Aula Inaugural do Curso “Você na Mídia”

A Aula inaugural do curso "Você na Mídia" será realizada na quinta, dia 29/9, às 19h. Ministrada por Leila Sterenberg, abordará a importância do jornalismo profissional e como se comunicar de forma eficaz na era digital. Serão discutidos temas como os desafios da comunicação online, construção de mensagens-chave, relacionamento com a imprensa e prevenção de crises em ambientes digitais.

TSE veta deepfake e exige identificação de IA nas eleições

Candidatos que usarem imagens falsas ou não identificarem conteúdo gerado por IA podem ser cassados pela Corte eleitoral. Após embate com Congresso, Lula altera MP e mantém a desoneração da folha de pagamento de 17 setores. Epidemia de dengue avança, e fábrica de vacinas promete aumentar a produção. Mesmo com Barbie, mulheres foram minoria na produção cinematográfica de 2023. Sony corta equipes do PS5 após vendas do console ficaram abaixo das expectativas.

Lula decide manter desoneração para 17 setores

Após inúmeras rodadas de negociação, o presidente Lula decidiu ontem derrubar parte da medida provisória que reonerava a folha de pagamento dos 17 setores da economia que mais empregam no país. Atendendo ao desejo do Congresso, a desoneração foi mantida. Entenda neste episódio.

Takeda firma parceria para ampliar produção de vacina da dengue

Desenvolvedora da vacina contra a dengue, a Takeda anunciou uma parceria com a indústria indiana Biological E. Limited (BE) para ampliar a produção da Qdenga. O objetivo é acelerar o preparo das doses disponibilizadas para os países que passam por endemia da doença até 2030. O acordo prevê a oferta apenas para Programas Nacionais de Imunização, como firmado com o Ministério da Saúde brasileiro. A BE terá capacidade de produzir 50 milhões de doses da vacina por ano, com expectativa de uma geração total de 100 milhões anuais até 2030 com a parceria. O Brasil se aproxima de um milhão de casos prováveis da doença, além de 195 mortes confirmadas e outras 672 em investigação, de acordo com dados atualizados pela pasta da Saúde nesta terça-feira. (Folha)

Só 18% dos filmes de maior bilheteria em 2023 tinham mais personagens femininas

O sucesso de bilheteria de Barbie não significa que as mulheres tiveram mais oportunidades no cinema em 2023. Um estudo produzido pela Universidade de San Diego descobriu que apenas 18% dos 100 principais filmes de maior bilheteria tinham mais personagens femininas do que masculinas e 5% tinham paridade de gênero. Enquanto isso, 77% desses longas tinham personagens predominantemente masculinos em papéis falados. Os pesquisadores também descobriram que o percentual de mulheres em papéis com falas diminuiu, passando de 37% em 2022 para 35% ano passado. Além disso, obras com protagonistas femininas caíram de 33% para 28%, bem abaixo dos 40% alcançados em 2019. O relatório mostra ainda que películas escritas ou dirigidas por mulheres tinham mais chances de terem protagonistas femininas do que quando dominadas por homens. (Variety)

STF mantém decisão que livra Petrobras de condenação trabalhista de quase R$ 38 bi

O Supremo Tribunal Federal formou maioria nesta terça-feira para manter uma decisão que anulou uma condenação trabalhista de R$ 37,8 bilhões contra a Petrobras. O recurso dos petroleiros foi julgado na 1ª Turma, composta por cinco ministros. Flávio Dino, recém-empossado, seguiu o voto do relator, Alexandre de Moraes, e da ministra Cármen Lúcia. Em 2018, a estatal havia sido condenada pelo Tribunal Superior do Trabalho a corrigir as remunerações de 51 mil empregados ativos e inativos, considerando que os cálculos da Remuneração Mínima por Nível e Regime, firmada em acordo coletivo de 2007, eram irregulares. Em junho de 2023, a Petrobras conseguiu anular a condenação trabalhista e os petroleiros recorreram. Os ministros entenderam que não houve omissão na decisão questionada. (Estadão)

Estreando na Lava Jato, Dino frustra estratégia de Eduardo Cunha em ação por propina

O ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino estreou nesta terça-feira em uma ação da Lava Jato. Em seu voto, negou o pedido do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) para transferir para a Justiça Eleitoral uma investigação sobre propinas de R$ 20 milhões supostamente pagas pela Odebrecht ao ex-parlamentar nas obras do Projeto Madeira, da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio. No plenário virtual, Dino acompanhou o voto do ministro Edson Fachin, relator da operação, mantendo a investigação na Justiça Federal do Distrito Federal, para onde o caso foi transferido com uma outra investigação correlata. Dias Toffoli também acompanhou o relator. Já Cristiano Zanin se declarou impedido para julgar o caso. Os demais integrantes da Corte têm até esta sexta-feira para se manifestar. (Estadão)

UE investiga parceria entre Microsoft e Mistral AI para uso em nuvem

A União Europeia disse nesta terça-feira que vai investigar o acordo feito entre Microsoft e Mistral AI, que terá os modelos de inteligência artificial da startup francesa disponibilizados pela computação em nuvem da Azure. A medida sinaliza os esforços da gigante da tecnologia em oferecer uma variedade de IA, enquanto atrai mais clientes para seu serviço em nuvem. A Mistral tem código aberto e grandes modelos de linguagem (LLMs), semelhantes ao ChatGPT, da OpenAI, e também trabalha com Google e Amazon para distribuir seus modelos. A UE disse que a apuração faz parte da averiguação contínua das parcerias de IA das big techs. (Folha)

Ibovespa sobe 1,61%, e dólar cai 0,97%

A valorização do minério de ferro na China e o noticiário macroeconômico, especialmente o IPCA-15, impulsionaram Ibovespa nesta terça-feira, fechando com alta de 1,61%, aos 131.689 pontos. Em Wall Street, Dow Jones recuou 0,25%, enquanto S&P 500 e Nasdaq subiram 0,17% e 0,37%, respectivamente. Já o dólar caiu 0,97%, a R$ 4,933. (InfoMoney)

Governo adia por mais 90 dias portaria que restringe trabalho aos feriados

O governo decidiu adiar por mais 90 dias a entrada em vigor de uma portaria que restringe o trabalho no comércio aos feriados. Assim, as regras que passariam a valer nesta sexta-feira ficam suspensas até junho. Enquanto isso, o Ministério do Trabalho tenta costurar um acordo com empregados e empregadores do comércio. “Temos certeza de que as partes chegarão a um texto que contemplará o funcionamento do nosso comércio na sua plenitude, respeitando sempre o direito às negociações, o direito dos empregados e protegendo cada trabalhador”, afirmou em nota o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho. O adiamento foi decidido em reunião com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, representantes sindicais e das frentes parlamentares do Comércio e Serviços e do Empreendedorismo. (g1)