de que o texto base comece a ser votado no início da tarde. O plano continua sendo de aprovar a reforma em dois turnos até a sexta-feira, encaminhando-a para o Senado se posicionar no segundo semestre. (Globo)

Uma das emendas que serão propostas para avaliação após o texto base tenta solucionar parcialmente a questão da ausência de estados e municípios da reforma. Ela incluiria os municípios, mas não os estados. Os deputados não querem arcar sozinhos com o desgaste perante funcionários públicos estaduais e se queixam da falta de empenho dos governadores. (Poder 360)

O Planalto ofereceu a cada parlamentar que votar pela reforma um lote extra de R$ 20 milhões em emendas — no total, R$ 3 bilhões. O total prometido pode chegar a até R$ 5,6 bi. É verba do Orçamento que os deputados podem direcionar para projetos em seus redutos eleitorais. Quando passou pela Câmara ontem, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta confirmou que a liberação de verbas em sua pasta faz parte do esforço de convencimento para esta que é a pauta mais importante do semestre. Deste valor, pelas contas da oposição, R$ 1 bilhão já foram liberados. O presidente Jair Bolsonaro nega que exista qualquer relação — para ele, é uma ação normal da administração pública e nada tem a ver com a Previdência. (Folha)

Pois é... Um fantasma ainda não foi afastado. Bolsonaro voltou ontem a defender regras mais brandas para policiais. O comando da Câmara teme que a discussão abra um racha na ala governista e emperre o voto. (Valor)


Os procuradores da Lava Jato se angustiaram, na manhã de 28 de setembro de 2018, quando saiu na imprensa que o ministro Ricardo Lewandowski havia autorizado a Folha a entrevistar o ex-presidente Lula, na prisão. A eleição presidencial em primeiro turno ocorreria dias depois, em 7 de outubro. Já era quase meia-noite quando, no Telegram, o coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, informou a seus pares, numa mensagem de áudio, que o ministro Luiz Fux derrubara a decisão. Dallagnol pediu aos procuradores que não divulgassem a notícia para evitar que, informados, os advogados do ex-presidente tentassem recorrer. (Intercept)

Em nota, o Ministério Público não reconheceu a autenticidade do áudio. “As supostas mensagens atribuídas a integrantes da força-tarefa são oriundas de crime cibernético e não puderam ter seu contexto e veracidade verificados.” (UOL)

A decisão de Fux, em resposta a um recurso do Partido Novo, já estava no sistema do STF, lembra o advogado Hélio Saboya. Pública e acessível a qualquer um, desde aproximadamente uma hora antes de Dallangol avisar aos demais procuradores.

Em resposta ao Tribunal de Contas da União, o Coaf manteve uma certa ambiguidade a respeito de se está ou não investigando Glenn Greenwald, cofundador do Intercept. O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que “não tem conhecimento” de investigação. O secretário-executivo do Coaf, Jorge Caetanto, porém, afirmou que o órgão “não realiza investigações, nem mesmo a pedido da PF, de pessoas físicas ou jurídicas”. A notícia inicial era de que a Polícia Federal havia requerido a informação, tentando intimidar o jornalista por conta dos vazamentos que seu veículo tem publicado. Na sequência, Caetano demonstrou hesitação. “Poderá ocorrer que o Coaf produza um Relatório de Inteligência Financeira ao obter, por comunicação feita pela PF, algum elemento de informação que se revele significativo para a identificação de fundados indícios.” (Poder 360)

Aliás... O delegado Luciano Flores, superintendente da PF no Paraná, afirmou que a perícia dos celulares dos procuradores não é necessária para a investigação do vazamento. “A invasão não se deu via aparelho, mas foi no sistema Telegram”, disse. “Fazer uma perícia nos telefones seria improdutivo.” (UOL)

O Supremo está dividido a respeito dos vazamentos. Um naco dos ministros vê crime nas trocas de mensagens divulgadas pelo Intercept. O mais grave, para estes, foi o pedido, pelo então juiz, de inclusão de um documento que gostaria de usar em uma sentença. Para eles, é uma intromissão direta a favor de uma das partes. O outro grupo de ministros só admite se voltar contra Moro caso algo que considerem grave surja — caso de prova fraudada. Fora isso, consideram que a Lava Jato está sob ataque por ter juntado grupos opostos cuja antipatia atraiu, informa o Painel. (Folha)

E Donald Trump não pode mais bloquear críticos no Twitter. A Justiça norte-americana argumentou que, à luz da Constituição, o melhor para o debate público é “mais diálogo, não menos”. Para os juízes da segunda instância, se o presidente da República usa seu Twitter para divulgar informação de interesse público, não pode negar a qualquer cidadão acesso às mensagens.

Cultura


A Paramount Pictures Brasil divulgou o novo trailer de Dora e a Cidade Perdida. Diferente da animação da Nickelodeon, a versão live-action mostrará a aventureira já adolescente, acompanhada do macaco Botas e seu primo Diego. Filme estreia em 7 de novembro de 2019.

O Anima Mundi, um dos maiores festivais de animação do mundo, chega a sua 27ª edição. A programação, que acontece de 17 a 21 de julho no Rio de Janeiro, e de 24 a 28 de julho, em São Paulo, contará com mais de 300 filmes de mais de 40 países, incluindo mais de 80 produções ou coproduções do Brasil. Nesta edição, 186 filmes participam das mostras competitivas e 116 nas mostras não-competitivas. Também serão realizadas exposições, oficinas abertas e gratuitas, entre outras atividades que mostram o vigor e a criatividade do crescente mercado de animação no país. Depois da perda de importantes patrocínios neste ano, a união do setor por meio dos canais de exibição de animação, estúdios, produtoras, instituições de ensino e animadores independentes foi um grande diferencial para a realização do Festival. Confira a programação das mostras.

Kristen Roupenian se transformou em estrela literária graças a um fenômeno viral, protagonizado por seu conto Cat Person no final de 2017. Todas as publicações do planeta tinham rejeitado o conto, até que uma mudança no ambiente cultural fez com que ele fosse parar nas páginas da The New Yorker. Um ano e meio depois, Roupenian continua sem entender o que aconteceu com seu conto, que se tornou a obra de ficção mais lida na história da revista americana. A história, assinada então por essa autora desconhecida, nascida em 1981 na costa de Massachusetts, nos EUA, falava do desastroso encontro entre uma garota de 20 anos e um homem de 34. Foi escrita meses antes da eclosão do movimento Me Too, mas se antecipou a todos os seus debates: as relações sexuais como jogos de poder, o desequilíbrio congênito com que homens e mulheres chegam a esse campo de batalha e o consentimento. Confundido com um texto autobiográfico, o conto dividiu seus leitores em dois grupos: a favor ou contra Margot, sua protagonista, uma universitária sem muita vontade de ir para a cama com seu indesejável pretendente, mas que acabou fazendo isso para não parecer “caprichosa ou malcriada, como se tivesse pedido algo em um restaurante e devolvido em seguida”. Ela chega ao Brasil para participar da Feira Literária Internacional de Paraty (Flip), que acontece entre hoje e 14 de julho. (El País)

Viver


Sobre o uso medicinal da Cannabis, a Anvisa colocou em consulta pública, no último mês, duas propostas: uma com regras para o plantio e outra para registro de medicamentos que podem ser gerados neste processo. Ontem, uma declaração do ministro da Cidadania, Osmar Terra, expôs o racha que ocorre entre membros do governo e da Anvisa em torno do tema. "A proibição mantém de alguma maneira controlado esse processo", disse o ministro. A agência, porém, informa que a regulação será restrita a empresas para pesquisa e produção de remédios à base da planta, com base em critérios de segurança, e sem espaço para outros produtos ou uso recreativo.

Foto do eclipse solar tirada pelo brasileiro Leo Caldas foi selecionada a 'imagem do dia' pelo site Apod, da Nasa, referência em fotografia astronômica.

 

A sonda japonesa Hayabusa2 iniciou hoje a segunda descida para o remoto asteroide Ryugu, que está a cerca de 245 milhões de quilômetros da Terra, com o objetivo de coletar amostras subterrâneas que podem fornecer informações sobre a origem do sistema solar, disse a agência responsável.

O zoológico de Curitiba (PR) tem um novo hóspede muito raro: uma arara-azul. Veja fotos do filhote, que está sob os cuidados dos pais desde que foi descoberto e fora do contato com os visitantes. Originária do Pantanal e da Floresta Amazônica, a arara-azul é considerada uma ave vulnerável na escala de risco de extinção e a população da espécie foi drasticamente afetada pela caça, pelo comércio clandestino e pelo desmatamento. Na natureza, foram contabilizados 4.000 indivíduos.

Cotidiano Digital


O GitHub, principal site voltado para desenvolvimento coletivo de apps, baniu ontem a publicação de variantes do app DeepNude. Baseado em redes neurais, um dos tipos de inteligência artificial, o software permite que qualquer um pegue a fotografia de uma mulher vestida e o programa produz uma versão realista da mesma imagem — porém dela nua. Os criadores de DeepNude já o retiraram do ar faz um mês, mas desde então versões alternativas baseadas na mesma tecnologia surgiram. As imagens finais são indistinguíveis de reais.

O serviço de streaming da Warner vai se chamar HBO Max e tem estreia marcada para o ano que vem. Ele chegará com a promessa de 10 mil horas de conteúdo, incluindo títulos dos canais HBO, TNT, TCM, CW, Cartoon Network, Adult Swim e Crunchyroll, além de produções da Warner Bros, New Line, DC, Looney Tunes e CNN. Friends, por exemplo, deve sair da Netflix para se tornar exclusivo do HBO Max. Ainda não sabemos se isso vale também para o catálogo brasileiro. Também haverá conteúdo exclusivo, como uma série baseada em Duna, de Frank Herbert, e outra série, esta animada, inspirada nos filmes Gremlins. Ainda não há uma lista dos países em que o concorrente da Netflix sairá primeiro.

A Microsoft está desenvolvendo protótipos de um controller inspirado nos da plataforma Xbox que podem ser encaixados em smartphones. Veja. Além de permitir jogar no celular como se fosse um console, poderia também ser adaptado para um serviço de games por streaming.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




10 de julho de 2019
Consultar edições passadas